sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Uma burqa para Katy Perry!



Muçulmanos emigrados no Reino Unido e por toda a Europa, usaram a tecnologia infiel para exigir que Katy Perry se submetesse ao Islão. Eles já ditam leis no Mundo Livre. O Califado Global está perto... a não ser que o povo se revolte!

Katy Perry tornou-se mais uma escrava dos islamistas. Pamela Geller pergunta onde está a rebeldia juvenil.


Katy Perry e as suas gémeas...

Katy Perry acobarda-se perante os censores do seu vídeo, e submete-se às demandas dos selvagens

Bastaram 24 horas e Katy Perry cobardemente cedeu às exigências da supremacia islâmica.
 
Será que já não existem heróis? Em lado nenhum? Quando eu era jovem, o credo da juventude era lutar contra "o homem". Lutar contra o autoritarismo e a opressão. Exaltar o indivíduo. 
A rebeldia derrete-se agora toda, perante Obama, o governo, os opressores e supremacistas islâmicos. O que aconteceu à rebelião juvenil? À luta pela liberdade? Já não são causas juvenis?
Apoiar o estatismo é rebelião juvenil? Apoiar a medicina socializada é rebelião juvenil? Ceder aos selvagens que ameaçam mutilar, queimar e matar qualquer um que não adira ao seu direito bárbaro é... rebelião juvenil?
Pobre Katy Perry, ela poderia ter sido alguém. Ela poderia ter sido uma lutadora. Ela poderia ter sido alguém.
Os ícones de rock.n'roll costumavam ser heróis, mas agora são escravos voluntários do "homem", ou talvez que deva dizer-se do "imã".
Katy Perry aparece envolvida na bandeira americana - mas não a defendê-la. Ela deve envolver-se antes numa burka. Porque foi exactamente isso que ela fez.

Hoje foi um dia triste para a liberdade ..... O Google foi condenado a retirar o vídeo de Muhammad, que se tornou o justificativo para todos os fracassos e mentiras de Obama, e agora o hit viral de Katy Perry, "Dark Horse", foi censurado para apaziguar a raiva muçulmana e o seu totalitarismo.
Os cristãos estão a ser abatidos por atacado na Nigéria, no Sudão, no Norte de África e no Médio Oriente, e Katy Perry, criada em lar cristão devoto, inclina-se perante os selvagens supremacistas. É um dia triste, meus amigos.

ANTES DA CENSURA ISLÂMICA

 DEPOIS DA CENSURA ISLÂMICA

CLIQUE PARA TER UMA IDEIA DO QUE É O HOLOCAUSTO DOS CRISTÃOS ÀS MÃOS DO ISLAMISMO:

http://rescuechristians.org/


Isto é a jihad, a lei islâmica. música, arte, beleza, são proibidos, mas matar, torturar, violar, mutilar, são o pão nosso de cada dia. Hoje na Síria, amputação de mão a um "pecador", transmitida por tecnologia "infiel" para todo o mundo:
“Syrian extremists amputated a man’s hand and live-tweeted it” Washington Post, By Ahmed Ramadan and Liz Sly, February 28, 2014 - See more at: http://pamelageller.com/2014/02/syria-jihadists-amputate-mans-hand-live-tweets.html/#sthash.xknIiccg.dpuf

sharia amputation tweets




Já Siouxie Sioux nunca teve medo dos islamistas:

Cavaleiros Árabes 

A jóia, o prémio 
Olhando em teus olhos
Frescas piscinas afogam tua mente 
Que mais vais encontrar?

Ouvi um boato - era apenas um boato?
Ouvi um boato - o que fizeste com ela?

