sábado, 31 de maio de 2014

Que outro país permitiria ISTO?

Hizb Al-Tahrir, em comício na mesquita de Al-Aqsa, conclama, em uivos selváticos e sob o aplauso dos bárbaros, o Exército do Paquistão a libertar Jerusalém da "sujidade" dos judeus, Em 23 de maio de 2014. Que outro país no mundo permite uma massa de terroristas islamonazis à solta dentro das suas fronteiras a apelarem à sua destruição e ao genocído dos seus cidadãos?
Já para não falarmos do terrorismo diário e nos milhares de mortos (crianças, mulheres, homens) que os terroristas islâmicos causam em Israel!


Um grupo judaico visita o Monte do Templo, no início da manhã de 28 de Maio de 2014 e é assediado por uma multidão entoando Allahu Akbar em árabe. (Vídeo por Yishai Fleisher)
Os muçulmanos (invasores de Israel como o foram da Península Ibérica) construíram uma mesquita em terra judaica, precisamente no monte e sobre a rocha onde Abraão ia oferecer Isaac em sacrifício a Deus. A mesquita de Al-Aqsa foi e é um sacrilégio e uma provocação sem nome. Jerusalém pertence aos Judeus, povo nativo de Israel. Todos os inimigos do Estado Judaico devem ser expulsos de Israel, ou presos. se os seus crimes o justificarem.


Entretanto, na Samaria, esta sexta-feira, a Polícia de Israel evitou mais um atentado de um bombista suicida (na imagem, a  cena do crime). O terrorista não foi abatido; em vez disso foi ajudado a despir o colete de bombas. Notícia completa com vídeo aqui.

Na nossa modesta opinião, Israel deve retomar rapidamente o controlo dos SEUS territórios de Gaza, Judeia e Samaria, expulsar ou prender TODOS os terroristas no seu território, reforçar a sua barreira de segurança e responder rapidamente e em força a qualquer ataque terrorista. 66 anos a fazer mais do que o humanamente possível para agradar ao Mundo, não renderam nada a não ser o ódio de sempre. Ódio por ódio, que Israel se defenda!

COMO QUALQUER PAÍS DO MUNDO FARIA!

Islão quer extinguir as MULHERES?


Carrie Fisher, no papel de Princesa Leia, em Star Wars
"Alá não criou o homem para que ele pudesse divertir-se. O objectivo da criação foi a Humanidade a ser posta à prova por meio de sofrimento e oração. Um regime islâmico deve ser sério em todos os campos. Não há piadas no Islão. Não há humor no Islão. Não há diversão no Islão. Não pode haver diversão e alegria no que é grave" 

Aiatolá Khomeini

Não é bem assim. Se pusermos de parte os inocentes que são decapitados, assassinados à bomba, a tiro ou dentro dos aviões que são atirados contra edifícios, Se pusermos de parte os raptos, estupros, tortura, canibalismo, espancamentos, opressão, perseguição, privação total de liberdade e de direitos humanos, mais o abuso sexual de menores, e outros pormenores, o Islão até é uma ideologia bastante engraçada...

Ora vejam:


Islão: Meninas muçulmanas  sendo levadas acorrentadas aos que serão seus maridos.  

Os maiores especialistas mundiais em Direito Islâmico (aqui já temos uma boa piada: "Direito" e "Islâmico" na mesma frase!) decidiram recentemente, na 191ª reunião do Conselho da Ideologia islâmica, que é anti-islâmica qualquer tentativa de estabelecer uma idade mínima para que as meninas casem!
Mas a 192ª reunião  do Conselho da Ideologia Islâmica foi mais longe e declarou que as mulheres são não-islâmicas, e a sua mera existência contradiz a Sharia e a Vontade de Allah. 
"As mulheres, pelo simples facto de existirem, desafiam as leis da Natureza. Para proteger o Islão e a Sharia, as mulheres devem ser forçadas a parar de existir o mais rápido possível".
As mulheres que se atrevam a exprimir a sua própria vontade (sobretudo as não-muçulmanas ) serão as primeiras a ser alvo do extermínio progranado.

- Será brincadeira?  A notícia original está aqui.

 - Até pode ser brincadeira, mas no Islão a realidade ultrapassa muitas vezes a ficção, como pode comprovar por exemplo neste post:

Mulher que vai ao mar, vai adulterar!

- Recordamos o ponto alto:

    "Quando uma mulher vai nadar, como a palavra de 'mar' é masculino, quando a água toca as partes íntimas da mulher, ela torna-se uma adúltera e deve ser punida"

 - Mas há lá muito mais; a autorização de as mulheres amamentarem homens adultos, por exemplo!

