domingo, 9 de fevereiro de 2014

Eurábia? Não, Obrigado!

O senhor da imagem é um muçulmano a viver na Europa. É casado com uma prima direita, não gosta de preservativos e não trabalha. A prole cresce. Nós pagamos - para já, em dinheiro...

O que quer a Esquerda Caviar? - Islamização da Europa, naturalmente!


A Suíça leva a referendo os limites à imigração. Nem o Al Público, com a sua costumeira parcialidade pró-islamista, consegue esconder que os limites são à imigração islâmica, e não à imigração em geral.

Numa peça de antologia, a jornalista que sabe escrever Saddam Hussein em Arábico, tenta injectar nos leitores a ideia de que só os ignorantes é que votaram contra os minaretes e que só os brutos é que se recusam a ser islamizados.

4% de muçulmanos numa comunidade, pode parecer pouco, mas são já números irreversíveis na quantidade de problemas ligados a doutrinação do ódio, ameaças terroristas, colonização cultural, violência, violações, escravatura sexual, terrorismo, criminalidade, assassínios, mutilação genital feminina, casamentos de crianças com adultos, guerra demográfica, colonização cultural e exploração financeira dos nativos.

Há 50 milhões de muçulmanos na Europa. Os ataques aos judeus (que são 1 milhão e meio na Europa), incluindo assassinatos e tortura, têm-se multiplicado. Os neo-nazis, a extrema esquerda europeia e lunáticos anti-semitas new-age como o Roger Waters, encontraram nos muçulmanos os aliados e os catalisadores para a nova Solução Final:


 
No dia 27 de Janeiro - dia da Memória do Holocausto -  uma manifestação anti-Hollande foi parasitada pelos muçulmanos, pela extrema-direita e pela extrema-esquerda, que cantou slogans nazis, nomeadamente a exigir o regresso das câmaras de gás. As imagens falam por si. Os judeus europeus vão fugindo para Israel. Os muçulmanos ficam. O horror nazi está de volta, só que desta vez vem de turbante.

 

"A única religião que respeito é o Islão. O único profeta que admiro é Maomé" - Adolf Hitler


Este muçulmano convertido, escocês, andava pela rua em «patrulhas islâmicas» a ameaçar e agredir cidadãos britânicos por comportamentos «errados» à luz do Islão, tais como beber cerveja, festejar ou as mulheres andarem sem véu islâmico.


Falamos de FACTOS, ainda que cientes de que a esquerda festiva, mal ouve falar de factos, desata a gritar histericamente "Racismo!" e outras palermices que tais - também muito usadas pelos islamistas para explorarem os complexos de inferioridade e de culpa dos ocidentais. 



O Islão não é compatível com a Democracia - nem quer ser!

O Islão não é uma "raça"; como o Comunismo e o Nazismo, é um sistema fascista, supremacista, opressor, totalitário, incompatível com a Liberdade, a Democracia, o progresso material e espiritual da Humanidade. Se o Islão não se reformar, não tem lugar num Mundo que todos queremos melhor, mais justo, mais pacífico, mais livre.

Islão; O Que o Ocidente Precisa de Saber - veja esta parte 1 e o documentário todo, que vale a pena.


Os ocidentais ainda não perceberam bem que o Islão despreza os nossos valores, e que na sua visão, impor a religião "certa" aos infiéis é uma obra de caridade:



A islamização da Europa é uma questão simples de matemática, e os muçulmanos estão assumidamente em guerra demográfica:


A islamização da Europa vista de Israel e o anti-semitismo islâmico na Europa, com o seu cortejo de horrores:



Os europeus tardam a compreender que o Islão é incompatível com qualquer outra cultura. O Islão é supremacista, e entende que são os anfitriões que se devem vergar aos seus costumes:



Em Londres, como em tantas outras cidades europeias, já há patrulhas islâmicas a imporem a lei sharia aos nativos. Só a esquerda-caviar é que não quer ver. O resto do público começa a acordar, não obstante os esforços desesperados dos media, quase todos pró-islamistas:


Um de muitos vídeos regularmente censurados na Internet:



No Islão, a escravatura sexual das mulheres infiéis é aceite e encorajada. Daí que em certas cidades europeias o total de violações seja cometido por muçulmanos, que vêem as nossas mulheres como prostitutas, por não serem muçulmanas. Abundam os gangues de violadores islâmicos, e nas ruas, em manifestações, já exigem as mulheres europeias como despojos de conquistadores - que é como muitos muçulmanos se vêem.