Miríade de luzes
Disseste que me impressionariam 
Os Cavaleiros Árabes 
No melhor do seu primitivismo

Oásis de turistas  
Reflecte-se nos guarda-sóis  
Decadente petroleiro monstruoso
É ferida que sangra em mares

Velada atrás de cortinas
Manténs a tua máquina de fazer bebés
Enquanto vais conquistar mais orifícios
Dos meninos, das cabras e das coisas
Arrancando olhos
de ovelhas 
Sem garfos ou facas

Miríade de luzes 
Disseste que me impressionariam 
Os Cavaleiros Árabes
No melhor do seu primitivismo



  

O TERRORISMO GLOBAL

Islamistas sírios da Al Qaeda violam uma cabra em grupo - com isto já não há problemas! O Islão determina que basta cortar a cabeça do animal a seguir ao acto:



Com 50 milhões de muçulmanos na Europa, já há países onde 100% das violações são cometidas por eles. O Islão autoriza, desde que as mulheres sejam infiéis. Mas falar disso é capaz de ser "islamofobia"

Os Objectivos de Israel

Uma das acusações gravíssimas que tive que ouvir, por causa de apoiar Israel contra a opinião geral que demoniza o pequeno Estado, foi a de que "quero salvar o Mundo" - Oh, pecado infame!!!

Pelos vistos, é mais uma característica maligna que partilho com o tenebroso Estado Judaico. Juntamente com o gosto pela Verdade, pelo Conhecimento, pela Liberdade, pela Democracia, pela Paz, pela Alegria, pela Natureza, pela Vida. Fosse eu um apoiante dos terroristas do "Ámas" ou do "Ésbola", e já não teria que ouvir estas tão justas acusações...


 
OS OBJECTIVOS DO ESTADO JUDAICO


Boas Notícias de Israel: A semana passada foi cheia de novidades, que incluem um dos principais objectivos de Israel - ajudar a melhorar o mundo. No caso de você ter sido inundado por notícias negativas, aqui estão alguns destaques edificantes:


Por Michael Ordman

Poupar vidas inocentes é um objectivo superior para os israelitas. Enquanto o número de mortos aumenta na guerra civil da Síria, Israel continua a tratar centenas de feridos do conflito nos seus centros médicos e nos hospitais de campo do IDF ( Forças de Defesa de Israel).  Enquanto isso, o Corpo Médico do IDF e o Departamento Médico da Força Aérea Americana, assinaram um pacto para compartilhar e desenvolver técnicas e tecnologias que vão salvar vidas durante missões de resgate humanitário. Longe do campo de batalha, agradecimentos ao doador anónimo que respondeu a um pedido urgente no Janglo - um dos programas informativos favoritos de Israel. Os médicos do Centro Médico Beilinson de Israel transplantaram o rim desse doador numa mãe de 5 filhos, muito doente, de  Ashdod.

- Outro bandido que quer salvar o Mundo! IRRA!!!

Os objectivos humanitários de Israel acabam de receber um grande impulso das Nações Unidas. Israel juntou-se ao sub-grupo de direitos humanos das Nações Unidas para os Estados Ocidentais, e também foi agraciado com o estatuto de observador da Aliança do Pacífico das Nações Unidas. E nesse âmbito já começou a ajudar em questões sociais e humanitárias globais. Israel está a fornecer simultaneamente ajuda a centenas de países, por exemplo a apoiar a recuperação económica da Jamaica, ajudando a transformar a ilha num centro de logística global.

A tecnologia da água de Israel sustenta o objetivo do Estado Judaico que é eliminar a seca. O Presidente da UE falhou totalmente o entendimento de que, se os nossos vizinhos realmente buscassem a paz, haveria amplo abastecimento de água para toda a região. Na nova unidade de dessalinização em Sorek, Israel pode produzir 624 mil metros cúbicos de água por dia, mas, ironicamente, a política da UE impede os países europeus de trabalharem com Israel para construir instalações para o tratamento de águas residuais da Autoridade Palestina. Israel também está a trabalhar para eliminar a fome.  Faça uma viagem ao Centro Vidor de Arava para ver como um deserto foi transformado na jóia da coroa da agricultura israelita.




Os objectivos da Medicina israelita não são apenas salvar  vidas, mas também aliviar o sofrimento. A Medigus, de Israel, acaba de lançar o seu endoscópio flexível para o tratamento de refluxo ácido. Este procedimento ambulatorial simples pode beneficiar mais de 16 milhões de pessoas com refluxo ácido que não respondem à medicação. O inovador LabStyle de Israel está já a distribuir o seu dispositivo de monitorização de glicose no sangue Dario, na Austrália, o que vai tornar a vida muito mais simples para alguns dos 1,2 milhões de australianos oficialmente diagnosticados com diabetes.


