quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Prémio Nobel Árabe a caminho?...

Os judeus, sendo apenas 0,19% da Humanidade, fartam-se de ganhar Prémios Nobel. Um em cada 5 prémios dão ganhos por judeus! Já os muçulmanos, que são 1 bilião e 600 milhões, ainda só ganharam 2 prémios, se excluirmos os da paz - que perderam aliás todo o significado a partir do momento em que foram atribuídos a pessoas como o mega-terrorista Yasser Arafat. Ora isto parece-nos uma grosseira injustiça! Mas vamos a um exemplo; este clérigo saudita afirma que a condução faz mal aos ovários. Vamos traduzir:

Clérigo saudita Saleh Bin Saad Al-Lohaidan, na Rotana Khalijiya TV (Arábia saudita), 29 de Setembro de 2013:

"A mulher é fisiologicamente mais fraca que o homem. É do conhecimento geral que a pélvis feminina é mais larga que a masculina, para dar espaço ao feto. Quando uma mulher guia um carro, a sua mente está preocupada, e quando ela está sentada durante muito tempo, a sua pélvis balouça, e esse balouçar coloca pressão sobre os ovários. Por isso, na Europa, e especialmente na América do Sul - Argentina, Brasil e Peru - há leis que só permitem que as mulheres conduzam a partir dos 35 anos de idade. Por isso, na América, França e Europa, as mulheres só têm dois ou três filhos, não por causa do planeamento familiar, mas por causa das complicações no funcionamento dos ovários. Foi esta a conclusão a que cheguei!"

E chegou muito bem! Agora, que venha o Nobel, que já se faz tarde!

Dito isto, pouco valem esforços israelitas como por exemplo a intubação computorizada, a investigação de uma cura para o câncer, o combate à esclerose lateral amiotrófica ou o gel anti paralisia. São modernices que muito provavelmente se curam evitando guiar carros e passando a guiar camelos, jactos privados, iates de luxo ou tapetes voadores!

(Horas e horas de alta cultura, ciência, tecnologia e humanismo, no canal youtube do Middle East Media Research Institute)

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.