sexta-feira, 4 de outubro de 2013

Outros tráficos de órgãos

"Uma multidão queimou vivos dois europeus – um deles francês – na ilha de Madagáscar e linchou um habitante local. Os três eram suspeitos de traficarem órgãos humanos depois de uma criança ter sido encontrada morta numa praia, informou a polícia."
Público

O assassínio de crianças em África para tráfico de órgãos e práticas feitiçaria de tradicional é conhecido. E faltam palavras para descrever tal horror. Estes homens, implicados ou não nesses negócios abomináveis, não tiveram direito a julgamento.

Ainda bem que este caso chegou à Imprensa mainstream. Uma opinião pública esclarecida faz avançar o Mundo. Outros casos, infelizmente, não chegam. Um exemplo:


"PAQUISTÃO - Após as bombas , as atrocidades contra os cristãos , o tráfico de órgãos sobre vítimas de Peshawar ?" 
Da Agenzia Fides , 27 de Setembro 


    
Karachi (Agência Fides) - Após o ataque bombista suicida que vitimou 80 pessoas na igreja de Todos os Santos, em Peshawar, a situação permanece tensa na sociedade paquistanesa. Os cristãos disseram que estavam "horrorizados" com os rumores que ligam as bombas em Peshawar ao grande problema do tráfico de órgãos. Segundo membros de ONGs e da sociedade civil no Paquistão, citados pela Fides, alguns dos "chacais", paramédicos presumivelmente locais, parecem ter aproveitado o alto número de mortos e feridos, para roubar os corpos das vítimas e explorá-los para o comércio ilegal de órgãos". "Se isto for verdade, significa que há criminosos que se aproveitam do sofrimento das vítimas cristãs de uma forma verdadeiramente uma blasfema e sacrílega", observa o padre Mario Rodrigues, um sacerdote de Karachi.

 

Depois  bombardeio da igreja cristã, os muçulmanos colheram os órgãos das vítimas

    
"Lançamos um apelo à para uma investigação séria por parte da polícia", conclui.

   
O Paquistão aprovou uma lei para regulamentar os transplantes de órgãos em 2010, para contrariar a sua reputação como
"destino líder"  para o turismo de transplante, e para acabar com o tráfico ilegal de órgãos humanos.
Após a aprovação da lei, o tráfico ilícito abrandou, mas em 2011 muitos casos de transplantes ilegais surgiram novamente. Em Julho passado, com base nos dados de um "negócio florescente", o Supremo Tribunal emitiu directivas pedindo ao governo provincial para agir e fazer cumprir a lei. 
De acordo com as investigações da Polícia, 42 centros médicos envolvidos em transplantes de órgãos ilegais foram identificados no Punjab. 
(Agência Fides 27/09/2013)

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.