Muitos vêem os objectivos de Israel como uma luz para as nações. O ex-primeiro-ministro espanhol José Maria Aznar concorda, afirmando que Israel é estrategicamente vital para uma Europa segura, próspera e influente. E, acredite ou não, o Reino Unido quer que Israel leve a sua tecnologia ao mundo árabe. O grupo Reino Unido-Israel de Tecnologia Hub, organizou o Programa Global para Empreendedores, com conteúdo digital árabe. 

A israelita Cyactive tem um objectivo ambicioso - o fim a todos os vírus de computador. O sistema Cyactive detecta o núcleo de qualquer vírus, porque 98% do código dentro de um novo vírus é copiado de vírus existentes. A SoftWheel de Tel Aviv tem uma meta bem definida - uma viagem confortável, em cadeira de rodas, de bicicleta ou em aeronaves. Mas, para atingir esse objectivo, a SoftWheel literalmente re-inventou a roda. A sua "suspensão selectiva" estende ou encolhe o eixo da roda quando se depara com um obstáculo, reduzindo drasticamente o choque transmitido. 

Quatro israelitas alcançaram recentemente algumas metas individuais espectaculares. doutorando da Universidade Hebraica de Jerusalém, Yossi Kabessa, ganhou a medalha de ouro no Desafio Singapura e 100.000 dólares, na Cimeira Global de Jovens Cientistas. Ele projectou um sistema para detectar materiais perigosos em grandes sistemas de abastecimento de água. O Professor Yair Reisner, do Instituto Weizmann, ganhou um dos Prémios Rappaport de Israel pelo seu tratamento da leucemia com células-tronco de doadores compatíveis. O outro vencedor foi o Dr. Yaakov Nahmias, da Universidade Hebraica de Jerusalém, que descobriu que a molécula de toranja naringenina pode bloquear vírus. E o golo que impressionou o mundo do desporto foi marcado pelo jogador de futebol do Maccabi Tel Aviv, Barak Yitzhaki. Ele executou o famoso pontapé de bicicleta  na perfeição.

 

Finalmente, é objectivo de todos tentar permanecer de boa saúde. Qualquer um que planeie fazer uma viagem ao Estado Judaico ficará feliz por saber que os custos de frutas e legumes em Israel são mais baixos - às vezes significativamente mais baixos - em comparação com os preços de frutas e vegetais nos Estados Unidos e Europa Ocidental. Com a tecnologia israelita, todos nós podemos esperar alcançar a meta de uma vida longa e produtiva, como o rabino Zacarias Barashi, que, com os seus 114 anos, é o judeu mais antigo do mundo. A mente do rabino Barashi mantém-se forte como era em 1936, quando emigrou para Israel vindo do Curdistão. Ele diz: "Eu tive a sorte de viver em Jerusalém por 75 anos. Eu estou no céu."

Israel pode ajudar-nos a todos a alcançar os nossos objectivos.
Michael Ordman escreve um boletim semanal gratuito contendo histórias positivasnotícias sobre Israel.

www.verygoodnewsisrael.blogspot.com

Para uma assinatura gratuita, enviar e-mail um pedido para michael.goodnewsisrael @ gmail.com

Data: 19 de Fevereiro de 2014


Israel  tem 20.770 km². Portugal, tem 91.985 km². Tente descobrir Israel no mapa e compare a sua área com a dos países islâmicos mais próximos (em cores diversas), cujo objectivo nº 1 não é contribuir para um mundo melhor, mas apenas a destruição de Israel. E agora imagine que Israel não tinha em cima de si o peso de uma luta desigual de 14 milhões de almas contra 1 bilião e 600 milhões...


Bom fim-de-semana! Shabbat Shalom!

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

O Insulto Final

 

O resumo dos acontecimentos



Os dois terroristas muçulmanos que decapitaram o soldado Lee Rigby obtiveram do Tribunal britânico uma sentença que lhes permitirá sair em liberdade condicional. Ainda assim, irromperam em gritos de Allahu Akbar, agrediram os guardas e juraram que o Reino Unido e os Estados Unidos nunca estarão a salvo.



