sábado, 12 de outubro de 2013

A Solução para a Europa!


Malta avisa que Mediterrâneo está a tornar-se um “cemitério”
PÚBLICO 

 A análise da auto culpabilização ocidental:
«O mediterrâneo tornou-se uma barreira geográfica entre o tudo e o nada. Este gradiente entre o tudo e o nada, é o fundamento desta migração onde de um lado há o desespero africano e do outro o conforto e a opulência europeias. O nosso mais baixo "standart" para eles já um estatuto. Eles fogem da miséria, da fome, da guerra. Não é legítimo? Durante décadas, aguardaram que superássemos a indiferença, agora batem-nos à porta. São histórias de improviso de quem não tem nada a perder, em que o risco é proporcional à histeria desorganizada da fuga. Fingimos não ver o problema, agora bate-nos à porta. A emergência humanitária já não é a lembrança ocasional da televisão. São cadáveres que nos batem à porta. A indiferença e o seu pesadelo.»
Os factos:
«as águas europeias perto de África estão a transformar-se num autêntico “cemitério”? Estão como sempre foram ... um grande negócio. Cobram 2.000€/cabeça aos que embarcam (200 * 2000€ = 400.000€) + 100.000€ do custo de desmantelar o barco que se afunda porque já não prestava ... e sem gastar um tostão. E os lideres políticos africanos livram-se de montes de pessoas e podem chamar nomes aos europeus porque deixam morrer os africanos nas águas sem socorro.»
A solução:
«A solução é nós, cidadãos europeus, pagarmos para os irmos buscar de graça aos seus países de origem e pagarmos para os alojarmos nos nossos países e pagarmos para eles viverem dos benefícios sociais que nem nós já podemos usufruir e continuar a pagar chorudamente para os países do norte de África vigiarem as suas costas e continuarmos a pagar chorudamente para os seus países de origem não terem a necessidade de ver habitantes seus a quererem sair dos mesmos e pagarmos para eles imporem os seus valores que fizeram dos seus países de origem algo de que desejam fugir.»

A propósito destes refugiados temos escrito alguma coisa por aqui.
Ler também aqui 

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.