segunda-feira, 22 de maio de 2017

Trump em Israel reafirma "laço inquebrável"


Trump em Jerusalém para 'Reafirmar Laço Inquebrável com Israel'
Trump transmitiu "as saudações mais calorosas dos amigos e aliados, de todas as pessoas nos Estados Unidos", na cerimónia de boas-vindas no Aeroporto Ben Gurion.
"Na minha primeira viagem ao Estrangeiro como presidente, cheguei a esta terra sagrada e antiga para reafirmar o vínculo inquebrável entre os Estados Unidos e o Estado de Israel", declarou Trump numa cerimónia de boas-vindas oferecida pelo primeiro-ministro Benjamin Netanyahu e pelo presidente Reuven Rivlin.
"Estou profundamente grato pelo vosso convite e estou muito, muito honrado por estar convosco", disse Trump. "Nós amamos Israel, respeitamos Israel e envio ao seu povo as mais calorosas saudações dos seu amigos e aliados, de todo o povo nos Estados Unidos da América".


Trump no Kotel.

"É maravilhoso estar aqui em Israel", continuou. "Nesta terra tão rica em História, Israel construiu uma das grandes civilizações do mundo, uma nação forte, resiliente, determinada e próspera".
"É também uma nação forjada no compromisso de que nunca vamos permitir que os horrores e as atrocidades do século passado se repitam", acrescentou, numa referência óbvia ao Holocausto.
O líder dos EUA também discutiu brevemente seu desejo de ver a região em paz.

 
O Presidente Donald Trump discursando no Aeroporto Ben Gurion.

"Novas Razões para a Esperança"
Referindo-se à sua visita à Arábia Saudita no fim de semana, Trump disse ter "encontrado novas razões para a esperança" e "alcançado acordos históricos para buscar uma maior cooperação na luta contra o terrorismo e a sua ideologia maligna".
As próximas paragens de Trump na sua primeira viagem ao Estrangeiro como presidente dos EUA são o Vaticano e uma cimeira da NATO na Bélgica.
"Temos diante de nós uma rara oportunidade de trazer segurança, estabilidade e paz a esta região e ao seu povo, derrotando o terrorismo e criando um futuro de harmonia, prosperidade e paz", sublinhou. "Devemos trabalhar juntos para construir um futuro no qual as nações da região estejam em paz e todos os nossos filhos possam crescer livres de terrorismo e violência. Mas só podemos chegar lá trabalhando juntos. Não há outro caminho".
Por United With Israel

O discurso de Trump:



Trump foi orar ao Kotel (vulgo Muro das Lamentações)
Numa estreia presidencial norte-americana, Donald Trump foi orar ao Kotel e esteve imerso nos seus pensamentos, hoje, em Jerusalém, logo depois de colocar uma nota numa fenda das pedras maciças que são o que resta do Templo de Salomão.


Se quiser ver o Kotel em directo, a qualquer hora do dia ou da noite, há diversos sites que o proporcionam, todos os dias do ano. Este é um deles.
É emocionante, podermos, em qualquer parte do Mundo, ver em directo o local onde Abraão ergueu o primeiro altar ao Deus Único, onde Jacob/Israel teve o seu famoso sonho da Escada Celeste, onde se ergueram os dois primeiros Templos e onde em breve se erguerá o Terceiro e definitivo, se Deus quiser.


1865 - Judeus orando no Muro das Lamentações, em Jerusalém - Israel Daily Picture.

Paredes de Jerusalém brilham com show de luz
Israel iniciou uma série de celebrações que marcaram o 50º ano desde a libertação do Muro Ocidental de Jerusalém e da Cidade Velha, com um extraordinário show de luz, domingo a noite, resumindo a história da Cidade Santa, com o presidente e o primeiro-ministro da nação presentes.


Trump responde ao pedido do ministro israelita de "reconhecer Jerusalém" como capital de Israel
O ministro da Educação, Naftali Bennett, quando apertava a mão ao presidente Trump, aproveitou uma pequena janela de tempo para transmitir uma mensagem sobre a necessidade de que Jerusalém seja reconhecida como a capital unificada de Israel. Trump respondeu: "That's a good one!". O Google Tradutor diz que a frase significa "Essa é boa!".


Realmente, é boa!
2,2 biliões de cristãos, 1,6 biliões de muçulmanos, 14 a 18 milhões de judeus (entre outros) reconhecem que Israel é a única nação fundada por Deus, e Jerusalém é a sua capital. A escritura está lavrada na  Bíblia, que os acima citados cidadãos (entre outros) reconhecem desde sempre como sagrada, e que contém o relato dos 5 mil anos de História dos Judeus e de Israel.
Mas a ONU, o mundo islâmico e seus aliados, continuam a pressão para que Jerusalém não seja reconhecida oficialmente como capital de Israel. Possivelmente, Deus (o Deus da Bíblia, de Israel, e de biliões de pessoas), também não os reconhece a eles.


VIVA ISRAEL!

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.