A cena do crime - que os tarados da conspiração juram por aí que nunca ocorreu, apesar de tudo ter sido gravado por pessoas que passavam.

Assassinos muçulmanos que decapitaram Lee Rigby em Londres, gritam: "Allahu Akbar! Vocês (Grã-Bretanha) e a América, nunca estarão seguros"
O governo britânico proibiu Robert Spencer e Pamella Geller de colocarem uma coroa de flores no local do assassinato de Lee Rigby. Quem são afinal os que não compreendem o Islão? Michael Adebolajo e Michael Adebowale, Pamela Geller e Robert Spencer, ou a capitulação do Governo Britânico.  
Estes dois muçulmanos devotos, em vez de enfrentarem um pelotão de fuzilamento, podem ser propostos para liberdade condicional.

 ----------------------


 
"O insulto final à família de Lee Rigby; os seus assassinos muçulmanos agridem os guardas e gritam "Allahu Akbar" enquanto são arrastados para fora da sala de audiências - antes de o juiz lhes dar pena perpétua que não será perpétua" 
Daily Mail

  Família Rigby diz: "Sentimo-nos convencidos de que foi feita justiça  por Lee"
 
  Michael Adebolajo e Michael Adebowale foram considerados culpados em Dezembro 
  Adebolajo, 29, ficará a vida toda na prisão; e Adebowale, 22, fica 45 anos 
  Adebowale poderá ser libertado e voltar às ruas aos 67 anos 
Ambos irromperam em violência no Tribunal, enquanto a família Rigby se mostrava horrorizada 
 Ambos atacaram Rigby em Woolwich e massacraram-no 
Rebecca Rigby diz que o filho Jack tem que "suportar" as imagens do seu pai morto 
Três pessoas presas fora do tribunal de Londres, onde manifestantes de extrema direita se  reuniram

Os terroristas irromperam em protesto

Por Martin Robinson e Mark Duell e Chris Greenwood

A violência eclodiu no banco dos réus do Old Bailey hoje, quando os  assassinos de Lee Rigby começaram a insultar juiz e a agredir os guardas da prisão, durante a sua sentença.


A Michael Adebolajo, 29 anos, foi dada pena de prisão perpétua, enquanto Michael Adebowale, 22 anos, foi condenado à prisão perpétua com um mínimo de 45 anos - o que significa que poderá estar de volta às ruas com a idade de 67.

Em cenas extraordinárias, os dois extremistas muçulmanos gritaram 'Allahu Akbar' e 'Vocês (Grã-Bretanha) e a América, nunca mais estarão seguros", durante a sua sentença, no tribunal do centro de Londres. 

A sentença teve que ser lida na ausência dos semelhantes da Isabel G., que irromperam numa das suas fúrias islâmicas.
Quando a sentença começou a ser lida, os dois homens gritaram ao juiz Sweeney em protesto contra as suas observações, foram travados por vários seguranças e levados de volta para as suas celas.

- É óbvio que protestaram, pois, segundo a sua religião, matar infiéis é um acto tão louvável quando na nossa é dar comida e agasalho aos pobres!


O juiz foi forçado a condenar os homens na sua ausência depois de terem sido expulsos do tribunal, após a sua violenta explosão de cólera.

Os assassinos tiveram que ser agarrados por nove seguranças, e a família de Rigby começou a soluçar enquanto observava o incidente, em choque, sendo-lhes entregues lenços por funcionários do tribunal.
O juiz disse que o comportamento dos dois foi "doentio e cruel", e que Adebolajo não tem esperança de reabilitação.
"A vossa conduta repugnante e impiedosa contrasta com a compaixão e bravura demonstrada por várias mulheres no local, que protegeram o corpo de Lee Rigby e desafiaram o que vocês fizeram e disseram".

- Esta gente só é corajosa em grupo, ou armada, contra gente desarmada. 

A luta no banco dos réus começou quando os assassinos, ambos envergando vestes islâmicas, reagiram com irritação aos comentários que o Sr. Juiz Sweeney fez sobre as suas crenças extremistas. Ele disse-lhes: "Cada um de vocês converteu-se ao islamismo há alguns anos. A partir daí vocês radicalizaram-se e cada um tornou-se um extremista, defendendo pontos de vista que, como já foi dito em outros lugares, são uma traição ao Islão."

