quarta-feira, 12 de abril de 2017

Borussia Dortmund bombardeado "em nome de Alá, o Clemente, o Misericordioso"

"Queiramos ou não, os muçulmanos vêem-nos como vêem aos israelitas: como populações infiéis a invadir, submeter e dizimar."



Ontem à noite, o clube de futebol alemão Borussia Dortmund ia jogar com o Mónaco, na Alemanha, uma importante partida da Liga dos Campeões. O autocarro em que viajavam os jogadores da equipa alemã foi atacado à bomba. 

Imediatamente, os especialistas de tudo e mais alguma coisa - nomeadamente em Islão - que monopolizam os media, acorreram a clamar que tinham sido adeptos de uma outra equipa alemã os autores do ataque. Seriam talvez até marcianos, mas jamais, jamais o Islão!

Um certo comentador de densa cabeleira branca, declarava, radiante e triunfal: "Se as pessoas pensam que são só os muçulmanos que fazem ataques terroristas, estão bem enganadas..."

Esqueceu-se de dizer, o reputado "especialista", que o terrorismo islâmico constitui 94% do terrorismo global nos dias de hoje, e que o Islão é a única "religião" que ainda usa a violência como forma de propagação. As outras religiões proselitistas já só incomodam as pessoas quando lhes batem à porta para anunciar a salvação. E já isso é bem penoso!!!

Teria sido pão para a boca do islamo-esquerdismo se tivessem sido rivais do Borussia Dortmund. Teriam finalmente um acto terrorista não muçulmano para brandir, sempre que a Religião da Paz atacasse.

Andam desesperados para que isso aconteça. Na falta de melhor, sempre que querem ilustrar essa teoria de que "não são só os muçulmanos", apresentam sempre o islamista Anders Breivik como sendo um "extremista de direita":

Breivik: Nazi e Islamista!

Breivik e Outros Islamistas Noruegueses


Há uns meses tiveram um fogacho de esperança...


Quanto aos hooligans, é certo que não são flores que se cheirem, mas não descem tão baixo, ao nível da cobardia islâmica. Batem-se uns com os outros, ou com a Polícia, mas não há registo de ataques à bomba ou assassínios premeditados:

Hooligans contra hooligans: 

  

Vemos sempre esta ânsia dos "especialistas" em eximir o Islão de responsabilidades. Foi assim na Maratona de Boston (em que  culparam a associação de cidadãos armados NRA); no metro de Londres (em que culparam o IRA); na estação de comboios de Madrid (em que culparam a ETA). Etc., etc., etc.. É sempre assim e não poderia ser de outra maneira, pois é para isso que são pagos. 

O objectivo dos "especialistas", a seguir a cada ataque, é anestesiar a opinião pública e ocultar o óbvio. Quando depois se descobre, inevitavelmente, que se trata de mais uma acção da Religião da Paz (que mata aos milhares todas as semanas, desde o século 7), os jornalistas fazem uma adenda discreta, mas é a primeira impressão que fica.  

E até ao próximo ataque dos que os jornalistas não podem ignorar, em que o processo se repete.



A notícia no Jihad Watch:
Alemanha: Muçulmano preso por bombardeio de autocarro de equipa de futebol; carta encontrada diz que o ataque foi realizado em nome do Islão


De acordo com Der Spiegel, a carta foi escrita em alemão e começa com a frase "Em nome de Alá, o Clemente, o Misericordioso" e termina com duas exigências. Em primeiro lugar, os "tornados", uma referência aos aviões de reconhecimento alemães, devem retirar da Síria, e a segunda exigência é que a base dos EUA em Ramstein, na Renânia-Palatinado, deve ser fechada ...
A carta também afirma que as aeronaves de combate alemãs estão envolvidas na matança de muçulmanos do "Estado Islâmico", acrescentando que atletas e outras celebridades na Alemanha e em outras nações de Kreuzfahrer (Cruzados) estão agora numa "lista de mortes".

Poder-se-ia quase pensar que ataques como este tinham algo a ver com o Islão, se não tivéssemos os nossos superiores morais não-muçulmanos constantemente a dizer-nos que não é assim.  


A notícia no Daily Mail:
 

Suspeito islamista foi preso em conexão com o ataque ao autocarro do Borussia Dortmund, depois de a Polícia ter encontrado três cartas a reivindicar que o ataque foi realizado em nome do Islão
Por Chris Pleasance, Julian Robinson, Allan Hall, Simon Jones e James Restall, Daily Mail, 12 de Abril,2017:
Um suspeito "islamista" foi preso em conexão com o ataque à bomba contra o autocarro da equipa do Borussia Dortmund, que as autoridades disseram que se trata de um "ataque terrorista".

    A polícia alemã fez buscas esta quarta-feira em propriedades pertencentes a "dois suspeitos do espectro islâmico" e fez uma prisão, anunciaram os promotores.

