sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

"Sémen e Lixo" - o apelo do imã de Jerusalém foi ouvido!

Antes de mais, dois soberbos textos sobre o festim de estupro islâmico da Passagem de Ano:
"Mas só uma minoria de muçulmanos se sabe portar de uma forma que na Europa consideramos adequada perante uma mulher. E só não vislumbra isto quem se esforça por deturpar a realidade ou não conhece o mundo"

Um texto OBRIGATÓRIO, no Observador, por Maria João Marques: 

Islamite aguda


"Dum lado, o activista tem a causa de pobres refugiados árabes que, celebrando o ano novo, foram repreendidos pela tirânica força reaccionária neocolonial, por estarem a festejar segundo os costumes da sua cultura. Portanto, vítimas de xenofobia."
Dum lado, o activista tem a causa de pobres refugiados árabes que, celebrando o ano novo, foram repreendidos pela tirânica força reaccionária neocolonial, por estarem a festejar segundo os costumes da sua cultura. Portanto, vítimas de xenofobia. É uma boa causa. Caso opte por esta boa causa, o activista pode até, para abrilhantar o seu gesto, sugerir que esta bonita tradição étnica seja elevada a Património Cultural Imaterial da Humanidade, uma vez que chega a ser parecida com os nossos patuscos Caretos de Podence.

Ler mais em: http://www.cmjornal.xl.pt/opiniao/colunistas/jose_diogo_quintela/detalhe/a_escolha_de_sofiactivista.html
 Do Correio da Manhã, por José Diogo Quintela:
A escolha de Sofiactivista
Ou o activista pugna pelos refugiados e é machista, ou pugna  pelas mulheres e é racista.
A escolha de Sofiactivista Ou o activista pugna pelos refugiados e é machista, ou pugna pelas mulheres e é racista.

Ler mais em: http://www.cmjornal.xl.pt/opiniao/colunistas/jose_diogo_quintela/detalhe/a_escolha_de_sofiactivista.html
Dum lado, o activista tem a causa de pobres refugiados árabes que, celebrando o ano novo, foram repreendidos pela tirânica força reaccionária neocolonial, por estarem a festejar segundo os costumes da sua cultura. Portanto, vítimas de xenofobia. É uma boa causa. Caso opte por esta boa causa, o activista pode até, para abrilhantar o seu gesto, sugerir que esta bonita tradição étnica seja elevada a Património Cultural Imaterial da Humanidade, uma vez que chega a ser parecida com os nossos patuscos Caretos de Podence.

Ler mais em: http://www.cmjornal.xl.pt/opiniao/colunistas/jose_diogo_quintela/detalhe/a_escolha_de_sofiactivista.html
Post imperdível no Lei Islâmica em Ação:

"Taharrusch", o termo árabe para "assédio sexual coletivo" que entrou no vocabulário mundial


No dia 19 de Setembro de 2015, o nosso blogue dava conta do apelo do imã de Jerusalém ao estupro colectivo das mulheres europeias. O apelo ao estupro das mulheres israelitas já é o trivial - e muito aplaudido pela extrema-esquerda e pela Imprensa, como todo o terrorismo contra os judeus (veja-se o post anterior, por exemplo). O post foi este:
Imã de Jerusalém apela à jihad sexual na Europa
Pois é, é isto que se passa nas mesquitas. Não é o mesmo que as nossas igrejas, não...




O vídeo está permanentemente a ser removido - como são todos os vídeos que mostram a verdadeira natureza do Islão. Mas cá está ele, de novo, o imã da famosa mesquita de Al-Aqsa, em Jerusalém, a incitar os muçulmanos a estuprarem as mulheres europeias.

Ah, a sagrada mesquita de Al-Aqsa, essa fonte de virtudes que "obriga" os muçulmanos a manterem parte de Jerusalém ocupada e a impedirem os judeus de visitarem o local mais sagrado do Judaísmo, o Monte do Templo. As lindas coisas que se pregam na sagrada mesquita de Al-Aqsa...