 

 Tunísia: anos 60 e pós "Primavera Árabe"

- Feministas, comunistas, ateístas que dizem "Allah Akbar, meu semelhante!", bloquistas que querem criminalizar o piropo,  e outras islamófilas, vejam a nossa etiqueta Mulheres e façam-nos chegar os vossos argumentos!

"Ô téu pai dévé xér térrórista! Éxé cá umá bombá!" 


Camarada Ana Lopera:ENGOLE O TEU PIROPO!

"Causa da guerra na Síria: o aquecimento global"!



"O herdeiro do trono britânico atribui a culpa da guerra civil na Síria, que já ceifou mais de 100.000 vidas, ao... aquecimento global.

Em declarações à reunião do Fórum Económico Mundial Islâmico em Londres, o príncipe Carlos descreveu o conflito sangrento na Síria como um exemplo "terrivelmente gráfico" dos efeitos negativos das alterações climáticas."
Artigo do The Blaze
A notícia parece retirada de um daqueles jornais de notícias fictícias, mas é real, infelizmente. tanto mais que o Príncipe Carlos era uma pessoa simpática, sensível e inteligente, antes de se ter encantado (convertido?) ao islamismo.

A intervenção do Príncipe Carlos:

 

Obrigado, graciosa Rainha Isabel II, por não deixar este louco furioso reinar!

sexta-feira, 30 de maio de 2014

Festa de terroristas acaba em beleza!

  

Acabou da melhor forma, esta festa de jihadistas em Gaza, com passaporte para o paraíso das delícias carnais com as 40 virgens de olhos negros!

Os doentes mentais que acusam Israel de "matar milhares de 'palestinos' todos os dias", não têm a mínima preocupação de conferir se os seus delírios de ódio racista têm alguma ponta de realidade. O que não admira - essa gentalha nem sabe onde fica Israel...

Até agora e este ano, três terroristas «palestinos» do Hamas foram mortos em acções de retaliação imediata das Forças de Defesa de Israel pelo bombardeio massivo de 11 de Março.

Os odiadores de Israel ficam cheios de raiva porque Israel se defende. Dos inocentes civis israelitas que os terroristas assassinam, ninguém fala. Eles que diariamente alvejam as creches israelitas. 

Tirando esses três terroristas que foram mortos pelas Forças Armadas de Israel na acção de neutralização das plataformas de lançamento de mísseis, o resto das mortes devem-se a eles mesmos e à sua proverbial estupidez, que só é ultrapassada pelo seu ódio e alienação mental.

Ver:

Acidente de Trabalho!

 

Mas não é só em Israel que os terroristas islâmicos são burros que nem portas. Ainda agora em Bagdad um deles mandou a sua turma da escola de terroristas islâmicos pelos ares. Eles costumam ministrar estes cursos nas mesquitas, que os ingénuos ocidentais ainda pensam que são como as nossas igrejas.

quinta-feira, 29 de maio de 2014

"BRING BACK OUR GIRLS"



Perto de 300 meninas cristãs, menores, raptadas para a escravatura sexual. O terrorista muçulmano, a rebentar de riso, diz que cumpre a vontade de Alá em vendê-las. Você discorda? Islamofobia sua!

Tal como prevíramos, a febre do "BRING BACK OUR GIRLS" passou. Afinal de contas até já está tudo bem e tudo...  Passa a moda, e o Boko Haram continuará a matar, a raptar, a estuprar e a aterrorizar.

Este post explica tudo - desde o tiro nos pés da Imprensa filo-muçulmana (toda a mainstream) até à doutrina islâmica do massacre, escravização, escravização sexual e comercialização de «infiéis» - espécie que no Islão tem um valor abaixo de mercadoria inerte É dos melhores posts deste blog, CONFIRA:

Israel vai combater o Boko Haram

A notícia vem no site Jihad Watch, mas é apenas uma dentre milhares e milhares.
Como esta, que ilustra bem a capitulação europeia:



O pregador muçulmano Mizanur Rahman louvou o sequestro e o assassínio de não muçulmanos
Esta é a Grã-Bretanha que Tony Blair, Gordon Brown e David Cameron fizeram. Porque é que a pregação de Mizanur Rahman (o terrorista da imagem) "provocou indignação"? Afinal de contas, eu fui banido de entrar na Grã-Bretanha por dizer que o Islão "é uma religião e um sistema de crenças que ordena a guerra contra os infiéis, com o objectivo de estabelecer um modelo de sociedade que é absolutamente incompatível com a sociedade ocidental ...".
No entanto, poucos dias depois de Pamela Geller e eu termos sido proibidos de entrar no Reino Unido, o governo britânico abriu as portas ao saudita Sheikh Mohammed al-Arefe.


