terça-feira, 19 de setembro de 2017

Islão: "Pais podem casar filhas recém-nascidas"




Ele tem 80 anos, ela tem 12. Casaram-se. Ela está radiante, não está? É o Islão.


Egipto: clérigo muçulmano diz que os pais podem casar-se com as suas filhas recém-nascidas

Porquê? Porque o casamento infantil é islâmico.

"O islamismo não tem barreira de idade no casamento e os muçulmanos não têm que pedir desculpas aos que se recusam a aceitar isso" - Ishaq Akintola, professor de Escatologia Islâmica e Director dos Direitos dos Muçulmanos, Nigéria.
"Não existe uma idade mínima de casamento para homens ou mulheres na lei islâmica. A lei em muitos países permite que as meninas se casem apenas a partir dos 18 anos de idade. Esta é uma legislação arbitrária, e não a lei islâmica" - Dr. Abd Al-Hamid Al-'Ubeidi, especialista iraquiano em Direito islâmico.

"Não há idade mínima para que as meninas possam casar-se, mesmo que estejam no berço" - Dr. Salih bin Fawzan, clérigo proeminente e membro do mais alto conselho religioso da Arábia Saudita. 
"O Islão não proíbe o casamento de crianças pequenas" - Conselho Paquistanês de Ideologia Islâmica.

Poucas coisas estão mais abundantemente comprovadas na lei islâmica do que a permissibilidade do casamento infantil. A tradição islâmica regista que a esposa favorita de Maomé, Aisha, tinha seis anos quando Maomé casou com ela e nove quando consumou o casamento: 

"O Profeta escreveu o (contrato de casamento) com Aisha quando ela tinha seis anos e consumou o seu casamento com ela quando ela tinha nove anos e ela permaneceu com ele por nove anos (ou seja, até à sua morte)" (Bukhari, 7.62.88) . 

Outra tradição tem a própria Aisha a contar a cena: 

"O Profeta comprou-me quando eu era uma menina de seis (anos). Nós fomos a Medina e ficámos na casa de Bani-al-Harith bin Khazraj. Então fiquei doente e o meu cabelo caiu. Mais tarde o meu cabelo cresceu (novamente) e minha mãe, Um Ruman, veio até mim enquanto eu estava a brincar num balancé com algumas das minhas amigas. Ela chamou-me, e eu fui com ela, sem saber o que queriam fazer comigo. Ela pegou-me pela mão e fez-me ficar na porta da casa. Eu estava sem fôlego, e então, quando a minha respiração ficou outra vez normal, ela tomou um pouco de água e esfregou o meu rosto. Então ela fez-me entrar na casa. Ali, na casa, vi algumas mulheres Ansari que diziam: 'Os melhores desejos e a Bênção de Alá e boa sorte'. Então ela entregou-me e eles prepararam-me (para o casamento). Inesperadamente, o Apóstolo de Alá veio até mim e a minha mãe entregou-me a ele, e naquela época eu era uma menina de nove anos de idade".
(Bukhari 5.58.234)

Maomé tinha nesse momento cinquenta e quatro anos de idade. 

Casar meninas jovens não era assim tão incomum naquele tempo, mas porque no Islão Maomé é o exemplo supremo de conduta (ver Corão 33:21), ele é considerado o modelo até hoje. E assim, em Abril de 2011, o mufti de Bangladesh Fazlul Haque Amini declarou que aqueles que tentavam aprovar uma lei que proibia o casamento infantil nesse país estavam a dar má fama a Maomé: 

"Proibir o casamento infantil irá pôr em causa o casamento do sagrado profeta do Islão, [colocando] o carácter moral do profeta em controvérsia e desafio". Ele acrescentou uma ameaça: "O Islão permite o casamento infantil e não será tolerado que algum governante tente tocar nessa questão em nome de dar mais direitos às mulheres". 

O Mufti disse que 200 mil jihadistas estavam prontos para sacrificar as suas vidas por qualquer lei que restringisse o casamento infantil. 




