sexta-feira, 19 de maio de 2017

Israelita escapa a linchamento por multidão de árabes

Um judeu,  pai de oito filhos, regressava a casa vindo das compras, na Judéia e Samaria, quando foi atacado por centenas de árabes, que se encontravam na sua actividade de eleição: atirar pedras aos veículos. Foi perto de Huwara, na Samaria, esta quinta-feira.
O israelita escapou do linchamento disparando a sua arma contra a multidão que cercava o seu veículo e atirava pedras. Dois árabes, vistos no vídeo abaixo, foram supostamente feridos, seja pelo tiroteio ou por tiros de soldados do IDF, que correram para a área.




O dano ao veículo da vítima do quase-linchamento pode ser visto no vídeo abaixo:

Quando conseguem assassinar israelitas, os colonos muçulmanos fazem grandes festas. Desta vez, não gostaram. E a Esquerda global (neo-nazis incluídos) está igualmente indignada. O judeu, na Judeia, deveria ter-se deixado trucidar pelas bestas irracionais.
Mas quando os judeus marcham ordeiramente para a morte, como nos campos de extermínio, sob a mira das tropas nazis armadas até aos dentes, os mesmos acusam velhinhos, mulheres e crianças, de serem "cobardes". Os judeus simplesmente estão sempre errados, façam ou não façam o que fizerem ou não fizerem. E caladinhos! Senão é porque "estão a vitimizar-se"! 
É por isso que estou e estarei sempre do lado deles. A injustiça, a hipocrisia e o ódio gratuito enojam-me. 
Enfim, este foi apenas mais um episódio da INTIFACADA, ordenada pelo mega-terrorista Mammoud Abbas, financiado pelo mundo inteiro, visita assídua dos Chefes de Estado e interlocutor imposto a Israel. É o novo Holocausto, mas por procuração. 
Os colonos muçulmanos, em Israel como aqui na Europa, vivem à custa de quem trabalha e dedicam a sua vida a matar os "infiéis". Israel, tal como nós, europeus, tem que os mandar para as terrinhas deles. 


P.S. - Um dos mais recentes ataques:
Imagens de câmaras de segurança captaram o momento em que o terrorista jordano de 57 anos Muhammed Abdullah Salim al-Kasaji atacou um polícia israelita de 37 anos na Cidade Velha de Jerusalém, na tarde de sábado, apunhalando-o repetidamente na parte superior do corpo. A vítima foi evacuada para um hospital em Jerusalém e o terrorista foi abatido (coitadinho, só os terroristas que atacam europeus e outros seres humanos é que devem ser abatidos; aos que estão a matar judeus, devemos deixar "trabalhar", não é?...):

2 comentários:

  1. Parabéns pelo excelente trabalho que fazem, tb sou a favor de Israel sempre, abraços brasileiros.

    ResponderEliminar

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.