O afável e pacífico clérigo muçulmano  Mohammed al-Arefe

Al-Arefe disse: "A devoção à Jihad por amor de Alá, e a vontade de derramar sangue, de esmagar crânios, e de cortar membros pela causa de Alá e em defesa da sua religião, é, sem dúvida, uma honra para o crente. Alá disse que se um homem luta contra os infiéis, os infiéis não serão capazes de se preparar para a luta".
Então, claramente, é aceitável dizer que o Islão ensina violência e a guerra, se você é a favor da violência e da guerra.
Assim sendo, ninguém deveria ficar indignado com Mizanur Rahman. Deviam dar-lhe banquetes e medalhas.
Robert Spencer



 Um 'militante' do Boko Haram - "Islão significa 'Paz'", não se esqueça... 
"Sermão 'nojento' de pregador de ódio muçulmano louvas sequestro de alunas pelo Boko Haram"
de David Churchill, para o London Evening Standard , 29 de Maio 2014

    
Um pregador de ódio muçulmano de Londres, que já esteve preso por apelar a ataques terroristas como o 11 de Setembro, provocou indignação ao louvar o sequestro de  de mais de 200 estudantes nigerianas.

    
Em vídeos postados online, Mizanur Rahman elogia o Boko Haram, o grupo terrorista por trás do sequestro, aplaude essa forma de irritar o Ocidente e afirma que "não é necessariamente uma coisa má matar não-muçulmanos".

    
Os vídeos levantam novas questões sobre a pregação do ódio, que atinge todos que britânicos, incluindo os jovens, quer estão a ser radicalizados através da Internet.
Crianças podem ser ouvidas em segundo plano, num discurso de duas horas.

    
Detectives da Scotland Yard estão a investigar os vídeos, após terem sido alertados pelo nosso jornal.

   O
Presidente da comissão parlamentar dos Assuntos Internos, Keith Vaz, disse: "Eu estou profundamente preocupado com o conteúdo desse vídeo".

    
"Nenhuma criança ou jovem, nenhuma pessoa, deveria ser exposta a opiniões tão extremistas".

Comentário de Robert Spencer - Keith Vaz fez campanha para Pamela Geller e eu sermos banidos da Grã-Bretanha. Portanto, para este hipócrita, apoiar grupos como o Boko Haram é tão "extremo" como ser contra os mesmos!


  O Comité recomendou que deve ser feito mais esforço por parte das autoridades e que se deve aumentar o financiamento de projectos para combater este tipo de extremismo.
 Comentário nosso - LOL!
    Em  vídeo postado na semana passada por Rahman, um seguidor do pregador de ódio islamista Anjem Choudary e do clérigo Omar Bakri (já banido do Reino Unido), diz: "As pessoas estão a fingir que a história começou no dia em que as meninas foram raptadas - perdão, eu deveria dizer as mulheres - foram raptadas do colégio na Nigéria".

Comentário nosso - No Islão é normal "casar" homens adultos com crianças. Maomé "casou" com Aisha tinha a menina 6 anos e ainda brincava com bonecas.

    
"Eles não fizeram o que o governo nigeriano tem feito aos muçulmanos todos estes anos - Eles não estupraram ninguém, eles não torturaram, nem assassinaram. Não fizeram nada de mal".
  O islamista continua a louvar as qualidades do Boko Haram, que, segundo ele, está "cheio de boas mensagens", nomeadamente o ser apoiado pela al-Qaeda.
 Em outro vídeo, ele diz que não há "nenhuma evidência" de que o grupo terrorista Boko Haram tenha como alvo muçulmanos ou não-muçulmanos, acrescentando: "Não estou a dizer que é ou não é um problema matarmos os não-muçulmanos".

    
A violência do Boko Haram resultou num número estimado de 10.000 mortes entre 2002 e 2013, incluindo ataques a turistas ocidentais e bombardeio de igrejas, mesquitas, escolas e esquadras de Polícia.
    O sequestro dos estudantes no último mês provocou condenação internacional.
    Quando confrontado pelo nosso jornal, o pregador de Palmers Green, norte de Londres, disse: "As pessoas estão a retratar os militantes do Boko Haram como lunáticos e loucos que não sabem nada sobre o Islão ou a sociedade em geral. Mas se vocês lerem as mensagens deles, na verdade eles não estão a tentar destruir a sociedade , eles estão apenas a reclamar sobre a opressão e a tentar melhorar a sociedade".

Aluno cristão que sobreviveu (no estado que se pode ver) ao ataque terrorista do Boko Haram abaixo descrito e hiperligado:
Como "melhorar a Sociedade", à maneira do Boko Haram:

Muçulmanos na Nigéria atacaram sem piedade uma faculdade. Dezenas de estudantes foram massacrados. Uns foram queimados vivos, a outros mataram-nos a tiro, e, quando alguns tentaram escapar através das janelas, foram degolados.