- Mas não são. O Islão manda efectivamente decapitar os infiéis! E boa parte dos clérigos mantém esses ensinamentos:

"Quanto aos cativos, o emir [governante] tem a opção de tomar a acção mais benéfica segundo quatro possibilidades: a primeira, condená-los à morte, cortando-lhes o pescoço, a segunda, escravizá-los e aplicar as leis de escravidão em relação à sua venda e alforria, a terceira, resgatá-los em troca de bens ou prisioneiros, e a quarta, para mostrar bondade,  é perdoá-los. Allah (que seja louvado), diz: "Quando encontrares aqueles [infiéis] que negam [a Verdade = o Islão , então corta-lhes [os seus] pescoços" (Alcorão sura 47, verso 4)" - Abu'l-Hasan al-Mawardi, al-Ahkam as-Sultaniyyah (As Leis de Governança Islâmica), trans. por Dr. Asadullah Yate, (Londres), Ta-Ha Publishers Ltd., 1996, p. 192.

Vestindo todo de preto Adebolajo provocou a violenta explosão de cólera, primeiro dizendo 'mentiroso', e  em seguida, saltando no ar a gritar 'é mentira', directamente para o juiz.

- E teve toda a razão; ele não é um "radical", é apenas um muçulmano cumpridor!

Adebowale ameaçou a América e a Grã-Bretanha, e o seu cúmplice juntou-se-lhe, gritando "Allahu Akbar", e atacando os guardas da prisão que derrubou.
(...) O juiz fez questão de que a família estivesse recomposta antes de reiniciar o seu discurso. Ele disse que o assassinato também traiu "as comunidades muçulmanas pacíficas, que dão tanto ao nosso país".

- Dão "tanto" de quê?????

O juiz disse que os homens tinham realizado a matança para mostrar "os seus pontos de vista extremistas, matando um soldado em público em plena luz do dia, por forma a gerar o máximo de cobertura dos media" (...)
 
O juiz Sweeney acrescentou: "Não é exagero dizer que o que vocês dois fizeram resultou num banho de sangue". Adebolajo tentou decapitar o soldado, enquanto Adebowale o esfaqueou no peito. 'Vocês dois vangloriaram-se do que fizeram" disse o juiz ao tribunal, e acrescentou que o acto terá um "impacto grave e duradouro" sobre os entes queridos da vítima.

Houve também cenas dramáticas fora do Old Bailey, com estradas cortadas perto do tribunal, e  membros do público vaiando os prisioneiros.

Três pessoas foram presas fora do Old Bailey, ontem, quando manifestantes de extrema direita se reuniram para exigir a condenação dos dois fanáticos muçulmanos.
- No jargão da Imprensa, são de "extrema-direita" todos os que se opõem ao supremacismo islâmico.
Dezenas de manifestantes reuniram-se em frente do edifício do tribunal, agitando bandeiras da União e cantando.
Um porta-voz da Polícia da Cidade de Londres, disse que dois homens foram presos, um por suspeita de lesão corporal real, e outro por tumulto. Uma mulher foi presa por suspeita de embriaguez e desordem.
O porta-voz da polícia disse que havia uma "presença policial significativa" na área. A rua foi fechada em ambas as direcções fora do tribunal.
Os defensores do Partido Nacional Britânico e da Liga de Defesa Inglesa reuniram-se em torno de uma forca que tinha sido construída na rua, e transportavam muitos cartazes que diziam: "Restaurem a pena capital". A multidão aplaudiu quando as sentenças foram anunciadas.
Os condenados eram antigamente levados do Old Bailey pelo 'Caminho da Morte', para serem executados na forca. Esta prática acabou em 1868.
Centenas de pessoas acotovelaram-se na rua estreita (...)
Sons de cânticos, sirenes e interpretações do hino Jerusalém, foram ouvidos dentro do tribunal. A polícia foi forçada a fechar a porta.
Os dois terroristas islâmicos foram conduzidos do tribunal para a cadeia. O juiz teve que ler a sentença na sua ausência, devido aos protestos de ambos.
A família do malogrado Lee Rigby envergou camisolas com pedido de justiça para o seu familiar assassinado

