sábado, 5 de março de 2016

Hillary Clinton aceita 500.000 dólares para defender o Islão e os muçulmanos

Muitas vezes temos aqui feito a pergunta rectórica: porque é que uma ideologia bárbara, do século VII, pior que o Nazismo e o Comunismo, continua a entrar pelo mundo civilizado adentro, como faca afiada em queijo mole? Uma das razões é que as plutocracias do petróleo dispõem de camiões de dinheiro para comprar jornaleiros, agitadores, escrevinhadores e politiqueiros. Quase toda a gente tem um preço, e há pessoas que se vendem baratinho. A possível futura líder do Mundo Livre roja-se mais uma vez aos pés de Alá.  Os muçulmanos têm a faca e o queijo na mão.



Ainda e sempre ao serviço do Islão. Como o muçulmano Obama.

 
EUA: Hillary Clinton aceita 500.000 dólares para defender o Islão e os muçulmanos.
A administração Obama, que ficou conhecida pela sua subserviência para com as monarquias do petróleo, encontrou a sua sucessora igualmente zelosa e corrupta na pessoa de Hillary Clinton, mais uma boa dhimmi do Islão.
Nos discursos de campanha de Hillary, vi raparigas com  véu islâmico, em fundo, acenando com entusiasmo em apoio de Hillary - o que me revolveu as entranhas, admito. O Islão já se mostra à luz do dia, através de mulheres envoltas em panos, nos comícios da Billary ...
Não tenho nada contra a Religião, mas oponho-me ferozmente à conquista do Mundo Livre pelo Islão, um sistema político totalitário. Nenhuma outra ideologia avança como o Islão. Por todos os meios. Usando a nossa democracia a seu favor, ou através da violência e do terror, conquistam sem resistência e avançam sem cessar, acima de tudo porque gozam da cumplicidade da esquerda no Ocidente.
E eis que a candidata de Wall Street, e de outros grandes interesses nacionais dos EUA, se põe ao serviço de interesses ainda mais particulares, nomeadamente de uma entidade que pretende financiar a sua conquista dos EUA: os Muçulmanos.
Nenhum país no mundo como a América possui um sistema político que permite que interesses privados financiem candidatos, com a exigência de que estes, uma vez eleitos, fiquem às suas ordens. 
Mais uma vez, devo recordar as recentes declarações de Jimmy Carter, que afirmou que o sistema norte-americano se tornou o mais corrupto do mundo.
Foi o Canal 12, de Beaumont, Texas, que revelou a história. Porque é que Hillary fez uma paragem de campanha em Beaumont?
Somente seis pessoas estavam na rua para a cumprimentar, um número muito ultrapassado pelo dos seus guarda-costas. Ela, que sempre desprezou este pequeno mundo.
Mas isso não é o mais grave. A verdadeira razão para a sua paragem foi uma reunião privada em West-Beaumont, onde foi foi recebida por 200 muçulmanos, a maioria de origem paquistanesa. Esta reunião foi organizada por um homem de negócios do Paquistão, Tahir Javed, que ofereceu 500.000 dólares à Billary, o que coloca este doador muçulmano entre os 5 maiores financiadores de Clinton em todo o país. Consequentemente, também ela passa a ser comprada e paga pelo Islão.

"Eu tenho que admitir que uma boa parte do que o meu marido e eu aprendemos sobre o Islão foi através da minha filha. Alguns de vocês que são nossos amigos sabem que ela no ano passado fez um curso de História Islâmica." - Hillary Clinton, em TownHall.com.
Isto, claro, a grande Imprensa vai esconder com zelo, pelo que me senti na obrigação de o dizer aqui. Esta ocorrência necessariamente, vai chegar aos ouvidos de Donald. A esquerda destrutiva do Ocidente e os seus valores encontraram o seu principal representante em Hillary Clinton, mesmo sendo ela conhecida por servir a qualquer senhor, desde que isso a conduza ao poder, que é a única coisa que lhe interessa.


"Sejamos claros: O Islão não é nosso adversário. Os muçulmanos são pessoas pacíficas e tolerantes e não têm nada a ver com terrorismo" - Hillary Clinton. - Para alguém que só conhece o Islão através do que a filha diz em casa, aqui está uma declaração sábia.

Os fins justificam os meios, não importa o interesse público nem as pessoas, pelas quais, como se sabe, ela tem desprezo absoluto. Sob estas condições, o Gargantua Trump, que se auto-financia, deve ganhar as eleições, apesar da sua "pele de laranja" (pela é tão ridicularizado), das  suas "madeixas oxigenadas" e da sua "incontinência verbal populista". Pelo menos ele vai ser um baluarte contra a conquista muçulmana, que avança por todos os meios, incluindo o financiamento de um candidato à presidência dos Estados Unidos.
 Hildegard von Hessen
Via EUROPE-ISRAEL NEWS:

http://www.europe-israel.org/

1 comentário:

  1. Já foi muito longe há muito tempo. Infelizmente precisamos de Ditadores. Os milhões que vão nascendo pelas orelhas não terão tempo de aprender. Precisamos gerar líderes de multidões, treina-los, ajuda-los e vigia-los.

    ResponderEliminar

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.