    
"De todas as mensagens deles, algumas são boas mensagens e eles estão cheios de boas mensagens. O que eu estou a fazer é contar às pessoas toda a história."

    
Rahman foi preso por três anos em 2007, por instigar o ódio racial no protesto em frente da embaixada dinamarquesa sobre as caricaturas do profeta Maomé. Durante o julgamento, disse:
"Oh Alá, nós queremos ver outro 11 de Setembro no Iraque,  outro 11 de Setembro na Dinamarca,  outro 11 de Setembro na Espanha, na França, em toda a Europa."

    
Um porta-voz da Scotland Yard disse: "Estamos cientes do vídeo e a avaliando o seu conteúdo".
 Comentário de Robert Spencer - Estão a avaliar o quê? Se hão-de condecorá-lo?


 - Aguardamos comentários islamófilos que possam de alguma forma justificar as acções do Boko Haram.

quarta-feira, 28 de maio de 2014

Não existem muçulmanos 'moderados'

Pelo menos é o que estes confirmam:


"O QUE OS MUÇULMANOS COMUNS PENSAM - E A EUROPA NÃO CONSEGUE COMPREENDER" 
São os muçulmanos, aqui mesmo, na Europa (80% deles a viverem à nossa custa), que  afirmam, nas nossas barbas, que não há muçulmanos moderados. Este simpático cavalheiro afirma e a encantadora assistência confirma. Com muita pena nossa, que bem queríamos que houvesse muçulmanos moderados. Pelos vistos, não há...
Como não há nazis 'moderados', ou comunistas 'moderados', ou fascistas 'moderados', ou ladrões 'moderados', ou assassinos 'moderados', ou violadores 'moderados', ou mafiosos 'moderados', ou bombistas suicidas 'moderados', ou terroristas 'moderados', ou desviadores de aviões que os atiram contra edifícios, 'moderados'.
O Islão é um ideologia totalitária. E está aí, para nos submeter. É esta a luta diária de Israel. E que a Europa já começa a compreender.

----------------------
Espanha, já aqui ao lado, vai a caminho de se tornar maioritamente muçulmana. Países como a Bélgica já estão perdidos. Os media celebram, em adoração a Alá e na eterna ALDRABICE de que os invasores sarracenos trouxeram paz, tolerância e cultura à Península Ibérica. Ao "Al Andalus", como eles têm o descaramento de designar Portugal e Espanha - aliás uma tendência crescente entre o povo esquerda-friendly, que vai designando assim os seus festivais e outros happenings.
Os muçulmanos esfregam as mãos de contentes. A seguir a Israel é a Península Ibérica que eles querem:

Depois de Israel, os muçulmanos querem reconquistar a Península Ibérica

O Al Público fechou os comentários ao artigo sobre o levantamento da imunidade parlamentar a Marine Le Pen, por esta ter dito que o Islão está a submeter a Europa como o Nazismo fez.
Não que a Frente Nacional seja flor que se cheire (o pai de Marine é um nazi assumido), mas ela não andou muito longe da verdade. Na Síria, com o Islão fora de controle, está a decorrer um Holocausto dos cristãos - com sacrifícios humanos, onde não faltam sequer abatedouros literais para os mesmos, e subsequente canibalismo - como os académicos islamistas recomendam - artigo com vídeo.
Na Europa ainda não vamos numa tão larga escala de aniquilamento dos «infiéis», mas vamos a caminho!
Como convencer os lunáticos de Esquerda de que o Islão não é a fantasia das 1001 Noites que eles imaginam, nas suas cabeças cheias de haxixe e patchouli? Se eles continuam a achar que a Coreia do Norte é o Paraíso Terrestre Ateísta e o Comunismo o Sol da Terra!!!... Se eles são capazes de ver as atrocidades cometidas pelos islamistas e continuam a negar!!!... Se eles ouvem da boca deles que não há muçulmanos moderados e continuam a teimar que há! É esquizofrenia pura!
E que dizem os líderes cristãos (católicos, protestantes, ortodoxos, etc.), a quem os seus irmãos do Médio Oriente (os cristãos católicos coptas do Egipto, por exemplo), rogam ajuda? Responda se souber.
Ver também:

Aquele Cujo Nome Não Deve Ser Pronunciado

Aquele Cujo Nome Não Deve Ser Pronunciado


Após as recentes eleições europeias, os comentadores políticos suam a bom suar, em extenuantes contorcionismos verbais, para conseguirem dizer sem dizer, que, em França e noutros países, a extrema-direita subiu em flecha devido à acelerada islamização do nosso continente, a braços com uma invasão islâmica diária - 50 milhões em crescimento acelerado, por via da natalidade e da invasão "imigratória".