Os artefactos explosivos usados ​​no ataque continham pinos de metal, um dos quais foi encontrado enterrado num apoio de cabeça no veículo.


    Frauke Koehler, porta-voz dos promotores federais, revelou que os artefactos explosivos usados ​​no ataque continham pinos de metal, um dos quais foi encontrado enterrado num apoio de cabeça no veículo.

    Koehler disse que foi uma sorte "não ter acontecido nada pior", acrescentando que os investigadores ainda estão a trabalhar para determinar como é que os dispositivos foram detonados e que substância foi usada.


  A polícia disse que foram encontradas três cartas reivindicando a responsabilidade pelo ataque, todas dizendo que foi levado a cabo em nome do Islão ....

    Pelo menos uma das notas fazia referência ao ataque ao mercado de Natal de Berlim, no qual um fanático do ISIS atirou um camião roubado contra a multidão, matando 12 pessoas.

    De acordo com o Der Spiegel, essa carta foi escrita em alemão e começa com a frase "Em nome de Alá, o Clemente, o Misericordioso" e termina com duas exigências:

    Primeiro, os "tornados", uma referência a aviões de reconhecimento alemães, devem ser retirados da Síria, e segundo, a base dos EUA em Ramstein, Renânia-Palatinado, deve ser fechada.

    Controversas operações com drones contra alvos terroristas no
Médio Oriente são controlados a partir da base.

    A carta também afirma que aeronaves de combate alemãs estão envolvidas na matança de muçulmanos no 'Estado Islâmico', acrescentando que atletas e outras celebridades na Alemanha e outras nações de Kreuzfahrer (Cruzados) estão agora numa 'lista de mortes'.


Marc Bartra ficou ferido nas explosões e foi levado para o hospital. Foi fotografado hoje com o braço ligado, após a cirurgia.
  
As estrelas, aterrorizadas, atiraram-se para o chão, quando três explosões espalharam estilhaços de vidro  através do seu autocarro, tendo o defesa Marc Bartra partido um osso no seu pulso direito e necessitado mais tarde de cirurgia para remover "objectos estranhos" do seu corpo.

    O treinador tinha acabado de sair do hotel do clube antes do confronto com o Mónaco para os quartos-de-final da Liga dos Campeões, quando as bombas foram detonadas no que se acredita ter sido um ataque dirigido.

    Um polícia que escoltava o autocarro para o jogo numa motocicleta também foi ferido quando as bombas, escondidas em arbustos nas proximidades, foram detonadas com um telemóvel ou abridor de porta de garagem. O polícia sofreu danos auditivos e choque e foi incapaz de se apresentar ao serviço hoje .


A polícia confirmou que "objectos suspeitos" adicionais foram encontrados no hotel da equipa de Dortmund na esteira do bombardeio do autocarro.



A VELHA DUALIDADE DE CRITÉRIOS

Esta foto é de um veículo blindado da Polícia, perto do estádio:


É natural, há terroristas à solta, mas se a foto fosse de Israel, geraria logo aversão.

Desde que as elites da União Europeia começaram o processo oficial de islamização da Europa, a pretexto dos "refugiados", que os polícias, que dantes circulavam até desarmados, em muitos casos, aqui no Velho Continente, começaram a andar fortemente armados, e em alguns países, como a França, temos mesmo as tropas nas ruas.

União Europeia lança "Eurislam" - o projecto de islamização da Europa 


Um "must" entre os jornalistas estilo o Lobitinho que diz Insha'Allah e é fã do Hezzbollah é irem a Israel fazer fotos como a de cima, para clamarem que Israel é um "Estado policial". E vêm de lá cheios de queixas, porque foram revistados no aeroporto (apesar de toda a gente o ser, em qualquer aeroporto, por causa do terrorismo islâmico).
Os valente jornalista tira a fotografia e faz um figurão. Toda a gente aplaude o herói e assobia Israel. A Ritinha Ferro, a Aninha Bola, o Fernandinho Nobre, o Paulinho Farinha, a Esquerda em peso (a nata da intelectualidade e da virtude, enfim) tudo ali a verberar Israel!

Porque é que a Esquerda Odeia Israel - BREIBART


Mas agora, apesar dos muitos avisos de Israel, é connosco também. Agora  nós também temos polícias fortemente armados nas ruas. Agora nós também somos alvo dos mesmos terroristas, e ninguém se lembra de acusar Portugal ou qualquer país europeu a braços com a jihad, de ser "um Estado policial"!
Queiramos ou não, os muçulmanos vêem-nos como vêem aos israelitas: como populações infiéis a invadir, submeter e dizimar. 
Também por isso devemos apoiar Israel, a guarda-avançada do Mundo Livre no seio do mundo islâmico. Israel é uma pequenina ilha de democracia e liberdade no meio da ideologia mais mortífera e opressora que a Humanidade já conheceu.


Muita gente já compreendeu, finalmente, Israel.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.