 - Os dois terroristas islâmicos justificaram este assassínio com a "invasão" ocidental de países muçulmanos - que dão abrigo a terroristas islâmicos que atacam o Mundo Livre. Outros terroristas islâmicos não deixarão agora de "vingar" estes dois terroristas islâmicos. Esta gente não tem capacidade de analisar a malvadez dos seus actos, considerando-se sempre vítima!
“The final insult: Court terror for Lee Rigby’s family as his Muslim killers are dragged from dock shouting ‘Allahu akbar’ while fighting prison guards – before judge tells them life will NOT mean life, - See more at: http://pamelageller.com/2014/02/muslim-killers-beheaded-lee-rigby-london-street-scream-allahu-akbar-britain-america-will-never-safe-sentencing-hearing.html/#sthash.hoo3RRRy.dpuf

"O Islão não é uma religião"

Este conhecido muçulmano moderado afirmou sem rodeios que o Islão não é uma religião, que é um modo de vida". É todo um modo de vida, incluindo um sistema político - algo que os apologistas islâmicos no Ocidente em geral negam. O Islão é incompatível com todos os valores que temos por mais agrados na nossa civilização: a democracia, a liberdade, os direitos humanos, a igualdade, a paz.



Tareq al-Suwaidan viveu 17 anos nos Estados Unidos, e discursa frequentemente para grupos muçulmanos na Grã-Bretanha, Canadá e Austrália. Um orador extremamente popular, al-Suweidan ganha mais de um milhão de dólares por ano com as suas palestras sobre o Islão. Em 2000, al-Suwaidan dirigiu-se a um Círculo Islâmico da conferência América do Norte, e disse que os muçulmanos devem emitir um aviso aos não-muçulmanos no Ocidente: 

"Temos de dizer ao Ocidente que estamos a estender-lhe a mão em paz, agora - mas que não será assim por muito tempo. Mesmo quando uma civilização está pronta a desmoronar-se (como está a acontecer agora no Ocidente, com todas as características de deterioração dos últimos impérios caídos), eles não cairão até que nós, os muçulmanos, nos esforcemos para lhes dar esse último empurrão, a última palha que vai dobrar as costas do camelo".

Muslim group slaughters 43 children in Nigerian school, children burned alive, Jihadists shot and slit the throats of children who tried to escape through the windows - See more at: http://pamelageller.com/2014/02/muslims-group-slaughters-43-children-nigerian-school-children-burned-alive-jihadists-shot-slit-throats-children-tried-escape-windows.html/#sthash.DyLh6TqF.dpuf
Muslim group slaughters 43 children in Nigerian school, children burned alive, Jihadists shot and slit the throats of children who tried to escape through the windows - See more at: http://pamelageller.com/2014/02/muslims-group-slaughters-43-children-nigerian-school-children-burned-alive-jihadists-shot-slit-throats-children-tried-escape-windows.html/#sthash.DyLh6TqF.dpuf

 ------------------------

"O Islão não é uma religião, mas um modo de vida, diz escritor Kuwaitiano"
por Opalyn Mok para o  Malay Mail, 25 de Fevereiro:A auto-descrito "muçulmano moderado", cujos programas de televisão atraem milhões de espectadores em redes de satélite no Médio Oriente, também disse que o objetivo do Islão é a criação de um Estado que administre a justiça sem discriminar a cor da pele de uma pessoa, género ou credo.

"O Islão não é uma religião. É um modo de vida que nos ensina sobre a nossa relação com Deus e com o universo, e  a nossa relação com a ética, com a economia e o nosso sistema político", disse ele numa palestra organizada pela Fundação Islâmica Penang e apoiada pelo Estado, sobre "O futuro do Islão". 
Ele disse que aqueles que não entenderem as estruturas do Islão, "não entendem a sua própria essência". 
Por causa disso, disse ele, é que o Islão tem sido mal interpretado como sendo opressivo e sexista, quando o Alcorão afirma claramente que há igualdade, liberdade de expressão, e que a liberdade é para todos.