COMUNICADO DE IMPRENSA DE MARINE LE PEN


"Num erro grave, a Reuters declarou que eu tinha dito à BFMTV, considerar alianças com o Jobbik e a Aurora Dourada, eu disse exatamente o oposto, em relação à questão por Jean-Jacques Bourdin: "Quem é que não se vai se aliar?". A resposta foi: "OJobbick, o Ataka , o Aurora Dourada e outros".

A Reuters corrigiu o seu erro."

É bom saber que Marine não tenciona aliar-se aos partidos assumidamente nazis. Mas muitos dos seus companheiros de partido - a começar pelo seu odioso pai nazi - não desdenhariam. É o resultado da COBARDIA dos partidos do sistema, que continuam a fazer piruetas e a dar ao rabinho, como cãezinhos de colo obedientes, para agradar ao Islão.

OS COBARDES QUE NÃO TÊM CORAGEM DE DENUNCIAR A INVASÃO ISLAMISTA DA EUROPA, COMETEM O GOLPE BAIXO DE ATACAR A MÃE DE MARINE LE PEN


A mãe de Marine posou para a Playboy. SO WHAT??? Na Europa, as mulheres dantes não eram atacdas por andarem de cara à mostra ou sozinhas na rua. Agora são-no. Pelos muçulmanos. A Imprensa é muito valente a enxovalhar os «infiéis».

Para não descermos ao nível destes jornaleiros, nunca publicámos actividades bem mais arrojadas de mães de políticos de esquerda, alguns deles vistos como deuses desta Era. 

NÓS AVISÁMOS...

Os políticos e os politólogos não andam na rua, ou entenderiam porque é que a Frente Nacional ganhou em França. Mas devem saber o que se passa na Europa em termos de terrorismo islâmico; das agressões, insultos e cuspidelas nos «infiéis»; dos gangues de violadores de mulheres e crianças «infiéis» - como forma de punição pela sua falta de fé na religião «verdadeira»; da mutilação genital feminina; dos assassínios de «honra»; da crescente hegemonia islâmica sobre o sistema de Ensino, o Comércio, a Cultura, etc.; dos casos de canibalismo; da dependência da generalidade dos muçulmanos face aos contribuintes europeus (que passam fome, em muitos casos); das pregações de ódio islamista; da exportação e importação de terroristas; do domínio pelo terror;  etc., etc., etc..


Nós avisámos, centenas de vezes. Temos cada vez mais gente conhecida que foge de França, da Holanda, da Suécia, porque os muçulmanos espancam, violam e aterrorizam as pessoas. Chegam cá e chamam-lhes doidos e racistas.

Um exemplo de um post a alertar para esta situação:

Notícias da "Racaille"


... que repetimos, mas que é apenas uma amostra da islamização da Europa::


A "racaille", nas suas actividades habituais...

Os complexos de esquerda continuam a afundar a França. O Islão é visto como "a religião dos pobres", dos que vêm de África e do Médio Oriente. Segundo a mentalidade politicamente correcta, é um pecado social criticar seja o que for que os "pobres" façam. Pelo seu lado, os muçulmanos chegam a França (e ao Mundo Livre) e vêm-na como uma terra decadente, de infiéis, onde as mulheres têm direitos e os infiéis gozam de liberdade de culto. Quem se atreva a contestar o supremacismo islâmico é de imediato apelidado de "racista", "islamófilo", "nazi", etc.. O resultado é a crescente islamização de França, onde 10% dos habitantes já são muçulmanos, secam os recursos do país e lançam o medo e o caos nas ruas. A "racaille", o correspondente francês dos nossos "mitras", ou dos "chavs" ingleses, não conhecem outro modo de vida que não seja o crime (roubo, tráfico de drogas, etc.), a violência (desordem pública, espancamento de "infiéis", queima de carros, estupro de "infiéis", etc.) e o supremacismo sobre os franceses, os "infiéis", que os sustentam.




Os muçulmanos e a extrema-esquerda reagiram raivosamente aos resultados das eleições municipais que levaram à remodelação do Governo e à subida da Direita. Porquê? Alguns vídeos (dentre centenas) que o esclarecem:

Cerca de 40 mil carros são queimados em França todos os anos. As autoridades não dão números exactos por cidade e bairro, para não acirrarem a competição entre a "racaille" islâmica:


França. Ruas bloqueadas para as multidões de muçulmanos rezarem ao seu deus Allah: 


Poligamia, natalidade a condizer, e recolha de benefícios sociais daí decorrentes. Os muçulmanos querem a Sharia para França e ser sustentados pelos franceses:



As alegrias da imigração islâmica, árabe e norte-africana, em França; rapariga violada por 30 "racailles":


Violações em série no metro de Paris:


Os franceses servem para ser agredidos, e... caladinhos!




