domingo, 27 de agosto de 2017

Apedreje um judeu e passe de ano!

Incitamento 'palestino': Ataque um judeu e obtenha uma passagem de ano escolar!

Jovens e adultos muçulmanos atacam veículos em Jerusalém (foto: AP/Majdi Mohammed).

O Ministério da Educação 'palestino' concede a qualquer aluno que seja preso por atirar pedras e / ou cocktails Molotov contra veículos israelitas uma nota de aprovação.
A concessão de notas de aprovação a estudantes que cometem ataques violentos contra motoristas israelitas é um dos muitos métodos de incitamento ao terror praticados pela 'Autoridade Palestina' (AP), informou a Jewish Press.
De acordo com o site de notícias, uma fonte de segurança israelita disse ao Channel 20: "Uma vez que detivemos um terrorista que atirou um cocktail Molotov. No interrogatório, descobrimos que ele havia decidido realizar o ataque porque naquela manhã tinha um exame, e verifica-se que é costume deles que quando alguém é preso por realizar um ataque no dia de um exame recebe uma nota de aprovação automaticamente".
NDT: É a estes interrogatórios que o Partido Comunista chama "violação dos direitos humanos":

Partido Comunista Português, sempre, sempre ao lado do terrorismo!


"Eles têm medo dos pais", disse outra fonte de segurança. "Então, se eles sabem antecipadamente que  provavelmente falharão no exame, escolhem o terrorismo para obter uma nota de aprovação".
As formas mais populares de incitamento por parte da AP incluem, por exemplo, eventos culturais que gloriam os terroristas; escolas e ruas nomeadas em homenagem aos terroristas; programas de TV para crianças em idade pré-escolar, em idade escolar e adolescentes, que promovem o anti-semitismo e mentiras sobre a "entidade sionista".

NDT: Os apedrejadores árabes, tão incensados por comunistas e nazis, matam as crianças israelitas:


O desespero para passar no ano lectivo é uma razão menos comum para a violência. No entanto, vários jovens terroristas admitiram que realizaram tais ataques por essa mesma razão, disse a fonte de segurança israelita.
O lançamento de pedras provou ser mortal em vários casos. Adele Biton, por exemplo, foi gravemente ferida aos dois anos de idade num ataque terrorista em 2013. A menina passou quase dois anos em cuidados intensivos devido a danos cerebrais traumáticos antes de morrer em consequência dos ferimentos.
Fonte: United With Israel


 Também em Espanhol:

https://unitedwithisrael.org/es/



 --------------------------------

O nosso comentário:
Se o amigo que nos lê está familiarizado com estes assuntos, não estranha mais esta faceta do terrorismo islâmico anti-semita.
Se apenas tem "umas luzes" do que se passa, fique sabendo que esta é a norma: árabes muçulmanos atacam judeus em Israel e os judeus têm que fazer cara alegre, ou está lá o batalhão de fotógrafos e jornalistas, como abutres, à espera de captar uma imagem de um judeu a reagir ao terrorismo para contar só meia história.

Soldado israelita é atacado por grupo de crianças e mulheres, com um batalhão de Lobitinhos pró-terroristas islamistas e comunistas a filmar e a fotografar para tentar caprat alguma reacção:

Um Óscar para Shirley Temper!

 

Se fosse Israel a premiar os seus alunos por atacarem os colonos muçulmanos, o que diria o Mundo?
Mas se o amigo que nos lê é da "opinião" de que os judeus merecem isto porque "atacam os árabes e matam criancinhas", fique sabendo que está a ser enganado... e se calhar gosta!


Ora veja lá como se fabricam as tais criancinhas "mortas" pelos judeus (que, afinal, já as comem de cebolada há dois mil anos, pelo menos):


Judeus apedrejados nas ruas de Israel e crianças atacadas pelos colonos muçulmanos - isto é apenas o dia-a-dia dos judeus na SUA minúscula terrinha, para onde foram desdenhosamente mandados durante 2 milénios:

Haveria milhares de vídeos a mostrar. Não vale a pena estarmos a sobrecarregar (tentamos não ultrapassar 3 vídeos por post). Até porque só não vê a verdade quem não quer ver. E não nos venham com as conversas relativistas esquerdistas de que "nem tudo é preto e branco", etc.; um terrorista é um terrorista e uma vítima é uma vítima! Em Israel como em Barcelona...

Sugerimos uma vista à nossa secção INTIFACADA.
Veja também o canal YouTube PALESTINA LIVRE, a nossa secção PALLYWOOD e o site homónimo.
Não há equivalência moral entre israelitas e árabes neste conflito. Os israelitas são vítimas do mesmíssimo terrorismo islâmico que nós aqui na Europa e no Mundo em geral.

História de Israel - Porque é que não há paz?

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.