Da mesma forma, o influente site Islamonline.com em Dezembro de 2010 justificou o casamento infantil invocando não apenas o exemplo de Maomé, mas o Alcorão também: 

"O Nobre Alcorão também menciona o período de espera [i.e. para uma esposa divorciada se casar novamente) para a esposa que ainda não teve menstruação, dizendo: "E aqueles que não esperam a menstruação entre as suas mulheres, em caso de dúvida, então o período é de três meses e [também para] aquelas que ainda não tiveram a primeira menstruação" [Alcorão 65: 4]. Uma vez que esta lei não foi abolida, podemos concluir deste versículo que é permitido ter relações sexuais com uma meninas pré-púberes. O Alcorão não é como os livros de jurisprudência que mencionam quais são as implicações das coisas, mesmo que sejam proibidas. É verdade que o profeta fez um contrato de casamento com Aisha quando ela tinha seis anos, no entanto, ele não fez sexo com ela até aos nove anos de idade, de acordo com o al-Bukhari." 

Outros países tomam o exemplo de Maomé como base das suas leis em relação à idade legal do casamento para as meninas. O artigo 1041 do Código Civil da República Islâmica do Irão afirma que as meninas podem ser compradas para casar antes dos nove anos e casarem aos nove: 

"É proibido o casamento antes da puberdade (nove anos lunares completos para meninas). O casamento contraído antes de atingir a puberdade com a permissão do tutor é válido desde que os interesses da família sejam devidamente observados". De acordo com Amir Taheri em 'The Spirit of Allah: Khomeini e a Revolução Islâmica '(pp. 90-91), o próprio Ayatollah Khomeini do Irão casou-se com uma criança de dez anos quando tinha vinte e oito anos. Khomeini chamou ao casamento com uma menina pré-púbere "uma bênção divina" e aconselhou os fiéis a darem as próprias filhas em conformidade: "Façam o vosso melhor para garantir que as vossas filhas não vejam seu primeiro sangue em vossa casa". Quando ele assumiu o poder no Irão, baixou a idade legal casamento das meninas para os nove anos, de acordo com o exemplo de Maomé.



--------------------------------------

"Clérigo muçulmano salafista diz que os pais podem casar-se com as suas filhas recém nascidas" 
por Mariam Nabbout, StepFeed, 18 de Setembro de 2017 





Na semana passada, o pregador salafista egípcio Muftah Mohammad Maarouf, também conhecido como "Abu Yahya", afirmou que é absolutamente bom que uma menina recém nascida seja casada por seu pai - mesmo em idade tão jovem. 
Sim, você ouviu bem. A declaração foi feita durante uma entrevista de TV ao vivo num programa em que se discutia um polémico projecto de lei destinado a baixar a idade matrimonial no Egipto para 16 anos. 
De acordo com o pregador, se nenhum dano for feito a uma mulher, então nada deve impedir que ela se case, independentemente da idade. 


O reverendo Abu Yahya

"Eu não sou o único a dizer isso, na Sharia islâmica não há idade definida para o casamento quando se trata de mulheres", disse Maarouf. Quando o apresentador do o pressionou com: "Se isso for verdade, qualquer idade seria boa para o casamento, 2 meses ou 1 ano", o pregador respondeu chocantemente: "Mesmo que ela tenha apenas 1 dia de idade".

----------------------------------------


Quando estes homens chegam ao Ocidente, continuam as suas práticas pedófilas:



Breves Notas
- A luxúria e a aberração sexual pedófila é uma das maiores forças do Islão, uma ideologia virada para a satisfação dos piores instintos do homem, sobretudo os sexuais. Muitos jovens ocidentais juntam-se ao ISIS e a outros grupos terroristas para poderem ter escravas sexuais, nomeadamente crianças.
- Obviamente que nem todos os muçulmanos casam as filhas recém-nascidas. Mas a ideologia islâmica aceita o casamento com crianças, e em certos casos bem novinhas (em muitos casos a partir de 1 ano de idade). O Islão não tem uma autoridade central comparável ao Papa, pelo que fica ao critério de cada líder dar os conselhos que entenda. Por exemplo:
- Os muçulmanos são ensinados desde o berço a odiar e desprezar cristãos e judeus, pelo que, ao chegarem ao Mundo Livre, as nossas mulheres e crianças são as primeiras vítimas dos apetites sexuais. A epidemia de estupro islâmico que varre o Mundo Livre é uma das consequências da invasão; uns quantos exemplos nas nossas secções CRIANÇAS, MULHERES e JIHAD SEXUAL.


