domingo, 30 de abril de 2017

Alemanha usa UNESCO para completar missão falhada


Basicamente é isto que o Mundo não suporta: ver os judeus ganharem.

«Israel acredita que Berlim liderou mais uma resolução anti-Israel na ONU - apresentada pela Argélia, Egpito, Líbano, Marrocos, Omã, Qatar e Sudão - a que os Estados da União Europeia provavelmente votarão "sim" ou se absterão.
Agora que os 11 Estados-Membros da UE no Conselho Executivo da UNESCO, entre 58 membros, deram sua aprovação tácita ao documento, disseram fontes diplomáticas, será difícil para Israel influenciar outras nações a oporem-se à resolução.»


"Os contínuos assaltos do ministro alemão dos Negócios Estrangeiros Sigmar Gabriel contra a legitimidade do governo israelita podem ter como motivação a vitória nas eleições federais em Setembro.

Na última sondagem sobre a relação entre sentimentos anti-semitas e os resultados eleitorais na Alemanha, jornalistas e especialistas alemães diagnosticaram que Gabriel usa como método a hostilidade crescente contra Israel."
--------------------------------

PORQUE É QUE SER ANTI-SEMITA FAZ GANHAR ELEIÇÕES NA ALEMANHA?
1) Porque a Alemanha ainda não digeriu o seu falhanço em varrer os Judeus da face da Terra.

2) Porque a população alemã dentro de alguns anos vai ser quase toda islâmica.


Não sou judeu (pelo menos que eu saiba, já que, pelos vistos, 30% dos portugueses são judeus e não sabem). Nunca senti acrimónia pelos judeus, apesar de, na minha infância, "judeu" ser um insulto comum. Para começar, não sabia (nem eu nem nenhum dos meus amigos de infância) o que era um judeu. Como hoje a maior parte das pessoas continua a não saber.

Nem os próprios judeus sabem o motivo de o resto da Humanidade ser tão obcecado com eles, para o bem e para o mal (mas sobretudo para o mal, infelizmente). Os judeus são uma pequena tribo. Constituem hoje apenas 0,17% da população do globo (menos de 1 em cada duas mil pessoas é um judeu, portanto). 

O Estado Judaico (o único do Mundo, entre 50 Estados Islâmicos) ocupa uns ridículos 0,5% do Médio Oriente e 0,02% de todo o Mundo Islâmico. 


Consegue encontrar Israel no meio da mancha verde que é o mundo muçulmano?


Veja neste post o tamanho relativo de Israel e de alguns países do Mundo.


Durante dois mil anos, os judeus que ficaram na sua Terra estiveram permanentemente sob implacável perseguição e repressão. E os da Diáspora também. Nenhum povo sofreu perseguição tão continuada e brutal como os judeus (outra particularidade que os judeus de bom grado recusariam).

Até à restauração da independência de Israel, há 70 anos, os judeus eram acusados simultaneamente de serem demasiado ricos e demasiado pobres, de serem simultaneamente os criadores do Capitalismo e do Comunismo, de serem simultaneamente brigões e cobardes. Etc., etc.. O que quer que alguém odiasse, atribuía-o aos judeus. Como hoje acontece, de novo.

Já no século 20, na Era da Plena Luz, da democratização do Conhecimento, da difusão da Liberdade e da Democracia, os judeus foram vítimas de um genocídio sistemático, por parte dos comunistas soviéticos e dos comunistas alemães (vulgo nacional-socialistas, ou "nazis"). Milhões de judeus exterminados no Holocausto nazi e comunista.

Hoje, os judeus estão de volta à sua Terra. Vão juntar-se aos seus irmãos que lá permanecem ininterruptamente há mais de 5 mil anos. Uma das razões para a aliá (migração para Israel) é o renovado crescimento global do anti-semitismo.

Seria de esperar que as pessoas que nutrem aversão aos judeus estivessem aliviadas. Mas não. Os que dizem "Voltem para Israel!", dizem também "Saiam de Israel!".

Kafka só podia ser judeu...

