domingo, 22 de novembro de 2015

CRISTÃOS SIONISTAS PORTUGUESES

"Somos cristãos que amam a Israel, nação que está nos planos de Deus para o cumprimento de um propósito profético que ainda não foi encerrado" - é assim que se apresenta a organização CRISTÃOS SIONISTAS PORTUGUESES, que até teve a amabilidade de fazer um 'meme' com uma citação nossa.


Muito antes deste 'meme' já tínhamos este grupo "debaixo de olho". Andamos há que tempos para traduzir um artigo sobre o papel dos cristãos na restauração da independência de Israel. Seria esse artigo a acompanhar a divulgação desta associação. Mas a falta de disponibilidade ainda não o permitiu.

Gostávamos também de acompanhar este post com uma explicação mais profunda do que é o Sionismo (ou "Zionismo", como aparece grafado nos sites das teorias da conspiração neo-nazis), um termo que a extrema-esquerda, a extrema-direita e o Islamismo, difamam incansavelmente.  Três ideologias contraditórias entre elas, que se odeiam, mas unidas pelos inimigos comuns da Paz, da Liberdade, da Democracia, do BEM.

Quantos dos que falam com desenvoltura acerca do Sionismo, saberão de que se trata? Uma boa proposta de leitura para esses e para todos, é do blog Lisboa - Jerusalém e leva o nome "O Sionismo e Jerusalém".

 PARTE 1, PARTE 2, PARTE 3, PARTE 4, PARTE 5, PARTE 6, PARTE 7, PARTE 8.


As relações entre cristãos e judeus têm sido alvo de muita difamação. Quem quer demolir o Cristianismo, gosta de o reduzir à Inquisição. Mas na época em que os judeus eram mortos nas fogueiras, os protestantes e os católicos também se matavam mutuamente, e até aos seus correlegionários, como foi o caso do excêntrico pregador católico Girolamo Savonarola. Eram tempos de loucura, em que meio mundo perseguia e matava outro meio, não apenas na Europa. Hábitos que hoje nos horrorizam a todos, felizmente.

As atrocidades cometidas nesses tempos de loucura não podem "justificar" as atrocidades de hoje, como pretendem alguns.

Mas a extrema-esquerda, a extrema direita e o Islamismo, unidos pelo ódio ao Judeo-Cristianismo igualam Cristianismo a Inquisição, e Judaísmo a tudo o que sabemos (ver www.paLIEStine.com, por exemplo). 

Até "lamentam" os mortos judeus da Inquisição, enquanto aplaudem a morte de judeus todos os dias em Israel, hipocrisia das hipocrisias! 

Tal como assobiam para o lado enquanto decorre o maior Holocausto da História, que é o dos cristãos no mundo muçulmano (como Walid Shoebat, ex-terrorista islâmico "palestino", convertido ao Cristianismo, não se cansa de lembrar).



O Estado Islâmico está a dizimar os Cristãos - já alguém lhe disse?

A extrema-esquerda, no seu "igualitarismo", tanto odeia cristãos como judeus. Esse sector ideológico (ou criminoso, depende do ponto de vista) gosta bastante de afirmar a aldrabice de que Hitler era cristão, e de que os cristãos colaboraram massivamente no Holocausto. Quando bem sabemos que os muçulmanos o fizeram, com enorme empenho:

Hitler e o Grande Mufti de Jerusalém (COM VÍDEOS)


Hitler era um pagão Helenista com simpatia pelo Islão e pelo seu profeta (que era o único que ele dizia admirar, e lamentava que a Europa não tivesse sido islamizada) e a religião da Alemanha nazi era o Nazismo. Na verdade, até a Itália, aliada dos nazis, salvou carradas de judeus. 

Aos inimigos do Bem, essas mentiras interessam, porque lhes interessa demolir o Cristianismo, o Judaísmo, e todas as expressões do Bem, uma de cada vez. 

Coerentemente, apoiam os terroristas islâmicos. O inimigo dessa gente é a civilização judaico-cristã, que deu ao Mundo a crença em Deus e o amor ao próximo, substituindo o culto da força bruta e do poder despótico.


Garcia de Orta, um de muitos portugueses judeus

P.S. - E sim, quando Portugal foi fundado, já havia judeus neste cantinho há mais de mil anos. A nossa Península era parte do Império Romano quando Israel também o era. Muitos judeus expulsos de Israel vieram aqui refugiar-se.  São uma das raízes do povo português.

O Ministro das Finanças de D. Afonso Henriques, Yahia Ben Yahia III, era judeu português. O alfaiate de D.Afonso V era um hebreu português – mestre Latão –, e o de D. João II era outro – MestreAbraão. Garcia de Orta, pioneiro da Ciência, era judeu e português. Os cérebros dos Descobrimentos portugueses, foram judeus portugueses. Fernando Pessoa, Judá Abravanel, Abraão Zacuto, Pedro Nunes, Camille Pissarro, Camilo Castelo Branco, Herberto Helder, Amato Lusitano, Benjamin Disraeli, Barros Basto, Baruch de Espinoza, e tantos, tantos outros, conhecidos e anónimos. Você que nos lê, se calhar, também é um judeu português.

E sim, um Espanhol ou Português em cada cinco tem origens judaicas. Somos provavelmente o país mais judeu do Mundo, a seguir a Israel. E quando descobrirmos isso, mudaremos o Mundo, com Israel. Como fizemos no caso de Timor, com a Graça de Deus.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.