Mas como de costume, quem diz a verdade merece castigo.

Nós apelámos ao voto, mas em quem hão-de votar as vítimas do Islão, se os partidos do sistema se alheiam? O Mundo Ocidental vai descobrir da maneira mais dolorosa que o Nazismo, o Comunismo e o Islamismo se equivalem.


 

O TERRORISMO GLOBAL

Genocído dos cristãos:
http://rescuechristians.org/


Finalmente alguém traduziu e legendou o documentário DEFINITIVO sobre o Islão: "Islão - O Que o Ocidente Precisa Saber"

"Este documentário mostra como o discurso dos que defendem o islamismo contraria a essência do próprio islamismo. São exibidas citações do Corão e das Hadiths (Tradição Religiosa Islâmica) comentadas por especialistas no assunto e por um ex terrorista. Eles concluem e comprovam de maneira convincente que o terrorismo é consequência natural da prática do Islamismo que ordena seus seguidores matar, literalmente, todos aqueles que não seguirem a fé islâmica."

NOTA: COMO TODOS OS VÍDEOS QUE EXPÕEM O ISLÃO, ESTE FOI MAIS UMA VEZ RETIRADO. SUBSTITUÍMOS POR ESTE, QUE É A PARTE 1 DE 10: 


SE O ISLÃO É PACÍFICO, PORQUE É QUE SÃO APAGADOS DA INTERNET OS VÍDEOS E OS SITES QUE O EXPÕEM?

terça-feira, 27 de maio de 2014

Jihad Papal - A Islamização do Papa

"Desprezando a verdade, o contexto e a História, o Papa alinhou com a difamação "palestina". Grotesco. Em todo o mundo os cristãos são subjugados, abatidos e oprimidos sob a lei islâmica, e o Papa escolhe subjugar-se aos seus algozes."

- Com todo o respeito pelo Papa Francisco, que acreditamos estar de boa-fé, não compreendemos estas atitudes. 

Lembramos um dos posts que fizemos sobre esta viagem, com imagens do boicote muçulmano à missa papal:

Muçulmanos insultam o Papa e os Cristãos



O local que o Papa Francisco escolheu para rezar, no início da sua peregrinação à Terra Santa - graffiti comparando Belém com o Gueto de Varsóvia.

    
O Papa, a Palestina e o Holocausto

    
[Por Tom Gross ]

    
Muitos meios de comunicação ocidentais têm destacado o facto de que o Papa iniciou a sua viagem ao
Médio Oriente rezando na pequena secção da barreira de segurança de Israel, a única secção que é realmente uma muro; o resto da barreira protectora é de malha de arame. (A barreira de segurança foi construída para proteger os israelitas, depois de milhares de civis terem sido mortos por homens-bomba).

   
Dos meios de comunicação ocidentais que já vi, nenhum chamou a atenção para o ponto exacto que o Papa escolheu para rezar: em frente de um grande
graffiti comparando o Gueto de Varsóvia com Belém.

    
A imagem acima é do principal meio de comunicação palestino, financiado pela UE, a agência de notícias Maan. (Há uma outra versão da imagem abaixo).

    
Alguns comentários:

    
(1)  A definição de anti-semitismo formulada pela UE e outros, inclui comparar Israel com a Alemanha nazi. Ainda ontem, o primeiro-ministro de Israel esteve entre aqueles que apontam que a atmosfera de incitamento contra Israel foi um factor contribuinte provável nos ataques como o de  ontem - dois turistas israelitas, uma mulher francesa e um jovem belga, foram mortos a tiro no museu judaico em Bruxelas. Dois outros judeus foram atacados e golpeados com objectos de metal fora de uma sinagoga de Paris, ontem à noite, poucas horas após o tiroteio de Bruxelas.

    
(2)  400 mil judeus
foram sitiados no Gueto de Varsóvia, e aqueles que não foram espancados até a morte ou morreram de fome lá, foram levados para serem exterminados em campos próximos. Belém é uma cidade relativamente próspera, onde os restaurantes e bares estão cheios, e BMWs, Mercedes e Humvees competem por vagas de estacionamento no centro da cidade.

    
(Sim, há, naturalmente, um problema político entre Israel e a Autoridade Palestina, e um dia, espera-se, a barreira de segurança pode ser removida sem levar ao aumento do terrorismo. Este objectivo não tem nada a ver com o Gueto de Varsóvia. Os organizadores da visita do Papa estavam ansiosos para escolher aquele ponto - ou permitiram que a Autoridade Palestina orientasse o pontífice para lá?)

  
(3) O Papa representa uma organização, o Vaticano, que, depois de sete décadas de repetidos apelos, ainda recusa tornar públicos arquivos do tempo da guerra, detalhando toda a extensão da cooperação com os nazis, antes, durante e depois do Holocausto.

