sexta-feira, 6 de setembro de 2013

Crimes da Irmandade Muçulmana



Egipto prepara ilegalização da Irmandade Muçulmana

- Público

A Irmandade Muçulmana é uma organização terrorista fundamentalista supremacista islâmica e a organização terrorista mãe de todas as organizações terroristas fundamentalistas supremacistas islâmicas, incluindo os famosos Hamas, Hezbollah e Al-Qaeda.

Em menos de um ano de Governo (após vitória possivelmente falseada nas eleições), a Irmandade lançou uma campanha de terror sem precedentes contra a democracia e contra os cristãos egípcios.

A Imprensa egípcia apontou esta semana Obama como membro da Irmandade Muçulmana. O filho de um dos líderes terá ameaçado o presidente dos EUA com a divulgação de documentos. Obama pode não ser membro da I.M., mas se fosse não agiria mais a favor da organização terrorista...

Obama é um apoiante fervoroso da Irmandade Muçulmana e retirou todo o grosso apoio que os EUA davam ao Egipto, após o povo nas ruas ter exigido a saída de Morsi e o fim da ditadura da Irmandade.


Figuras destacadas da administração Obama são membros da Irmandade Muçulmana.


Neste blog, sob a etiqueta "Egipto", mostrámos muita da violência dos irmãos muçulmanos contra os muçulmanos moderados e os cristãos, que culminou com uma revolta popular gigantesca que os desalojou do poder.

"Crimes da Irmandade Muçulmana" é o título deste mini-documentário, mas não faltam muitos mais documentos sobre as atrocidades cometidas por esta organização no Egipto:



 Dentre centenas de vídeos: cenas fortes da violência da Irmandade Muçulmana no Egipto:

   

Agora um documentário a ter muito em conta:
"Este vídeo é sobre documentação descoberta após 9/11 de Setembro. Sabia a Irmandade Muçulmana tem posições-chave na administração Obama? Barack Hussein Obama apoia o Islão.

O plano Irmandade Muçulmana para dominar o mundo 
A chamada Primavera Árabe deu à Irmandade Muçulmana poder e influência no Médio Oriente. O seu único objectivo é controlar o mundo com o Islão. Eles sabem que não podem usar já a força para converter o Ocidente, por isso eles usam o engano ( a taqiyya ). E assim conseguiram enganar os políticos ocidentais e levá-los a acreditar neles .

Al-Kubaisi também entrevistou Gamal al-Banna, irmão de Hassan al-Banna, o homem que fundou a da Irmandade Muçulmana em 1928. Al-Banna teve palavras duras para os actuais membros moderados da Irmandade, dizendo que "não acredita em liberdade de forma alguma.":
"Não acreditamos na liberdade, de forma alguma", disse ele; "Não há nenhuma autoridade islâmica que respeite a liberdade ou a democracia." Al-Banna também condenou o estado da cultura islâmica moderna.
(...)


O LEMA DA IRMANDADE MUÇULMANA:
"Allah é o nosso objectivo. O Profeta é nosso líder O Alcorão é a nossa lei. A Jihad é o nosso caminho. Morrer por Allah é nossa maior esperança. Allahu akbar!"

. O objectivo da Irmandade Muçulmana é transformar o mundo num império islâmico. A Irmandade Muçulmana é um movimento fundamentalista revolucionário para restaurar o califado e rigorosa lei sharia ( islâmica ) em terras muçulmanas e finalmente em todo o mundo. Hoje, ele tem filiais em 80 países .

"É da natureza do Islão dominar para não ser dominado, impor a sua lei em todas as nações e estender o seu poder a todo o planeta." - Hassan al- Banna, fundador da Irmandade Muçulmana.

"A Irmandade Muçulmana apela à Jihad contra os verdadeiros inimigos dos muçulmanos, não só Israel, mas também os Estados Unidos. Jihad contra ambos os infiéis é um mandamento de Allah que não pode ser desconsiderado." - Muhammed Badi Guia Supremo da Irmandade Muçulmana, Setembro 2010

O Hamas é uma ala da Irmandade Muçulmana

· A Irmandade Muçulmana apoia a guerra do Hezbollah contra os judeus. O líder da Irmandade Mahdi Akef declarou que estava "preparado para enviar 10.000 jihadistas imediatamente para lutar ao lado do Hezbollah" durante a guerra do Hezbollah contra Israel em 2006.