"Se nós tivermos um Estado onde todos sejam livres para seguir qualquer partido de que gostem, eles acabarão por votar e escolher o Islão, porque acreditamos na liberdade e na justiça social", disse Tareq perante um auditório esgotado de cerca de 150 pessoas.

- Portanto: não existe nenhum país muçulmano livre e democrático, mas pode vir a haver... desde que livre e democraticamente escolha o Islão! Ah, grande Tareco!!!
 Mas Tareq também advertiu contra o confundir essas liberdades como o direito de insultar o outro, ou praticar  má ética, dizendo que o Islão franze a testa sobre eles.

- Ou seja: liberdade e igualdade, desde que não se questione o sistema supremacista, ditatorial, machista e opressor que é o Islão! Boa malha, ó Tareco!


Desafios para o Islão

Tareq disse que o Islão enfrenta cinco desafios-chave no mundo muçulmano de hoje.

"Os três primeiros problemas - comportamento, falta de eficácia e atraso - são os resultados ou sintomas de dois grandes problemas - os nossos estudiosos e líderes", disse ele.

"A própria essência do objetivo do Islão, que a maioria dos estudiosos islâmicos e muçulmanos desconhece, é que estamos destinados a criar felicidade para toda a humanidade. Isto inclui os não-muçulmanos, porque nós temos um sistema que pode realizar isso", acrescentou.

- Lembramos que o Islão destina aos infiéis o pagamento de tributo (sempre "com humilhação"), a escravidão ou a morte. Belas perspectivas de "felicidade"

Tareq, que é um dos 138 estudiosos islâmicos que em 2007 escreveu uma carta aberta aos líderes cristãos em todo o mundo conhecida como "Uma palavra comum entre nós e vós", disse que aqueles que optarem por não seguir o Islão não deve ser coagidos a fazê-lo.

- Quanta bondade!!! Suponho que devemos estar agradecidos por nos ser dado o direito de não nos convertermos, apesar do pequeno pormenor de nos restar o imposto, a escravidão ou a morte, consoante o humor do imã...

"Nós não devemos forçá-los, mas podemos ter a liberdade de lhes mostrar o que é o Islão, para que eles possam entender o Islão", disse ele.

O líder da Irmandade Muçulmana do Kuwait disse que tem havido muitos estudiosos islâmicos que emitiram decretos religiosos, ou fatwas, que se basearam não nos preceitos do Islão, mas no costume e tradição, o que despertou maior confusão quando eles foram apresentados como um facto.

- Terá sido o caso da fatwa que determina que mulher que vai ao mar vai cometer adultério com o mar, por este se lhe imiscuir nas partes baixas???

"As fatwas que ordenam que as pessoas sejam mortas é anti-islâmica e desumana", disse ele, sem se referir a qualquer pessoa especificamente, em resposta a uma pergunta.

Tareq disse que o uso de tais fatwa foi aplicado em massa no Egipto anteriormente.

- Precisamente! Asassínios, estupros, tortura, incêndio e demoliçaõ de igrejas cristãs pelos seus irmãos da Irmandade Muçulmana, ainda há poucos meses. É um excelente conforto para os mortos e para as suas famílias o Tareco vir agora dizer que foi por enagno!
"Isso foi feito no Egipto,  matar em nome da religião, mas se lermos o Alcorão, não existe tal coisa", disse ele.

- MENTIRA! Obviamente! Mais um caso de taquyia, a "mentira sagrada" que o Islão prevê para enganar os infiéis!
"Quanto aos cativos, o emir [governante] tem a opção de tomar a acção mais benéfica segundo quatro possibilidades: a primeira, condená-los à morte, cortando-lhes o pescoço, a segunda, escravizá-los e aplicar as leis de escravidão em relação à sua venda e alforria, a terceira, resgatá-los em troca de bens ou prisioneiros, e a quarta, para mostrar bondade,  é perdoá-los. Allah (que seja louvado), diz: "Quando encontrares aqueles [infiéis] que negam [a Verdade = o Islão , então corta-lhes [os seus] pescoços" (Alcorão sura 47, verso 4)" - Abu'l-Hasan al-Mawardi, al-Ahkam as-Sultaniyyah (As Leis de Governança Islâmica), trans. por Dr. Asadullah Yate, (Londres), Ta-Ha Publishers Ltd., 1996, p. 192.
 Ele focou aqueles a quem chamou estudiosos "tradicionalistas", cujo conservadorismo levou a que os muçulmanos moderados fossem vistos como infiéis.