    
O que se sabe é que o Vaticano ajudou vários das principais criminosos de guerra nazis escapar após a guerra, incluindo o
médico de Auschwitz, Josef Mengele (responsável por experiências bárbaras sem anestesia em crianças), e o mentor do Holocausto, Adolf Eichmann, aos quais foi  concedido refúgio seguro na cidade natal do Papa,  Buenos Aires, com a ajuda da Igreja Católica, em Roma e na Argentina. (Dez anos depois Mengele mudou-se para o Brasil, onde se juntou a outros líderes nazis, que também escaparam com a ajuda do Vaticano, tais como Franz Stangl, comandante dos campos de extermínio de Treblinka e Sobibor).

    
(4) Há preocupação em Israel depois de o Papa ter chamado
hoje ao líder da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas, um "homem de paz", num evento onde Abbas, na presença do Papa, repetiu a sua exigência de que qualquer palestino que assassine israeleitas não deve ser punido.

    
- Tom Gross


    
* www.facebook.com /TomGrossMedia


 

Neste post damos um breve apontamento das actividades terroristas de Mhamoud Abbas, a.k.a. Abu Mazen, o tal "homem de paz":

Francisco denuncia "tragédia" do Holocausto e lembra vítimas de atentados terroristas 

Muçulmanos insultam o Papa e os Cristãos

ACTUALIZAÇÃO: VÍDEO AINDA MAIS EXPLICATIVO, DE 



Diálogo inter-religioso: Papa interrompido por orações muçulmanas - Os grandes media em silêncio, porquê?

Depois o Papa se declarado dhimmi supremo (infiel, inferior) na frente de um arraial de grafitti anti-semitas, os muçulmanos retribuiram com desprezo e desrespeito - mostrando-lhe o verdadeiro sentido do diálogo inter-religioso e da tolerância.

O jornal Público talvez fale do assunto... Um dia...


Pope interrupted by Muslim prayers – Mainstream media silent, why? - See more at: http://pamelageller.com/2014/05/interaith-dialogue-pope-interrupted-muslim-prayers-mainstream-media-silent.html/#sthash.CdXYRzMF.dpuf
Pope interrupted by Muslim prayers – Mainstream media silent, why? - See more at: http://pamelageller.com/2014/05/interaith-dialogue-pope-interrupted-muslim-prayers-mainstream-media-silent.html/#sthash.CdXYRzMF.dpuf

Francisco denuncia "tragédia" do Holocausto e lembra vítimas de atentados terroristas

 

Papa recorda a “tragédia incomensurável” do Holocausto - PÚBLICO

Usem as palavras correctas; a "Cisjordânia" não existia há 46 anos, e a "Palestina" é uma pura invenção.
"Mal nomear as coisas é adicionar desgraça ao mundo" - Albert Camus  
O Al Público "não sabe" que não existe nenhuma "Cisjordânia", e muito menos "Cisjordãnia ocupada"...  Mas a posição do Al Público em relação a Israel e aos Judeus já nos a conhecemos:

Al Público e seu ódio a Israel

Se ainda não leu, leia o post acima, que está lá o essencial disto tudo, desde mapas, documentários, registos históricos, até à prova legal de que não existe nenhuma "Cisjordânia", mas sim Judeia e Samaria. Os judeus vêm da Judeia! Israel existe há mais de 4 milénios! Os muçulmanos só começaram a invadir a Terra Santa, o Norte de África, a Península Ibérica, a Europa de Leste, a Ásia, a partir do século VII, quando Maomé fundou a ideologia do Islão, a que alguns chamam religião, mas que eles admitem que não o é:

"O Islão não é uma religião"

 

"Se Jesus (judeu de etnia e religião) cá voltasse hoje, e tentasse entrar na sua terra natal, seria imediatamente massacrado por uma multidão de árabes" - Berta Becker



Papa apela à tolerância
Francisco denuncia "tragédia" do Holocausto e lembra vítimas de atentados terroristas.



No último dia da viagem à Terra Santa, o papa Francisco pediu "que ninguém instrumentalize a violência em nome de Deus" e denunciou "a tragédia do Holocausto", "um abismo" para a Humanidade.
Em Jerusalém, Francisco foi a imagem do diálogo e da tolerância. Visitou a mesquita Al-Aqsa, onde ouviu a mensagem do grão-mufti, xeque Mohammed Hussein. Em seguida, recolheu-se diante do Muro das Lamentações, local santo do judaísmo, onde depositou uma mensagem e orou com um rabino e um líder muçulmano, num gesto simbólico de apelo à tolerância e à paz.
Ao lado do primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, o papa visitou o túmulo do pai do sionismo, Theodor Herzl, e, antes de parar em Yad Vashem, memorial aos judeus mortos nos campos nazis, homenageou as vítimas israelitas dos atentados em Jerusalém.