A Irmandade Muçulmana aprova as "operações de martírio na Palestina" .... "Eles não têm bombas, então eles transformam-se em bombas. Esta é uma necessidade" - líder espiritual da Irmandade Muçulmana, Yusuf al- Qaradawi, 17 dez Dezembro de 2010.

· A Irmandade Muçulmana defende a jihad violenta : a "mudança que a nação muçulmana procura só pode ser alcançado através da jihad e do sacrifício, e criando uma geração jihadista que busca a morte, assim como os inimigos perseguem a vida ", disse o Guia Supremo da Irmandade, Muhammed Badi em sermão de Setembro 2010.
Os principais terroristas saídos da Irmandade Muçulmana incluem Bin Laden, Ayman al- Zawahiri e Khalid Sheikh Mohammed ( mentor dos ataques de 9/ 11)."

- Tempos pena de que não seja legendado, mas é um documento de crucial importância, cujo conteúdo a realidade confirma a cada dia:

Exemplo do terrorismo e do culto de morte patrocinado pela Irmandade:

- Mulher árabe declara que o dia em que o filho se fez explodir num ataque terrorista contra Israel foi o mais feliz da sua vida:

Duas entrevistas com as mães dos mártires expressando a sua alegria pelo martírio dos seus respectivos filhos, transmitidas no site de Hamas e na Arab News Network TV .
Na primeira entrevista, com Um Nidal, ela diz que  o melhor dia de sua vida foi quando o seu filho se tornou um mártir, e se ela tivesse 100 filhos, ela lhes dá-los-ia a Allah também. Ela afirma que não há nada mais precioso do que as crianças, mas que por amor a Allah, o que é precioso torna-se barato.
A segunda entrevista é com a mãe de um outro mártir. Ela diz que "a Jihad é uma obrigação religiosa e que teria sido errado tentar mudar a decisão do seu filho. Ela colocou os seus sentimentos maternais de lado por uma causa maior, porque ela queria o melhor para o seu filho, e escolheu a felicidade eterna na vida após a morte para ele".


Neste post - Um Belo Truque - explicámos o que é a taqiyya, o mandamento islâmico que manda mentir para defender o Islão. O post inclui vídeos de irmãos muçulmanos a assassinarem correlegionários no Egipto, para culparem o Exército.

Neste post - OBAMA : temos o caldo entornado! - contámos como Tahani al-Gebali, vice-presidente do Supremo Tribunal Constitucional do Egipto, disse que estava a chegar o tempo de todas as conspirações contra o Egipto serem expostas, afirmando que a administração Obama terá de explicar o seu tão veemente apoio à Irmandade Muçulmana.

Neste post - Friday, Bloody Friday - mostrámos mais atrocidades cometidas no Egipto pela Irmandade Muçulmana, e que a Imprensa internacional mainsteam ignora.

Neste post - O Fa'cista Bush e o Bom Califa Obama - fizemos eco de um alegado acordo secreto entre Obama e Morsi (líder da organização terrorista Irmandade Muçulmana no Egipto). 8 biliões de dólares seriam entregues a Morsi (não ao Governo Egípcio) como SUBORNO, a troco da entrega de 40% do Sinai à organização terrorista Hamas, que luta pela extinção de Israel.

Estes são apenas alguns apontamentos do que aqui temos divulgado sobre a Irmandade Muçulmana. Há muito mais, Procure a etiqueta "Egipto".

E se ainda não viu, reserve uma hora e 1/4 do seu fim-de-semana para ver este documentário. É perturbador, mas saber a realidade dos FACTOS é melhor do que viver na ignorância e ter de a pagar caro. O Egipto foi apenas um laboratório do que a Irmandade Muçulmana pretende para o Mundo: um Califado Global, governado pela Sharia, sem espaço para os "infiéis".



Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.