sexta-feira, 25 de março de 2016

Terroristas de Bruxelas planeavam ataque nuclear


Já em Dezembro, a polícia belga encontrara evidências de que os homens-bomba do ISIS estavam a planear um ataque nuclear, levantando questões sobre o desempenho do Governo.

Os irmãos Khalid e Ibrahim el-Bakraoui, dois terroristas islâmicos que atacaram o Aeroporto de Zaventem e o metro de Maelbeek em Bruxelas na terça-feira, matando 34 pessoas e ferindo dezenas mais, tinham originalmente planeado invadir uma central  nuclear,
indicam os relatórios.
Uma vez lá dentro, eles poderiam ter detonado um reactor ou colectado materiais para fabricarem uma bomba, disse o jornal belga La Derniere Heure.
Os terroristas tinham filmado a rotina diária do chefe do programa de investigação e desenvolvimento nuclear da Bélgica, e, aparentemente, estavam a planear sequestrá-lo, a fim de terem acesso ao interior das instalações, informou o La Derniere Heure. Em Dezembro, a Polícia descobriu um vídeo de 10 horas tomado a partir de uma câmara escondida atrás de arbustos no exterior da casa do chefe do programa nuclear, cujo nome não foi revelado por razões de segurança.


O aumento da segurança e das acções policiais que levaram à captura de
terrorista  do Estado Islâmico (ISIS) Salah Abdeslam, que foi responsável por vários ataques terroristas realizados simultaneamente em Paris em Novembro, podem ter levado os irmãos el-Badraoui a reconsiderarem a sua meta. 
A Polícia descobriu uma nota de suicídio escrita por Ibrahim el-Bakraoui, 29 anos, que se fez detonar no aeroporto, na qual ele escreveu à sua mãe: "Estou em fuga, não sei o que fazer, estou a ser procurado por todo o lado e já não estou seguro. Se as coisas continuarem assim, vou acabar numa cela ao lado dele". Não ficou claro a quem é que Ibrahim se referia como "ele". Khalid, 27 anos, foi o suicida responsável pela carnificina em Maelbeek. 
A Polícia está à procura de mais suspeitos, sobretudo de Najim Laachrao, que se acredita que foi o fabricante das bombas. 
"Se juntarmos todos os acontecimentos recentes, podemos pôr grandes questões sobre o desempenho do Governo" - disse o Ministro do Interior Jan Jambon, que, juntamente com o Ministro da Justiça Koen Geens, apresentou a sua demissão, informou a Associated Press. Entre as questões de que Jambon fala, avulta o anúncio da Turquia, que tinha advertido a Bélgica no ano passado de que um dos atacantes Bruxelas, Ibrahim El Bakraoui, tinha sido assinalado como um "combatente terrorista estrangeiro".

O primeiro-ministro Charles Michel pediu a Jambon e a Geens para permanecerem nos seus cargos, dados os desafios actuais.
 
"Nós temos que ser muito auto-críticos", admitiu Geens.


- O Estado Islâmico/ISIS formou entre 400 e 600 combatentes especificamente para ataques na Europa, diz a Associated Press. Implantados em várias células terroristas como as que atingiram Paris e Bruxelas, eles estão prontos para atingir a Europa em ataques sangrentos, a fim de criar o máximo de caos.
Via Europe-Israel News

Os terroristas que se fizeram explodir usavam luva numa das mãos, o que terá servido para ocultar os detonadores.

VAMOS AGIR?


"Tolerância e apatia são as últimas virtudes de uma Sociedade moribunda."
- Aristóteles

Bruxelas, Paris, Istambul - Israel quase todos os dias desde que os Árabes invadiram o país em 1920 - o terrorismo islâmico fustiga o Mundo sem cessar. Assine a petição do The Israel Project para ajudar a dizer aos líderes mundiais que BASTA!


De Paris e Londres a Nova Iorque, Washington, Boston e Califórnia. De Tel Aviv e Jerusalém, a Ottawa, Nairobi, Mumbai e Sydney, os terroristas massacram pessoas inocentes em todo o mundo.

Os terroristas pretendem atingir-nos a todos até que nos submetamos à sua ideologia assassina. Todos nós, em nações livres, devemos unir-nos para lutar - e acabar com o terror.


Nós amamos a vida mais do que os terroristas amam a morte. Falando a uma só voz, podemos dizer aos nossos líderes que devem trabalhar juntos e acabar com o terrorismo.


Um ataque a um de nós é um ataque contra todos nós. Os povos livres devem unir-se para acabar com o terror.

Vamos dar o primeiro passo juntos.


Quando esta Petição alcançar 100.000 assinaturas, vamos entregar a mensagem às Nações Unidas em Nova Iorque, ao Congresso dos EUA e ao Parlamento Europeu.

Juntos, podemos fazer a diferença. Obrigado pelo seu apoio!
THE ISRAEL PROJECT

2 comentários:

  1. Ainda bem que não, caso contrário a culpa seria da Central Nuclear.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não duvide de que, para muita gente, a "solução" seria acabar com as centrais nucleares, meu amigo. Afinal, quando há uns tempos um muçulmanos decapitou algumas pessoas com uma faca no IKEA, a "solução" foi deixar de vender facas no IKEA.

      Eliminar

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.