Via Daily Mail:
O Imã da mesquita de Al-Aqsa em Jerusalém incitou os imigrantes muçulmanos a fazerem filhos às mulheres europeias, de modo a conquistarem os respectivos países, e prometeu:
"Vamos esmagar-vos sob os nossos pés, se Alá quiser".

    O Sheikh Muhammad Ayed fez o discurso na
mesquita Al-Aqsa, em Jerusalém.
 

     Disse que os americanos, italianos, alemães e franceses são obrigados a aceitar refugiados.
 
 Disse aos muçulmanos para usarem a crise dos "migrantes" para se cruzarem com as mulheres europeias e "conquistarem os seus países".

Na Passagem de Ano, os "refugiados" encontraram-se no meio de um mar de mulheres "infiéis", na rua, à noite, e, como na sua cultura as não muçulmanas só servem para escravas sexuais*, toca a estuprar!

A Imprensa, muito contrariada, não pôde deixar de noticiar a grande noite de estupros da Passagem de Ano. Porque foi na Europa. Se tivesse sido na Nigéria ou no Quénia, nem interessava a ninguém. Se tivesse sido em Israel, haveria champanhe nas Redacções, é claro!




Neste vídeo (que o lóbi islamista/de extrema-esquerda em breve retirará)  podemos ver um bando de bestas islamistas a gabarem-se de terem violado, num grupo de sete bestas, uma jovem alemã "que era virgem", e de a terem deixado "coberta de sémen e lixo". Riem-se e gabam-se de a terem deixado "completamente rebentada" no chão a chorar e a implorar pela vida.
Um dos demónios mostra-se visivelmente desapontado porque não violou a infiel no ânus. Mas afirma com orgulho que a "destruíram completamente" e que lhe "cuspiram em cima que nem porcos".

A onda de estupros islâmicos tem aumentado exponencialmente com o afluxo maciço de imigrantes ilegais. As feministas estão em silêncio e os media são especificamente instruídos para esconderem as identidades dos estupradores.
Enquanto estas bestas imundas andam em liberdade, milhares de pessoas na Alemanha estão na prisão por terem ousado dizer a verdade sobre a invasão islâmica.

A Imprensa só reporta a resistência dos moradores, quando estes queimam  abrigos de "refugiados" vazios, para protegerem as suas cidades. Diga-se de passagem que os "migrantes" ateiam a maior parte dos incêndios, porque não estão satisfeitos com a sua localização.
Se você tivesse que mencionar publicamente violações como esta, seria rotulado como "racista" ou "nazi" e, provavelmente, seria acusado de "discurso do ódio", o que seria o fim do seu emprego ou poderia até implicar prisão.

- Traduzido e adaptado da descrição do vídeo. 

NOTE-SE QUE ESTE É APENAS UM CASO ENTRE AS CENTENAS DE MILHAR DE MULHERES E CRIANÇAS ESTUPRADAS PELOS BÁRBAROS ISLAMISTAS. MAS TEMOS QUE AGUENTAR, "PARA NÃO OFENDERMOS A CULTURA DELES"

QUALQUER DIA TEREMOS MERCADOS DE ESCRAVOS E ESCRAVAS AQUI MESMO, NA EUROPA. ELES JÁ OS TÊM NOUTRAS PARTES DO MUNDO. CHEGARÁ A NOSSA VEZ. TODOS OS DIAS, UM POUCO MAIS DE SHARIA, UM POUCO MAIS DE JIHAD.

Mas os judeus é que são maus. Mas os cristãos é que são maus. "A culpa é nossa, porque o George Bush invadiu o Iraque" - dizem os intelectualeiros de extrema-esquerda.

POST-SCRIPTUM: 

Só uma amostra do que aí vem

... menina de 13 anos violada por três muçulmanos durante 30 horas. A polícia que fez? interrogá-la 3 horas seguidas para obter a negação dos factos!

1 comentário:

  1. Vídeos sobre varios temas relacionados: https://www.youtube.com/channel/UCW2cnMvBdnKvetM5PtJj2-g/videos

    ResponderEliminar

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.