Na Austrália e na Nova Zelândia, na América do Norte, Centro e Sul, onde todos os países foram erguidos sobre as terras das nações tribais que lá existiam, os habitantes clamam contra Israel, acreditam que os judeus realmente "roubaram a Terra aos Árabes".

Sempre a velha projecção. Os países que se estabeleceram efectivamente sobre terras roubadas aos nativos (regra geral após genocídios), culpam Israel dos seus pecados passados.

Em países como a Bélgica, que chacinou atrozmente 8 milhões de africanos, ou o Reino Unido, que teve um dos impérios mais cruéis e genocidas da História, as manifestações contra Israel (que foi alvo dos mesmos extermínios) são sempre bastante concorridas.



 "O inglês Vitoriano, a flor mais fina da civilização" (Cecil Rhodes)


Mais recentemente temos exemplos como o da gigantesca China, que invadiu o Tibete (outro Estado tribal, como Israel ou o Japão), e já exterminou mais de 2 milhões de Tibetanos, e que também é crítica de Israel.

Neste post temos uma lista das potências coloniais que subsistem nos nossos tempos, e que condenam Israel porque o microscópoco Estado Judaico não se suicida colectivamente.

Depois, temos o Mundo Islâmico, que ao longo da sua História sangrenta dizimou mais de 240 milhões de vidas inocentes, tendo levado populações inteiras à extinção, e projecta em Israel as suas próprias atrocidades. Ver:

 


Islão: 1400 anos de HORROR:


E agora, vemos de novo os alemães unirem esforços com os muçulmanos para tentarem cumprir o seu mais querido desígnio: exterminar os judeus, obliterar Israel.

O pretexto agora é a "Palestina". Há 80 anos outra acusação igualmente forjada e absurda, a dos "Protocolos dos Sábios do Sião". Como já foi que os judeus comiam crianças e envenenavam poços, e como mais recentemente é a de que os judeus são lagartos interplanetários que querem dominar a Terra:



Alice Walker (careca, uma das mais famosas proponentes da teoria dos judeus-lagartos espaciais) com outros membros de um conhecido grupo gay, exigindo que Israel deixe passar carregamentos com armas e bombas para Gaza, de modo a que os terroristas do Hamas possam matar ainda mais judeus. O facto de as pessoas gay serem executados no mundo muçulmano, nomeadamente em Gaza, não incomoda estas pessoas.


Se não sabe e quer saber o essencial sobre o mito da "Palestina" Árabe, pode começar por estes posts:

A Mentira Soviético-Palestina

DA ALDRABICE E DA POUCA VERGONHA!

Mas afinal quem são os "palestinos"?

 Inventando a Palestina e os palestinos - 3



Voltando ao princípio: qual o motivo de tanto ódio? 


O Nazismo, o Comunismo e o Islamismo - três ideologias cujos milhões de vítimas inocentes já dizem tudo - odeiam, acima de tudo, os judeus. Todas tentaram, e ainda tentam, exterminá-los. Como outrora tentaram, pelos mesmos motivos, os Impérios do Egipto, Filístia, Assíria,  Babilónia, Pérsia, Grécia, Roma, Bizâncio, Espanha, etc.. Outros candidatos se perfilam, sendo o mais recente o Irão xiita.

O ódio aos judeus costuma estar na razão directa da maldade de uma ideologia ou de um indivíduo. O Povo Judeu foi quem primeiro recebeu a Revelação do Deus Único. E com ela o conceito de Bem e de Mal, da dimensão moral do ser humano. Todo o Judaísmo pode ser condensado na frase "Tratai os outros como gostais de ser tratados". O conceito de amar o próximo como a nós mesmos, é a antítese das ideologias supracitadas e de todas as outras que valorizam apenas a Força e a Matéria, e têm como fim único não o Bem da Humanidade, mas o triunfo do seu próprio clã. 

Os judeus (seres humanos como quaisquer outros e tão falíveis como quaisquer outros) são, contra a sua vontade, o lembrete vivo de uma Ideia que incomoda os maus: a de Deus existe, a de que não existe outro deus, e a de que as suas acções estão erradas e serão punidas. Não podendo atacar Deus, os maus atacam o modesto mensageiro. Atacam os judeus.


Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.