quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

TERRORISMO - OK! MAMINHAS - KO!

Senhor Ministro, não castigue a atleta! Estamos no século XXI, e não no século VII. Confira aqui, sff..

Jackie Chamoun, esquiadora libanesa a residir na Suíça, é capaz de estar metida em grandes sarilhos com o comité olímpico do seu país, por alegadamente ter posado em topless. Não posou coisa nenhuma, que a foto é a que se apresentamos em baixo. O que se passou foi que algum engraçadinho publicou filmagens da sessão de fotografias e a atleta aparece de seios à mostra.


Ministro do Desporto do Líbano manda procurar fotos de esquiadora olímpica em topless
BEIRUTE - O Ministro do Desporto e da Juventude ordenou uma investigação para encontrar fotografias e um vídeo em que uma esquiadora olímpica do país supostamente aparece em topless.
A ordem de Faisal Karameh foi noticiada pela Agência Nacional Notícias do Líbano na terça-feira, um dia depois de um vídeo ter aparecido na internet, mostrando Jacky Chamoun e outra rapariga em topless, com a esquiadora libanesa posando para um fotógrafo nas encostas do resort de Faraya, no Líbano. 
Chamoun é uma de dois atletas que competem pelo país árabe em Sochi. 
A esquiadora de 22 anos admitiu na sua página no Facebook que posou para um fotógrafo há três anos. Ela disse que o vídeo e as fotos pertencem a uma sessão de fotos para um calendário de esqui na Áustria. 
"Isto não deveria vir a público", escreveu Chamoun. "Eu sei que o Líbano é um país conservador e esta não é a imagem que reflecte a nossa cultura. Compreendo perfeitamente se me quiserem criticar por isso."

Chamoun também pediu para o vídeo e as fotos não serem compartilhados, agora que ela está nos Jogos Olímpicos.

"Não o fazerem vai ajudar-me a concentrar-me no que é realmente importante agora: os meus treinos e a corrida", disse ela.


O Líbano é um país vizinho de Israel, que regularmente ataca a única democracia do Médio Oriente e abriga grupos terroristas anti-Israel, como o Hezzbollah.  À luz da cultura oficial do país, os seios femininos são assunto de Estado e crime público. Enquanto isso, a TV nacional mostra com toda a naturalidade um bebé que mal nasceu envergou de imediato o uniforme do grupo terrorista Hezzbollah. A mãe deseja que o filho recém-nascido seja um terrorista e que morra na luta contra Israel, "geração após geração". E que destino melhor lhe pode desejar, senão o mais alto galardão do Islão? A doutrinação no ódio começa literalmente mal as crianças saem do ventre materno. 

Como disse Golda Meir, o problema do Médio Oriente só acabará quando os Árabes amarem os seus filhos mais do que odeiam Israel. Pela amostra, esse dia ainda vem longe. De momento, os seios da esquiadora são a prioridade.

Percebe agora (se ainda não tinha percebido) qual é o problema de Israel com os seus vizinhos?




É esta a simpática vizinhança de Israel. A rapaziada do Hamas (tida como gente boa por muita gente má, aqui no Ocidente), em cerimónia pública, apela à destruição de Israel, ao suicídio, ao terrorismo global, à imposição do Islão ao resto do Mundo. Não pensem pois, que, entregando Israel aos islamistas estes ficarão saciados. O Al Andaluz (a Península Ibérica) está a seguir na lista.

Atreva-se, e veja o que é o bom povo "palestino":

 

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.