sábado, 5 de outubro de 2013

A Canção do Beijinho

 

O amor é lindo... mas não em toda a parte!

Adolescentes presos em Marrocos por publicarem beijo no Facebook - Público

Desde há alguns anos que Marrocos, em tempos razoavelmente liberal, tem feito uma deriva para o islamismo mais férreo, à semelhança de todo o mundo muçulmano. Os casos têm-se multiplicado e este é apenas um que cumpre os requisitos para ser publicável na Imprensa ocidental mainstream. Se quiser algo mais radical, tem por exemplo esta notícia:

- Um tribunal saudita condenou quatro homens a até 10 anos de prisão e 2.000 chicotadas por dançarem "nus" em público, informou a Imprensa nesta quinta-feira. Num vídeo postado no YouTube, vários homens aparecem a dançar em cima de um veículo na província ultra-conservadora de Qassim. Nenhum estava nu.
Arábia Saudita: prisão e chicotadas para dançarinos "nus", AFP
    O tribunal de Buraydah, capital da província de Qassim, condenou um réu a 10 anos de prisão e 2.000 chicotadas, e outro a sete anos de prisão e 1200 chicotadas, informou o jornal Al-Sharq sobre um caso que foi reportado como o dos "dançarinos nus"
    Os outros dois companheiros foram condenados a três anos de cadeia e 500 chicotadas cada um, disse a publicação.

    
Os quatro foram acusados ​​de "dançarem num veículo em público e postarem um vídeo on-line, incentivando o vício, desafiando as normas da sociedade e violando a moral pública", segundo o Al-Sharq .

    
Dois deles foram identificados como agentes de segurança.

    
A Arábia Saudita aplica uma versão estrita da lei islâmica, a Sharia, que impõe muitas restrições sociais e proibições de entretenimento público.
 
Não há realmente nenhuma versão não-estrita da Sharia. O que há é apenas a aplicação não-estrita da Sharia, em alguns lugares. Inúmeros clérigos islâmicos declaram a música como proibida, com excepção da música sacra.
Este comportamento, por exemplo, pode, quanto muito, ser tolerado:



Públicas virtudes...


 P.S. - Herman José, CUIDADO!

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.