"O Bloco de Esquerda quer que os filhos menores processem os pais que se oponham à mudança de sexo"... 

- Os hippies-halal, a extrema-esquerda, os neo-nazis, as neo-feministas de extrema-esquerda, os neo-gays de extrema-esquerda, convivem muitíssimo bem com estas práticas islâmicas. O que os irrita é que Israel se defenda dos seus camaradas terroristas do Hamas ou do ISIS... Ideologias aberrantes são aliadas naturais.

Este caso é um mero EXEMPLO!

Visite a nossa secção:

domingo, 17 de setembro de 2017

"A pior situação desde a Segunda Guerra Mundial"- governo dinamarquês sobre a invasão muçulmana


O Estado de Direito está a implodir na Dinamarca enquanto a "jihad de baixa tecnologia" e os gangues de "migrantes" se apoderam das ruas. O governo dinamarquês não deveria estar surpreendido. Mas está...

Milhares de casos de muçulmanos que desparafusam as rodas dos carros, grandes pedregulhos lançados a partir de passagens aéreas das estradas, fios de aço finos esticados em caminhos para bicicletas destinados a decapitar ciclistas desavisados, estão a espalhar uma crescente sensação de horror entre os dinamarqueses.
Em quase todos os casos, os perpetradores são dos países do Médio Oriente, África do Norte e Paquistão. (Os tais que a propaganda oficial da União Europeia diz que são "refugiados da guerra na Síria").

No último desenvolvimento do que foi caracterizado como "jihad maciça de baixa tecnologia", gangues de "migrantes" e "refugiados" de ascendência árabe ou norte-africana estão a alvejar
aleatoriamente pessoas inocentes na capital, Copenhaga, colocando em perigo a vida dos residentes visitantes desta popular cidade turística.
Três pessoas já foram filmadas no que parece ser uma forma selvagem de tiro ao alvo. Uma vez que todos os feridos eram homens jovens - e na tentativa de minimizar o número de futuras vítimas - a Polícia dinamarquesa avisou todos os homens entre 17 e 25 anos de idade para evitarem espaços públicos em Copenhaga.

Preben Bang Henriksen, porta-voz do partido do governo maioritário da Dinamarca, o Liberal Venstre, está horrorizado com o declínio tão rápido na segurança dos espaços públicos do Reino, anteriormente seguro e calmo:
"Não tivemos avisos da Polícia desde a Segunda Guerra Mundial. É totalmente inaceitável", disse Preben Bang Henriksen.
Uma porta-voz dos social-democratas da oposição, Trine Bramsen, concorda com o governo liberal, classificando a actual situação de segurança como "uma catástrofe".
Durante décadas, os críticos do islamismo e da imigração muçulmana alertaram sobre as políticas liberais irresponsáveis ​​que incentivam a aceitação de migrantes ou refugiados de países islâmicos. Por isso, os políticos dinamarqueses não deveriam surpreender-se com o surgimento desta violência desprezível. Mas aparentemente estão surpreendidos.
Na tentativa de reduzir essa rápida deterioração do Estado de Direito - e da segurança pública em geral - o Parlamento da Dinamarca concordou em implantar o Exército nas ruas do país.


Desde há décadas que jornalistas como este conhecido islamista e adepto do grupo terrorista jihadista e nazi Hezzbollah vão a Israel fotografar o Exército nas ruas, para apresentarem a "conclusão" de que "Israel é um Estado policial". Não quererão ir agora à Dinamarca, a França, ao Reino Unido, à Europa toda, fotografar a tropa nas ruas? É que o motivo é o mesmo: Israel deixou os muçulmanos voltarem a invadir o país em 1920, e nos, europeus, estamos a fazer o mesmo agora.