Correio da Manhã


UM CAMPO MINADO DE SIMBOLOGIAS E PROPAGANDA


A "Palestina" Árabe jamais existiu. É uma invenção recente dos islaimistas e dos comunistas, para aniquilarem Israel
O Papa Francisco visitou um memorial às vítimas do terror israelitas. Ao contrário da AP, a Reuters conseguiu esquivar-se ao usando da palavra "terror" em qualquer manchete, fazendo a história sobre o pontífice "navegar num campo minado de símbolos."
Infelizmente, a Reuters navega no mesmo campo minado, e errou no significado do Monte do Templo e do Muro das Lamentações para os judeus. Se o primeiro parágrafo carece de rigor jornalístico, o segundo parágrafo carece de verificação básica:
O Papa Francisco inicia a última etapa de sua viagem de três dias ao Médio Oriente na Cúpula Dourada do Domo da Rocha, tirando os sapatos antes de entrar no santuário a partir do qual os muçulmanos acreditam que o profeta Maomé subiu ao céu.
Depois, foi orar na Muralha Ocidental, um dos santuários judaicos mais venerados e único remanescente do seu sagrado Segundo Templo, destruído pelos Romanos em 70 dC .

O Monte do Templo é o local onde o primeiro e o segundo templos judaicos estavam - é o local onde os muçulmanos ergueram o Domo da Rocha.
E é o local mais sagrado do Judaísmo. Não é nem nunca foi um lugar santo islâmico. Foi usurpado pelos muçulmanos. O Muro das Lamentações é um muro de contenção construído em torno do Monte do Templo. Foi estruturalmente independente do Templo.


Dito isto, a questão de a visita do Papa ter sido condicionada para o simbolismo e a propaganda, é, infelizmente, um ângulo legítimo. As autoridades israelitas dizem que a Autoridade Palestina (presidida pelo terrorista Abu Mazen) pôs forte pressão sobre o Vaticano para o "improviso" da oração do Papa Francisco na barreira de segurança.


O terrorista Abu Mazen financia e organiza ataques terroristas - como por exemplo o do Setembro Negro, nos Jogos Olímpicos de Munique.
Em declarações ao The Jerusalem Post, Oded Ben-Hur, um conselheiro diplomático ao Knesset e ex-embaixador de Israel no Vaticano, disse que as autoridades diplomáticas israelitas estão descontentes, porque os palestinos "usaram o Papa como uma ferramenta política", ao  levá-lo para a barreira de segurança.

O terrorista Abu Mazen em festa rija com assassinos de crianças israelitas. 
Confira também: Tom Gross e Matthew Kalman sobre a propaganda na visita papal.
Romper o protocolo para homenagear vítimas do terrorismo é um gesto significativo que os israelitas devem apreciar. Mas não pensem por um minuto que as fotos de hoje vão  "equilibrar" as imagens de ontem, de Francisco orando na barreira de segurança. A barreira impediu a continuação do gemnocídio dos judeus às mãos dos terroristas, mas foi um presente para a propaganda antissemita global.



"O Dia do Juízo Final não chegará até que os muçulmanos matem todos os judeus" - declaração do movimento terrorista Hamas, que o Mundo idolatra.

"Ó nosso povo, ó povo de Gaza, povo de determinação, de nobreza e luta: a vossa libertação está perto! A libertação dos nossos prisioneiros e a vossa libertação também estão perto, se Alá quiser! Vós voltareis para o seio de legitimidade, para o seio da pátria, que é representado por Gaza, pela Cisjordânia, pela Palestina - toda a Palestina, desde o Rio [Jordão] ao Mar [Mediterrâneo]! Este é o nosso objectivo,  é a luz que ilumina o nosso caminho, estes são os nossos princípios, do Movimento Fatah: Palestina - Gaza é parte dela, Cisjordânia é parte dela, como o são Haifa, Jaffa, Acre, e toda a Palestina, que será um Estado independente nosso, se Alá quiser".
[Canal do membro do Comité Central da Fatah, Tawfiq Tirawi, YouTube, 20 de Abril de 2014]

Não há nada a fazer. O mundo Ocidental, moldado na forma Judaico-Cristã, é incuravelmente anstissemita:

Banco Mundial financia terrorismo do Hamas

A nossa etiqueta "Gaza" tem algumas boas amostras do ódio larvar, incurável a Israel, que une nazis, coministas, muçulmanos e 'sem-clube'.

E você, alinha com os amigos de Hitler e do Islão, ou com o micro-Estado de Israel, raiz da Civilização Ocidental, o país mais massacrado e vilipendiado à face da Terra?