Ver  A Taqiyya e a Jihad Sexual

Uma coisa que nos surpreende sempre é haver tantas mulheres na Europa que odeiam Israel e o Mundo Livre em geral, e que acolhem bem a islamização. Ver a nossa etiqueta MULHERES.



Os muçulmanos trouxeram o anti-semitismo de volta para a Europa. Não apenas no campo da rectórica, mas na perseguição física, nos assassínios mesmo. Os judeus europeus estão na primeira linha das vítimas da trágica islamização da Europa, com a cumplicidade dos media, que calam a realidade e alimentam a visão romântica do Islão:
 

50 milhões de muçulmanos na Europa, e 80% deles não trabalham, vivendo à custa dos contribuintes e na criminalidade. Há na Europa 1 milhão e meio de judeus, que são cidadãos normais e cumpridores, trabalhadores e ordeiros, como por exemplo os portugueses emigrados. Em tempos de crise financeira, a ira popular vira-se contra os judeus. Vícios antigos...


As belas tradições islâmicas:  os muçulmanos só comem carne de animais abatidos com requintes de crueldade. E porque os muçulmanos assim exigem, o Mundo Livre é obrigado a comer desta carne. Os activistas dos direitos dos animais - geralmente de esquerda - não abrem a boca para falar destas atrocidades, que reverenciam como "tradições culturais superiores à nossa sociedade capitalista e degradante":




Londristão, Belgistão, a Europa vai-se islamizando:



Poderíamos estar aqui literalmente durante semanas, a postar evidências da colonização islâmica da Europa (e do Mundo Livre em geral). Isto é apenas uma amostra. Para saber mais, veja se faz favor o nosso separador ISLAMIZAÇÃO DA EUROPA, com milhentas histórias ilustrativas. 

Não deixe de visitar o OBSERVATÓRIO DA ISLAMIZAÇÃO.

Veja também sites como estes:


E não esqueça que o Islão está em guerra aberta e assumida contra o Mundo, desde o 11 de Setembro de 2001, a caminho do almejado Califado Global. Desde essa data que se registaram 22418 atentados terroristas. cometidos pela Religião da Paz, com número incalculável de mortos e de feridos graves.

Alguns mais mediáticos que outros, como por exemplo o próprio 11 de Setembro, os atentados de 7 de Julho de 2003 em Londres, os de 11 de Março de 2004 em Madrid, os da Maratona de Boston no ano passado, as dezenas de pessoas que foram pelos ares em Volgogrado/Rússia em três ataques suicidas de protesto contra... os Jogos Olímpicos, os 80 católicos que noutro dia na Índia foram igualmente pelos ares à saída da Missa de Domingo, os aldeões do Mali, regularmente degolados por não se converterem ao Islão, etc., etc..

O site www.thereligionofpeace.com tem a contabilidade anual, mensal, semanal e diária do morticínio causado pela presente guerra do Islão contra O Mundo Livre.

22418 atentados até pode parecer pouca coisa. É um número. Mas é um número que representa um desastre para o Mundo e uma carga de sofrimento incalculável. Desde o 11 de Setembro que o Islão mata mais gente num ano do que a Inquisição matou em 350 anos, em tempos em que se matava por dá cá aquela palha. E os intelectualóides continuam a bramir contra a Inquisição, já morta e enterrada, mas não se lhes ouve uma palavra contra o Islão.

Aqui vão as contas semanais da jihad, a guerra santa islâmica. As outras religiões do mundo (milhares delas), todas juntas, mataram ZERO pessoas, feriram ZERO pessoas, cometeram ZERO ataques:

Contas semanais da Jihad Fevº 01 - Fevº 07
 Ataques Terroristas:
51
 Allahu Akbars*:
14
 Mortos:
273
 Feridos Graves:
469
 *Ataques Suicidas
Alguma Imprensa começa a acordar:

Que o referendo da Suíça possa ser bem sucedido na defesa dos valores da Democracia, da Liberdade, da Civilização!

5 comentários:

  1. Os muçulmanos invadem a Europa e, os europeus viraram Pederastas podres fazendo Paradas de Gays!

    ResponderEliminar
  2. O califado global deixará Hitler e os nazistas no chinelo. O cenário está montado e é horrendo. Será a terceira guerra mundial! Que Deus vença Ala!

    ResponderEliminar
  3. Os muçulmanos vão salvar a Europa da ditadura do holocau$to judaico!

    ResponderEliminar
  4. Queira explanar tão brilhante teoria, excelente amigo!

    Israel Bloom

    ResponderEliminar

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.