Essa medida irá reduzir ainda mais a capacidade da Dinamarca para cumprir as suas obrigações na NATO. Apesar de o governo ter prometido ao presidente dos EUA, Donald J. Trump, que aumentaria os recursos do país destinados a apoiar a aliança militar. 
Actualmente, a Dinamarca está a gastar apenas 1,17% de seu PIB em Defesa, ficando longe dos acordados 2% que a adesão à NATO exige, pelo acordo de 2006.

Jihad Watch
---------------------

Lista de vídeos sobre a invasão e o caos islâmico na Dinamarca e na Europa:

Bombista muçulmano do metro de Londres detido e libertado há duas semanas


Com 55 milhões de muçulmanos na Europa, são simplesmente jihadistas a mais para a Polícia poder deter a todos.  E muitos, muitos mais estão a chegar, cortesia das políticas de imigração dos líderes europeus, que estão muito mais preocupados em perseguir os inimigos do terrorismo jihadista do que em perseguir os jihadistas.
Uma "pobre criança refugiada", de 18 anos, foi presa no porto de Dover por estar implicada no ataque à  bomba em Parsons Green. O doce menino já tinha sido detido pela Polícia há duas semanas, mas foi libertado. Agora, e como podemos ver na TV, os detectives estão a passar a pente fino a residência do casal de aposentados que o acolheu.

Moussa Oukabir, o doce menino de 17 aninhos, matou 13 pessoas em Barcelona ao volante de uma carrinha. O menino tinha-se tornado mais interessado em religião antes do ataque. Tão fofinho...

No Islão a gratidão não existe. Quem faz bem aos muçulmanos é visto apenas como fraco. O Islão manda odiar os infiéis e sorrir-lhes quando em posição de "fraqueza", mas "com o coração cheio de ódio". Felizmente nem todos os muçulmanos levam a religião a serio. Mas quando levam, o resultado é sempre este:



Penelope Jones, 71, e o marido Ronald, 88.

Trump estava certo! A Polícia deteve o "menino refugiado", de 18 anos, preso em Dover por causa da bomba no metro, HÁ DUAS SEMANAS, mas deixou-o ir em liberdade. Agora a Polícia faz buscas na casa da família de acolhimento, de um casal de Membros do Império Britânico.
Via DAILY MAIL
    O bombista suspeito de Parsons Green era um "filho adoptivo problemático" que foi preso duas semanas antes do ataque mais foi libertado.

    
A Polícia está a revistar uma casa em Sunbury-on-Thames depois de um candidato a asilo de  18 anos de idade ter sido detido no porto de Dover no início de hoje enquanto aparentemente tentava sair do país.

    
A casa pintada de lilás que foi invadida pela Polícia em conexão com o ataque, que feriu 30 pessoa, é de propriedade de um casal de bom coração que foram ambos nomeados MBEs por terem acolhido centenas de crianças.

    
Penélope Jones, de 71 anos, e o seu marido, Ronald, 88, criaram 268 crianças adoptivas na casa durante três décadas e os últimos oito foram refugiados.

Vizinhos aguardam que as buscas terminem para poderem regressar a suas casas.

    
Os agentes invadiram a casa em Cavendish Road às 2 da manhã, cerca de seis horas após terem detido o suspeito na sala de partida do Porto de Dover.

    
Cerca de 60 pessoas foram evacuadas de perto da casa, e relatos não confirmados sugeriram que "explosivos" foram encontrados no jardim e "armas de fogo" vistas sob as tábuas do chão.

   
A vizinha Carrie Hill, 38 anos, disse: "A Polícia disse que foi encontrada
uma bomba no jardim e que havia armas de fogo escondidas sob as tábuas do chão".

    
Não há nenhuma sugestão de que os Jones tenham conhecimento de qualquer suposto crime na propriedade.

    
Amigos íntimos dos pensionistas Penny e Ron Jones disseram que o casal - que é amplamente respeitado na área - estava "desesperado" com o adolescente.

 A bomba no metro poderia ter tido um resultado bem pior.

    Serena Barber, de 47 anos, que conheceu o casal toda a vida e vive numa propriedade que confina com a deles, disse: "Eles têm dois meninos no momento, ambos são estrangeiros. Um é muito calmo e educado, o outro com 18 anos é horrível".

