sábado, 29 de julho de 2017

Liverpool: Atacados por serem "não-muçulmanos e brancos"

Esta história tem um herói muçulmano, que podia ter fugido, mas enfrentou este gangue:


É de louvar a atitude, mas também devemos perguntar porque é que não vemos pessoas de outras religiões a atacarem quem os recebe na Europa e os sustenta. Todos sabemos a resposta: o Islão é supremacista e ordena a luta contra os "infiéis" até que estes se submetam... ou morram.



Gangue muçulmano ataca pessoas em Liverpool por serem "não-muçulmanos e brancos"

por Neil Docking, Liverpool Echo, 27 de Julho de 2017 (via Creeping Sharia):

    
Um gangue de homens muçulmanos invadiu o centro da cidade de Liverpool atacando estranhos por estes serem  brancos e "não-muçulmanos".

 
    
Uma testemunha temeu que Amin Mohmed, Mohammed Patel e Faruq Patel fossem terroristas do ISIS.

    
Os muçulmanos, bêbados, atacaram três homens desconhecidos e espancaram Gary Bohanna quando ele revelou que ele era cristão.
    
Faruq, de 19 anos, enquanto se ria, filmou Mohamed a atacar Paul Lynch no chão, enquanto a sua namorada, aterrorizada, tentava protegê-lo.

VÍDEO JÁ RETIRADO PELO LÓBI ISLAMO-ESQUERDISTA DO YOUTUBE/GOOGLE:


     
O Tribunal de Liverpool ouviu os agentes de contra o terrorismo que revistaram as casas dos três homens em Bolton, após o incidente chocante no dia 20 de Março do ano passado.

   
A juiz, Louise Brandon, disse: "Esta foi uma campanha de violência vergonhosa nas ruas desta cidade".

    
Paul Treble disse que o seu amigo muçulmano Edris Nosrati viu os atacantes a espancarem um homem na Bold Street por volta das 3.30 da manhã.

    
Ele disse: "Ele ficou preocupado porque um deles parecia estar usar linguagem racista, falando sobre muçulmanos e cristãos".

    
"Um deles abordou o Sr. Nosrati e disse:" Você é muçulmano? ", O Sr. Nosrati disse que era, mas o homem disse 'Bem, qual é a palavra muçulmana?'".

    
Ele disse que Nosrati respondeu com uma frase árabe "bem conhecida": "Não existe outro deus, a não ser Alá, e Maomé é o seu mensageiro".

    
O Sr. Treble disse: "Ele disse que é uma frase frequentemente ligada ao ISIS".




    
"Ele estava preocupado com a possibilidade de eles estarem associados de alguma forma a uma organização extremista".

    
O Sr. Nosrati foi informado de que "podia ir", mas quando tentou impedi-los de baterem em outro homem, um deles respondeu: "Não é da sua conta".

    
Ele seguiu o grupo até Renshaw Street, onde o Sr. Bohanna foi interrogado: "O que é que tu és?".

    
A vítima ficou confusa, mas quando uma delas disse: "Eu sou muçulmano, o que é que tu és?", respondeu: "Sou cristão".

    
O atacante gritou "Porque é que não és muçulmano?" e golpeou-o duas vezes, partindo-lhe os óculos e causando um corte de 2 cm acima do seu olho esquerdo.

  
O gangue então encontrou Lynch, conselheiro do trabalho do Moss Bank, e a sua namorada, Jill Newton.

    
O vídeo feito por por Faruq captou o golpe de Mohmed sobre o Sr. Lynch, um "golpe brutal" que pode ser "visto e ouvido".

    
Nenhum comentário racista é ouvido, mas quando o estudante John Moores é agredido e cai, Faruq pode ser ouvido  rir.

    
Nosrati chamou a polícia, mas Faruq fugiu, e então a testemunha perseguiu-o e agarrou-o.
    

 Faruq deu um soco ao Sr. Nosrati e atingiu-o nos olhos com o telefone, mas o herói manteve-o agarrado ...

    
Mohammed inicialmente negou os assaltos e sugeriu que eles foram abusados ​​racialmente por outros homens.

    
No entanto, ele confessou "atacar as pessoas porque eram brancas e não-muçulmanas".

    
Faruq disse aos polícias que lhe chamaram a ele e aos seus amigos "uns pretos sujos" e eles retaliaram.

    
Ele admitiu que filmava "porque achava engraçado" e descreveu-o como "uma barrigada de riso". Os atacantes admitiram agressão racial ou religiosamente agravada causando danos corporais reais ....

   
Mohammed confirmou que "as pessoas atacadas aquela noite eram o alvo porque eram brancos e não-muçulmanos".


 ----------------------------------

Em nome do politicamente correcto, para "não fomentar o ódio", os media omitem os milhares de casos como este que ocorrem todos os dias em todo o Mundo. Enfiar(em-nos) a cabeça na areia não vai contribuir para resolver o problema da islamização global...

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.