quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Devia tê-lo mandado


E por falar em fantasia (ver post anterior)  ainda noutro dia, um nazi semi-envergonhado nosso conhecido, andava todo entretido por aí a espalhar a brilhante teoria de que os ataques de Paris contra o Charlie Hebdo (parte das vítimas foram judeus) e contra a mercearia judaica (todas as vítimas foram judeus), tinham sido obra de... Israel!

Com a sua fúria tão característica quando se lhe toca no seu amado Islão ou no seu amado Nazismo, o nazi aveludado vociferava também que lamentar as vítimas dos ataques de Paris é "hipocrisia". E porquê? Porque - dizia ele - o Boko-Haram mata mais gente e não é tão falado.

Ora o indivíduo em questão costuma ter desses ataques de fúria quando se mostra as matanças do Boko-Haram! E quaisquer outras cometidas em nome do Islão. Porque mostrar a realidade "pode despertar o ódio", segundo a brilhante cabeça.

No post intitulado precisamente "Pode despertar o ódio", escrevi assim:

«É preocupante a complacência ocidental, politicamente correcta e boazinha, para com a barbárie e o terrorismo islâmico que invadem a nossa Sociedade. Noutro dia, alguém me chamou a atenção para que este blog «pode despertar o ódio». Repare-se na inversão de valores! Estas pessoas matam, torturam, violam, mutilam, perseguem, e está tudo bem. Devemos é ficar caladinhos, para não «despertar o ódio».

Para chegar a tal conclusão, o meu amigo que assim falou, baseou-se em 10 segundos aqui no blog, e na sua firme intenção de «não querer saber nada acerca do Islão, pois é tema que não lhe interessa».
Pessoa de elevadíssimos padrões morais (sem ironia), perguntou-me: «Mas tu queres salvar o mundo?!...». Tem filhos, e quer o melhor para eles. Pensará nos filhos e nas filhas dos outros, que aqui no Mundo Livre, como lá na barbárie islamista, sofrem atrocidades? Ainda era capaz de ter ficado chateado comigo se o tivesse mandado bardamerda.»

Devia tê-lo mandado.

5 comentários:

  1. Tudo o que dizemos está nos corões, total, das verdades, do bem, da vida e em infinitos outros corões.
    No islam só há um corão mas que é mais do que falso. porque no islam, só é válido aquilo que maomé nos revelou.
    Mas fora do islam, todo o mundo espiritual é válido, e nele há infinitos corões e todos eles verdadeiros. O Divino é mesmo Grande

    ResponderEliminar
  2. O Ocidente está a cavar a sua própria sepultura. Até nas modas e na música é perfeitamente visível. Quanto mais primitiva, melhor, mais popular entre a juventude.
    Dizia-me um DJ amigo que a música africana é mais pura, está mais próximo das origens. Respondi-lhe que não tinha dúvidas. Pena é que tanto caminho feito por compositores geniais e por gerações de músicos que neles beberam, seja deitado no cesto do lixo para voltarmos alegremente ao primitivismo.
    Outro gabava-me a vida dos indígenas da Amazónia e verberava a civilização que os tentava corromper na sua pureza. tentei argumentar que seria errado não lhes dar a conhecer os benefícios da civilização, nomeadamente na medicina e na tecnologia. de nada valeu. A vida deles é que estava conforme a natureza e nós estamos a caminho da perdição. Acabei por inquirir o que o impedia de viver tão virtuosamente e permanecer entre tanta perdição. Olhou-me fixamente, sem saber o que replicar, até sorrir desarmado.
    Parece-me que a maioria dos portugueses bebeu a cicuta do marxismo e não tem salvação. pior, envenenam as gerações mais jovens, elogiando tudo o que é retrocesso civilizacional.
    Alguns dos voluntários românticos que vão acudir aos pobres palestinianos nas zonas de conflito ou na Síria, acabam vítimas dos algozes de quem se apiedaram, dizimadas sem qualquer complacência.
    Um dos jornalistas americanos, recentemente degolado pelos islamitas, era um radical defensor destes.
    Creio que em Portugal um dos problemas para que as pessoas tenham a imagem correcta do que ocorre, é a imprensa claramente tendenciosa e dominada por lobbies de esquerda que já foram financiados por países do mundo árabe.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O cerne da questão é mesmo esse: secá é tão mau, e se lá é tão bom, porque é que eles não vão para lá, para qualquer outro lugar onde a detestada civilização Ocidental não reine? Temos os nossos defeitos, mas no meio da miséria global, acho que ainda é no mundo livre, no Ocidente, que se está melhorzinho. Mas essa malta foi deseducada com esses slogans de auto-ódio e promessas de Shangri-Las.

      I.B.

      Eliminar
  3. Essas pessoas que vêem romantismo no "bom selvagem" são os primeiros a comprar ipods, a usar Macs, e são assíduos do facebook.

    ResponderEliminar
  4. Li os vossos comentários, e desespero.
    Quem me dera poder discordar, escrever que "não senhor, as coisas estão a correr muito bem, etc..".
    Mas os vossos comentários estão carregadinhos de razão.
    Que época tão triste, a nossa.

    ResponderEliminar

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.