    "Eu sei que há duas semanas ele foi preso pela Polícia de Parsons Green, e que foi reconduzido a casa de Penny e Ron. Depois disso Penny disse que ia ter que parar de de cuidar dele, pois não conseguia lidar com ele".

    Os desenvolvimentos ´prosseguem e a Polícia revelou que "está tudo em aberto" sobre a possibilidade de haver mais de uma pessoa responsável pelo bombardeio ....

Dantes, a casa de um inglês era o seu castelo. Hoje, a Polícia tem de despejar os ingleses sem mandato, porque a situação é de guerra.

---------------------------------

São "lindos meninos" destes que em Israel apedrejam, esfaqueiam, bombardeiam e abatem a tiro judeus, e que a Imprensa internacional retrata como "heróicas crianças" que se opõem à "ocupação". Cá na Europa (que os muçulmanos consideram também ocupada, pois para o Islão todo o Mundo deve ser muçulmano), já estamos a viver o que Israel vive há 1400 anos.

França: 4 turistas norte-americanas atacadas com ácido

As mulheres que andam sem o véu islâmico são regularmente atacadas com ácido pelos muçulmanos.

"4 turistas americanas atacadas com ácido na estação de comboios de Marselha, diz o promotor", Fox News, 17 de Setembro de 2017:

     Quatro turistas norte-americanas do sexo feminino foram atacadas com ácido na principal estação ferroviária de Marselha este domingo, disse um promotor. Uma mulher foi presa.

----------------------------- 

O papel das Mulheres no Islão é de sub-objectos. O tratamento que lhes é dispensado, e que está consagrado nas Escrituras e nos tratados religiosos é tão inconcebível para a mentalidade ocidental, que a reacção é de incredulidade.
Perante a ameaça islâmica, as pessoas tendem a racionalizar: "Pois, até parece que por cá não há quem faça mal às mulheres!...". Claro que há, mas as nossas leis punem quem ataca as mulheres. O Islão encoraja quem maltrate as mulheres.



 

Visite a nossa secção:
E se quer ter a noção do terror islâmico diário, visite os sites de contra-jihad:

sábado, 16 de setembro de 2017

Netanyahu encontra-se com a comunidade judaica na Cidade do México

O primeiro-ministro Benjamin Netanyahu e Sara Netanyahu participaram num evento com membros da comunidade judaica na Cidade do México:

Tal como acontece com os portugueses, viajantes inveterados, em qualquer parte do mundo encontramos alguns judeus. Integrados e cidadãos leais dos países onde vivem, mas sempre ligados pelo coração à nação de origem. Como nós, portugueses.
Não temos possibilidade de traduzir este discurso, mas fica o ambiente caloroso. Netanyahu fala das perseguições aos judeus, dos sucessivos genocídios, do "judeu errante" que apesar de tudo sobreviveu e é de novo dono da Terra que o Eterno lhe deu. A Escritura da doação consta do maior best-seller de todos os tempos, de um Livro sagrado para biliões de seres humanos, desde há milénios. Os judeus são os nativos de Israel, como os Japoneses o são do Japão, e nada pode mudar isso.
Para mais vídeo da visita de Netanyahu à América latina, visite o canal YouTube do Primeiro-Ministro de Israel.

Israel e Colômbia prometem cooperação na era pós-conflito

 

Na segunda etapa da sua visita à América Latina, Netanyahu e o presidente colombiano fortaleceram laços e assinaram acordos bilaterais.

O primeiro-ministro Benjamin Netanyahu chegou a Bogotá na quarta-feira para a segunda etapa da sua viagem como primeiro primeiro-ministro israelita à América Latina. Ele disse que vê "enormes progressos" na Colômbia, acrescentando que "é apenas o início do que acontecerá nos próximos 30 anos".

Netanyahu e o presidente colombiano, Juan Manuel Santos, comprometeram-se a fortalecer laços em áreas como ciência e turismo, numa altura em que a Colômbia prepara a era pós-conflito. Entre os temas discutidos, foram aprofundadas a cooperação bilateral em tecnologias agrícolas e aquáticas, inovação e combate ao ciber-crime.


 Netanyahu e o presidente colombiano, Juan Manuel Santos.


