segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Sharia à solta nas ruas de Londres


A Imprensa politicamente correcta não se atreve a noticiar, mas os vídeos chegam constantemente. Mais violência brutal das patrulhas isdlâmicas que impõem a sharia (a lei islâmica) pela força, nas ruas de Londres, e em outros lugares do Mundo Livre. 

Robert Spencer, do site jihadwatch, especialista mundial em Islão, foi proibido de entrar no país para uma série de conferências. Mas estes bandidos actuam impunemente.

Este jovem estava a beber cerveja, e a patrulha islâmica espancou-o, porque é contra o Corão. Ficou com marcas para o resto da vida. Imaginemos que se tratava de uma «patrulha cristã», de uma «patrulha judaica», de uma «patrulha budista», de uma «patrulha hindu». A esta hora estaria a fazer manchetes e a abrir noticiários. Ou há uma reviravolta da opinião pública, ou teremos o fim da Europa como a conhecemos. E o fim dos Estados Unidos, atendendo à previsão de  100 milhões de muçulmanos a residir no país até ao final do mandato de Obama. No Canadá, as ameaças à segurança também são diárias. O politicamente correcto dará de mão beijada o que as guerras santas nunca conseguiram: o Califado Global.

Veja também, na peça em cima, muçulmanas emigradas nos Estados Unidos, a receberem treino militar para massacrarem os cidadãos norte-americanos. Mas quem é mau é quem divulga. Devemos estar calados e deixar que nos ataquem. E agradecer no fim, se ainda estivermos vivos.

2 comentários:

  1. Que quer dizer com "E os Estados Unidos vão a caminho, com 100 milhões de muçulmanos previstos para final do mandato de Obama"?

    FS

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vou refazer esse parágrafo. Na Europa já há 50 milhões de muçulmanos e assistimos a gangues de violadores, escravatura, assédio e perseguição da população nativa, atentados terroristas, propagação do ódio, etc.. Nos Estados Unidos, assiste-se ao mesmo, e com 100 milhões de muçulmanos que se prevê virem a viver no país até ao final do mandato do Obama, a coisa tenderá a piorar.

      Eliminar

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.