sábado, 2 de agosto de 2014

Repórter expõe mentiras do Hamas


Repórter italiano em Gaza revela a manipulação dos terroristas do Hamas
Um jornalista italiano vindo de Gaza confirma as declarações do em IDF, de que o míssil que atingiu o pátio de uma escola em Gaza foi lançado pelo Hamas. Mas este caso é apenas um dentre muitos. A Imprensa global bebe das fontes terroristas, e raríssimamente faz as correcções devidas, quando a VERDADE vem ao de cima.
Depois, temos idiotas úteis nas ruas, a apoiarem o Hamas...


Idiota útil na manifestação de apoio ao bando terrorista Hamas, esta sexta-feira em Lisboa. Este idiota, embrulhado na bandeira gay, não sabe que nos países islâmicos os gays são enfornados na hora! Vá lá a gente querer que ele saiba que o que os media mostram é a agenda do Hamas.


Também lá esteve o Chico Louçã, e o resto da extrema-esquerda...
Todos a apoiarem o terrorismo, em amena confraternização antissemita.

Pelo menos 10 pessoas morreram no ataque - a maioria crianças. Algumas fontes dizem que o número de mortos ascende a 30. Os terroristas foram foram rápidos a culpar Israel, alegando que um caça israelita disparou mísseis directamente contra o abrigo e nas proximidades de um hospital. Israel negou as acusações, dizendo que os mísseis foram disparados pelo Hamas. Visavam Israel, e falharam o alvo, como acontece a grande parte dos mísseis do Hamas, que caem em Gaza!
Qualquer pessoa com um mínimo de senso percebe que Israel não tem qualquer interesse em alvejar civis. Já para não dizer que Israel é uma nação livre e democrática, e não um bando terrorista, como o Hamas, a Al-Qaeda, o Hezzbollah, a Irmandade Muçulmana ou qualquer dessas organizações que espalham o caos e a guerra pelo mundo! Esses é que matam crianças, sejam «infiéis», ou crianças muçulmanas que não saibam o Alcorão na ponta da língua, como aconteceu com estas duas, na Síria:

Mas os massacres reais da jihad islâmica continuam na sombra.
Verificar os factos no terreno, em Gaza, é notoriamente dificil para jornalistas estrangeiros, e arriscado até para os jornalistas 'palestinos' que não sejam assumidamente pró-terrorismo.
Os jornalistas são acompanhadas de perto por forças de segurança do Hamas e podem enfrentar interrogatórios, proibição permanente de entrar em Gaza, e ser-lhes confiscado o material considerado desfavorável ​​aos governantes islâmicos do território.
Outros jornalistas estrangeiros têm tido a coragem de fazer as mesmas revelações, e há notícias de que jornalistas estão a ser usados como escudos humanos.
O jornalista italiano Gabriele Barbati na terça-feira à tarde quebrou o silêncio dos media para twittar uma mensagem de confirmação de que os terroristas do Hamas se apressaram a encobrir as evidências de que o míssil veio do Hamas, e não de Israel:

 
O Hamas não emitiu  resposta às reivindicações de Barbari, que decerto vai ser proibido de voltar a Gaza. 
A reportagem completa deste evento aqui.
Em Gaza, os jornalistas são pressionados a MENTIR em nome dos terroristas, que usam civis como escudos humanos, usam instalações civis como bases terroristas, espancam e abatem o seu próprio povo, e... culpam Israel.
Já temos contado como em Gaza os jornalistas estrangeiros são ameaçados de morte, obrigados a apagar os  tweets em que expõem a VERDADE, e obrigados a contar as MENTIRAS do Hamas.

Um de muitos tweets apagados:



O site Jihad Watch tem feito uma boa compilação da  intimidação aos jornalistas em Gaza.  Na Imprensa Mundial, contenta-se os idiotas úteis com suprimentos industriais de ódio antissemita.

Pat Condell expõe a pura realidade da situação: NENHUMA solução serve aos muçul,anos, a não ser o extermínio total dos judeus e a aniquilação do micro-Estado Hebraico:



P.S. - E por falar em idiotas:


A primeira ameaça física que recebemos. Quem anda à chuva, molha-se. Estamos preparados para coisas mais sérias que esta pequena bravata do conhecido Luís, um indivíduo muito perturbado, que apoia as execuções do regime norte-coreano. Quando o Kimzinho andou a dizimar milhares de pessoas por estas lerem a Bíblia, este exemplar apoiou entusiasticamente, afirmando que «há que manter a pureza ideológica». Eis o palestinianismo, em todo o seu horror.

3 comentários:

  1. Uma coisa é massiva: há bestas por todo o lado

    ResponderEliminar
  2. Esse Teixeira Neves de certeza que já estará a ser investigado pela polícia. Uma ameaça é coisa série a punível pela lei.

    ResponderEliminar
  3. Nada de novo. Os comentários dos "pró-islão" baseiam-se sempre na ameaça e violência.

    ResponderEliminar

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.