Netanyahu e Santos acordaram que uma delegação de ciber-segurança colombiana visitará Israel para treino avançado.

Foram assinados dois acordos bilaterais: um memorando de entendimento (MOU) sobre ciência e um acordo de turismo.

O memorando de entendimento foi assinado entre o Ministério da Ciência, Tecnologia e Espaço de Israel, e o seu homólogo colombiano. O objectivo é promover a pesquisa científica conjunta. O MOU insere-se num acordo-quadro de 1962 e promoverá o intercâmbio de conhecimentos, bem como iniciativas no campo da inovação. Para este fim, prevê seminários, conferências e outros eventos.

O objectivo do acordo-quadro bilateral assinado sobre o turismo é promover o turismo, especialmente o turismo organizado, entre os dois países. As partes promoverão a cooperação entre várias organizações de turismo e aspirarão a desenvolver a cooperação no turismo rural, no turismo digital e nas visitas ao património nacional e aos locais religiosos. Irão concentrar-se no fortalecimento da cooperação bilateral na Organização Mundial do Turismo.

Netanyahu expressou o apoio de Israel à adesão da Colômbia aos 35 membros da Organização Intergovernamental de Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE).

Israel é um Estado observador da Aliança do Pacífico. Os Estados membros são a Colômbia, o México, o Peru e o Chile, que combinados constituem a oitava maior economia do mundo. Israel pretende aprofundar a cooperação económica com este importante mercado.

Santos: Israel é um "amigo e um aliado"

A Colômbia está em processo de reconstrução após cinco décadas de guerra entre o governo e a organização terrorista marxista-leninista das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC).

Na sua página no Facebook, Netanyahu comentou a "recepção calorosa" que ele e sua esposa Sara receberam em Bogotá. "Estamos a fortalecer as relações entre os nossos dois países", afirmou.

Colômbia e Israel mantêm há muito tempo uma estreita aliança militar, embora o relacionamento também tenha tido momentos de tensão. Santos chamou a Israel "amigo e aliado".

Netanyahu viajou desde a Argentina e foi depois para o México.


Via:

https://worldisraelnews.com/israel-colombia-pledge-cooperation-post-conflict-era/?utm_source=MadMimi&utm_medium=email&utm_content=Netanyahu+Quotes+Bible+to+Affirm+Claim+to+Judea+%26+Samaria%3B+Trump+Ready+to+Extend+Iran+Deal%2C+Continue+Sanctions+Relief&utm_campaign=20170914_m141447825_Netanyahu+Quotes+Bible+to+Affirm+Claim+to+Judea+%26+Samaria%3B+Trump+Ready+to+Extend+Iran+Deal%2C+Continue+Sanctions+Relief&utm_term=_0D_0A_09_09_09_09_09_09_09_09_09_09Read+Now_0D_0A_09_09_09_09_09_09_09_09_09

Vídeo: Netanyahu recebe documentos sobre nazis da Argentina

O primeiro-ministro israelita Benjamin Netanyahu, na sua primeira visita à América Latina, realizou negociações comerciais e também recebeu uma série de documentos da época da Segunda Guerra Mundial.


Via:

https://worldisraelnews.com/watch-netanyahu-receives-documents-nazis-argentina/?utm_source=MadMimi&utm_medium=email&utm_content=Netanyahu+Quotes+Bible+to+Affirm+Claim+to+Judea+%26+Samaria%3B+Trump+Ready+to+Extend+Iran+Deal%2C+Continue+Sanctions+Relief&utm_campaign=20170914_m141447825_Netanyahu+Quotes+Bible+to+Affirm+Claim+to+Judea+%26+Samaria%3B+Trump+Ready+to+Extend+Iran+Deal%2C+Continue+Sanctions+Relief&utm_term=_0D_0A_09_09_09_09_09_09_09_09_09_09Watch+Now_0D_0A_09_09_09_09_09_09_09_09_09

sexta-feira, 15 de setembro de 2017

Mais um pacífico ataque terrorista em Londres


O pão nosso de cada dia da Europa: "Temos que viver com o terrorismo", dizem os líderes europeus. Os direitos dos 'migrantes' muçulmanos estão acima da segurança nacional, diz o Papa...