- Afinal, os muçulmanos seculares que no Egipto, na Turquia ou na Tunísia, se têm batido por reformas e pela democracia, estão acima dos "infiéis". A teologia do Tareco é fascinante...
 Ele disse que muitos estudiosos islâmicos "tradicionais" vêem os muçulmanos liberais como uma ameaça à sua fé, e rejeitam os seus ensinamentos."Eu acredito que aqueles que nos rejeitam o fazem fora da tradição e não no que lhes foi ensinado pelo Alcorão", disse ele.

- E voltou a mentir! O Alcorão manda matar os infiéis, e o que ele, se realmente fosse "moderado", faria, seria declarar ultrapassados esses preceitos, como o têm feito as religiões propriamente ditas.
 Tareq marca a nova geração de estudiosos islâmicos, que compartilham as suas visões e não seguem cegamente a tradição.
- O que, em termos práticos significa apenas uma coisa: NADA!
Tareq também compartilhou a sua visão acerca da proibição do uso da palavra "Allah" pelos não muçulmanos, que tem impulsionado uma cisãoprofunda entre a maioria muçulmana da Malásia e os seus compatriotas não-muçulmanos.

"Eu acho que aqueles que proibiram o uso da palavra "Allah" por não muçulmanos estão a ser demasiado sensíveis", disse.
- Um modernaço! Um libertário! Um doidivanas! Fujam!
Proibir os não-muçulmanos de proferirem a palavra irá estimular sensibilidades entre as raças,  disse Tareq, acrescentando que tal visão pode resultar em os muçulmanos serem vistos como fracos.
- Estamos esmagados com tanta clarividência! 
"Esta mesma palavra foi usada pelos não crentes durante o tempo do Profeta Mohamed, 'Alá  O Deus'", disse ele.Como vários outros estudiosos muçulmanos que manifestaram apoio à Igreja, Tareq disse duvidar que os não-muçulmanos da Malásia abusem  do uso da palavra.

"Suponha que temos um árabe que não é muçulmano, que palavra ele pode usar então?", Perguntou Tareq."Afinal de contas, 'Allah' é uma palavra árabe para Deus", disse ele.
- Mais taqyia, Allah não é o Deus dos cristãos e dos judeus - tanto assim que Allah ordena o extermínio destes!
-------------------------------

Mas as teologias do Tareco absolutamente nada interessam, nem a nós nem a ninguém. O que à Humanidade interessa, é que as religiões sejam efectivamente religiões, que se dediquem a sê-lo, e não a exterminar e aterrorizar as pessoas!
O que realmente interessa saber sobre o Islão é ISTO:
Listas dos atentados terroristas ocorridos desde o 11 de Setembro, os locais onde ocorreram, as vítimas que causaram, as religiões atingidas e outros dados. Caso queira consultar, aqui vai:



LISTA DOS ATAQUES TERRORISTAS ISLÂMICOS DE 2004

LISTA DOS ATAQUES TERRORISTAS ISLÂMICOS DE 2005

LISTA DOS ATAQUES TERRORISTAS ISLÂMICOS DE 2006

LISTA DOS ATAQUES TERRORISTAS ISLÂMICOS DE 2007


LISTA DOS ATAQUES TERRORISTAS ISLÂMICOS DE 2008

LISTA DOS ATAQUES TERRORISTAS ISLÂMICOS DE 2009

LISTA DOS ATAQUES TERRORISTAS ISLÂMICOS DE 2010

 LISTA DOS ATAQUES TERRORISTAS ISLÂMICOS DE 2011

 LISTA DOS ATAQUES TERRORISTAS ISLÂMICOS DE 2012

 LISTA DOS ATAQUES TERRORISTAS ISLÂMICOS DE 2013 (1º SEMESTRE)
Sites de interesse: