domingo, 8 de maio de 2016

Jihad He Khan! Londres tem "mayor" islamista! - 2

Sadiq Khan, novo "mayor" de Londres, tem feito carreira como advogado a defender terroristas islâmicos.  As suas ligações a islamistas propagadores de ódio como Anjem Choudary são públicas e notórias.

Jihad He Khan! Londres tem "mayor" islamista! - 1

Agora que Londres tem como "mayor" um apoiante assumido do terrorismo islâmico, da jihad, da submissão do Mundo Livre ao Islão, há quem se pergunte como foi possível ao Mundo Livre perder o Reino Unido tão facilmente.
Foi uma mistura de intoxicação mediática, de medo, de apatia, de políticas e políticos abjectos e de muita cumplicidade dos media


TAXA DE NATALIDADE = PODER

"Fecundismo (palavra derivada de fecundidade) é a política de promover deliberadamente uma alta taxa de natalidade entre um grupo, para ampliar os seus números relativamente a outros grupos e, consequentemente, a sua influência política."

UMA NOTÍCIA AO ACASO, DE 2008:
(a Imprensa "séria" não noticiava, e quem se opusesse já corria risco de ser preso, acusado de "racismo"):


Em solo britânico, os muçulmanos têm tido toda a liberdade para advogar a "guerra santa" contra os nativos.

"Tenham mais filhos, para os muçulmanos poderem conquistar o Reino Unido!", disseram os fanáticos do ódio, que também avisaram que "o próximo 11 de Setembro  será no Reino Unido"!
Daily Mail, em 13 de Setembro de 2008

O muçulmano Anjem Choudary, que vive, mais toda a sua família à custa dos contribuintes britânicos, dedica a sua vida a espalhar o ódio e a tentar submeter quem lhe dá de comer. Perdemos a conta das vezes em que aqui desmascarámos este chulo, terrorista e hipócrita.
Os fanáticos de ódio muçulmanos pretendem tomar a Grã-Bretanha fazendo mais filhos e forçando uma explosão populacional, foi revelado. 
O crescimento da população muçulmana é suficiente para conquistarem a Grã-Bretanha a partir de dentro, dizem. 
Os fanáticos disseram numa reunião de jovens muçulmanos no aniversário da atrocidade do 11 de Setembro, que então será fácil de impor a lei Sharia à população, informou o jornal The Sun. Falando numa reunião em Londres, Anjem Choudary, braço direito do pregador exilado Omar Bakri Mohammed, disse: "Pode ser por pura conversão que a Grã-Bretanha venha  a tornar-se um Estado islâmico. Podemos nunca precisar de conquistá-la do lado de fora."
- Por "conversão" entenda-se conversão FORÇADA, como acontece diariamente em terras do Estado Islâmico Global - Quem não se submete é simplesmente degolado. Acontece todos os dias com  cristãos e outros "infiéis", mas a Imprensa ESCONDE!
Sacrifícios dos "infiéis" que não querem "ver a Luz", divulgados pelo ex-islamista e hoje cristão e amigo de Israel, Walid Shoebat.
Choudary acrescentou:
"Nós nunca nos integraremos no Cristianismo. Mas garantimos que um dia vocês vão integrar-se na lei islâmica Sharia".

O pregador e terrorista islâmico Omar Bakri Mohammed esteve activamente envolvido nos massacres de 7 de Julho em Londres e fez parte de diversas organizações terroristas, com destaque para a conhecida Al-Qaeda.
Estes comentários foram feitos enquanto a voz do pregador do ódio Bakri alertava para que o próximo 11 de Setembro teria lugar no Reino Unido. Falando através de uma ligação de vídeo, o clérigo exilado disse que Osama bin Laden tinha ensinado aos americanos a "lição", há sete anos, mas os "Cruzados" não tinham aprendido.
(...) Choudary criticou o Governo por perseguir "muçulmanos inocentes", nomeadamente Bakri, Abu Hamza, Abu Qatada e Omar Brooks, juntamente com os réus em julgamento por terem tentado explodir um avião.
Choudary disse:
"Eles [o governo] dizem que são civilizados. Mas não agem de forma muito civilizada. Eles prenderam o Sheikh Abu Qatada na prisão de Belmarsh. É assim que se trata os convidados?".
Os terroristas fazem-se explodir em autocarros e metropolitanos. Matam cidadãos britânicos. Os muçulmanos indignam-se porque a Polícia prende terroristas. Os governos ocidentais vêem a banda passar!
O Sr. Choudary, em seguida, referiu o objectivo notório de Bakri, de hastear a "bandeira de Sharia sobre Downing Street", alegando que isso irá acontecer em 2020, pois 500 pessoas por dia estão a converter-se ao Islão, e as famílias muçulmanas em lugares como Whitechapel e Bethnal Green no leste Londres estão a ter "10 ou 12 crianças cada".
Choudary vociferou contra corpos muçulmanos tradicionais, como o Conselho Muçulmano da Grã-Bretanha, que condenou os ataques de 11 de Setembro e e de 7 de Julho, acusando-os de "venderem a alma ao diabo".

- Isto é uma notícia, de um dia. Todos os dias, desde há anos, no Reino Unido e em todo o Mundo, o Islão avança, quer pelo terrorismo, quer pelos ventres das muçulmanas. Foi assim que chegámos aqui.

RELEMBRANDO:

O Imã da mesquita de Al-Aqsa em Jerusalém incitou os imigrantes muçulmanos a fazerem filhos às mulheres europeias, de modo a conquistar os respectivos países, e prometeu:
"Vamos esmagar-vos sob os nossos pés, se Alá quiser".

    O Sheikh Muhammad Ayed fez o discurso na
mesquita Al-Aqsa, em Jerusalém.


     Disse que os americanos, italianos, alemães e franceses são obrigados a aceitar refugiados.


    Disse aos muçulmanos para usarem a crise dos "migrantes" para se cruzarem com as mulheres europeias e "conquistarem os seus países".

A ESQUERDA REJUBILA! 

O que quer a Esquerda? - perguntávamos em 2013.

E respondíamos. Os hippies da esquerda querem a islamização da Europa, como prelúdio para os seus amanhãs que cantam. Com o novo "proletariado" islâmico, implantar a ditadura comunista vai ser canja. Mas canja halal, claro!


"Detesto preservativos" - diz o Mohammed!

A viver à custa do contribuinte, o maroto do Mohammed Salim acha que os "infiéis" têm obrigação de o sustentar, mais a Esposa (só tem uma!!!!) e os onze filhos!

Deixou o seu emprego a ensinar Matemática e Ciências já há 3 anos, porque lhe rende mais arrecadar 29,096 libras anuais!

E assim até tem mais tempo para dedicar ao seu partido - que ataca o Governo Britânico, o mesmo que abriga, alimenta, veste e calça toda a sua família!

O maroto do Mohammed também anda ocupado a preparar a chegada do seu 12º filho, com a sua Esposa Noreen, mas não tem planos para arranjar emprego...



"O Islão é superior à democracia" - diz este cartaz em Londres. A apatia dos britânicos levou à perda do país para o Islão. Agora, ou votam no UKIP de Nigel Farage, e numa abordagem à Donald Trump, ou Viktor Órban, ou Marine Le Pen, ou Geert Wilders, ou é tarde demais.

E em Portugal, saberemos RESISTIR? Ou vamos, como outros já fazem, levar as nossas filhas aos invasores, para que eles não nos façam mal?

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.