Mais um ataque terrorista em Londres. Quem terá sido o autor? Algum grupo católico a protestar porque as pessoas estão a ir menos à missa? Algum grupo budista indignado com a quantidade de bares e discotecas chamadas "Buda"? Algum grupo judaico chateado com o aumento do preço do bagel? Algum grupo sikh revoltado porque as pessoas andam por aí de cabelos à mostra? Mistério!!!...
Ouvi dizer na rua, cheguei a casa, liguei a TV, fiz zaping e fiquei a saber o mesmo. Ouvi uma jornalista a citar Trump: "Fizemos mais na luta contra o terrorismo em 9 meses do que Obama em 8 anos". E depois o Moita Flores começou a gritar "ORDINÁRIO! ORDINÁRIO!" com tal fúria, que desliguei o televisor, com receio de ser atingido por algum perdigoto.
Estava mesmo chateado o Moita Flores, porque Trump está a dar na cabeça dos terroristas... Nunca o vimos a chamar ordinário a quem assassina e mutila inocentes em nome de Alá.



"Metro de Londres" - Dispositivo explosivo improvisado "detonou no metro na hora ponta"
por Laura Smith-Spark, Erin McLaughlin e Nina dos Santos, CNN, 15 de Setembro de 2017:

    
Londres (CNN) Uma explosão na hora de ponta causada por um dispositivo explosivo improvisado num comboio subterrâneo de Londres feriu 22 pessoas e está a ser tratada como ataque terrorista pela Polícia Metropolitana de Londres.
    Não se acredita que nenhum dos feridos esteja em condição grave ou fatal, de acordo com o London Ambulance Service.

    
A explosão ocorreu às 8h20 da hora local (3:20 a.M. ET) esta sexta-feira numa linha de transporte de passageiros no centro de Londres.

    "Esta foi uma detonação de um dispositivo explosivo improvisado", disse o comissário assistente da Polícia Metropolitana, Mark Rowley, em conferência de Imprensa na sexta-feira.

    A maioria das lesões parece ser o resultado de queimaduras, disse ele.

    Perguntado por um repórter se a Polícia tinha alguma informação sobre o agressor, Rowley disse: "É uma investigação em curso".

    Centenas de detectives estão a trabalhar no inquérito com o apoio do serviço de informações nacional da Grã-Bretanha, o MI5.
    Uma fonte de segurança britânica que foi informada sobre a investigação disse à CNN que um temporizador foi encontrado no dispositivo. É claro que o dispositivo foi destinado a causar danos muito maiores, disse a fonte, mas advertiu que a investigação ainda está nas etapas preliminares.

 

    Downing Street emitiu uma mensagem da primeira-ministra Theresa May, dizendo: "Os meus pensamentos estão com os feridos em Parsons Green e com os serviços de emergência que estão a responder com valentia a este incidente terrorista".

   May vai presidir a uma reunião de emergência do COBRA esta sexta-feira para discutir o incidente, disse Downing Street.

    A estação de Parsons Green está fechada, um grande cordão de segurança foi posto em acção e um grande número de intervenientes de emergência, incluindo polícias armados, estão no local.

    "De repente, houve um boom", observou a testemunha ocular Gustavo Vieira à CNN. "Todos a gritar e a pedir socorro... Nós acabávamos de sair da carruagem [quando a explosão aconteceu] ... Assim que se ouviu a explosão, todos começaram a correr ... E eu não olhei para trás." ...

--------------------------------



A ter sido um ataque islâmico, este é apenas um pequeno episódio da jihad diária que varre o Mundo há 1400 anos, com um número estimado de mais de 670 milhões de vítimas. A maior parte dos ataques terroristas são impedidos, graças aos odiados polícias, aos odiados serviços secretos e aos odiados militares de países com os odiados Estados Unidos e Israel.

Amanhã já deveremos ter as habituais manifestações da extrema-esquerda contra a "islamofobia"... Aqui são os "Gays Contra a Islamofobia" (o Islão condena os gays à morte).

Visite a nossa secção:
E se quer ter a noção do terror islâmico diário, visite os sites de contra-jihad: