domingo, 23 de julho de 2017

X-rated! Hot Girls do Estado Islâmico! (e ameaça de morte, eh, eh...)



Terroristas do ISIS tentam escapar disfarçados de mulheres, mas são descobertos por se esquecerem de fazer a barba

Os cobardes jihadistas pertencentes ao ISIS são capazes de fazer qualquer coisa para fugirem da Síria e do Iraque, onde estão a perder o controle, e para isso idealizaram um plano de fuga - que não terminou muito bem.

O plano era disfarçarem-se mulheres, e até usaram maquilhagem, mas esqueceram-se de fazer a barba!
Pensaram que o plano era infalível, mas a sua inteligência limitada impediu-os de se lembrarem de que as mulheres não usam barba nem bigode.
Ver:

Efeitos de séculos de extrema endogamia entre muçulmanos: baixo QI, violência e terrorismo


Aqui estão as matrafonas! (Rapazes, não se apaixonem...).

O Exército iraquiano, apoiado por tropas norte-americanas, demorou nove meses para chegar à cidade de Mosul, mas o ISIS, já sem a ajuda do Irmão Obama, e com Trump ao leme do Mundo Livre, parece ter os dias contados.
Fonte: CASO ISOLADO (um nome genial!!!)

- Por ser domingo e silly-season, este vosso humilde criado seleccionou esta bela notícia para vós. Não tendes nada que agradecer!


P.S. - Ontem um Muamar qualquer veio aqui ameaçar-me de morte por eu ter mostrado a realidade. Típico da moirama. Matam, torturam, estupram, em obediência ao Alcorão, mas quem mostra a realidade é executado. 
Os terroristas, na sua incomensurável cobardia, vestirem-se de mulher, como este que era o 6º mais procurado do mundo, é corriqueiro:


Priscilla a Rainha do Deserto

Por uma questão de decoro e de nojo, nem tenho mostrado muito de como os valentes guerreiros de Alá estupram mulheres e crianças "infiéis" e de como os terroristas mais graduados sodomizam os de patente mais baixa. Tudo em nome de Alá.

Aqui, temos um grande xeque (um gajo da craveira do David Munir) a explicar que a sodomia compulsiva (nada temos contra  a consensual) é permitida para fins jihadistas:



E aqui, temos um terrorista capturado, a contar como decapitava infiéis, como era sodomizado em nome de Alá, e outras lindezas islâmicas:



Mas esta escória abjecta sodomizar-se entre si, a bem ou a mal, não tem a menor importância. Que sejam felizes e que tenha muitas hemorróidas.
O problema é que esta diabólica ideologia aprova o estupro de mulheres e crianças:

sábado, 22 de julho de 2017

O terrorista está a salvo! Uf!


As últimas palavras do terrorista muçulmano "palestino"

"Alá vingar-se-á de vós e recompensar-me-á".

O Facebook remove as páginas dos inimigos do terrorismo jihadista, como por exemplo a do Jihad Watch, cujas visitas caíram em 90% desde meados de Fevereiro. Mas os assassinos
jihadistas são livres para postar sem nenhum problema.

Este jovem da imagem à esquerda  invadiu ontem à noite uma casa e assassinou três judeus que celebravam o jantar de Shabat:

Agora mesmo: mais 5 israelitas inocentes assassinados


Antes do massacre anunciou no Facebook que se preparava para cumprir o desígnio máximo do Islão e de Mammoud Abbas: matar judeus.

O Mundo continua a receber a narrativa dos judeus mauzões, que "ocupam a mesquita" e "matam os árabes", coitadinhos. "Toda a gente sabe" que a culpa é de Israel, por isso nem vale a pena estudar e verificar afinal qual é a realidade! 

Cena do massacre - Nada disto é divulgado pelos media, é claro! Contraria a narrativa do Israel mauzão.
O terrorista Omar al-Abed foi de imediato recolhido pelos serviços médicos, salvaram-lhe a vida e está num hospital israelita a recuperar, para em breve voltar ao mesmo. Aqui está ele, feliz da vida:


Últimas palavras do terrorista no Facebook




Menos de duas horas antes do ataque terrorista que ceifou as vidas de três cidadãos israelitas e feriu gravemente outro, Omar al Abed, da aldeia de Khobar, na Judeia e Samaria, escreveu o que ele definiu como as suas últimas palavras no Facebook.
Após estas frases finais, e esperando morrer, percorreu a curta distância da sua aldeia até ao bairro de Halamish e esfaqueou quatro pessoas que estavam em casa. "Estou a escrever o meu testamento e estas são as minhas últimas palavras", escreveu al Abed.
"Sou jovem, nem tenho ainda vinte anos, tive muitos sonhos e muitas aspirações. Mas de que vale a vida quando as nossas mulheres e os nossos jovens são assassinados sem qualquer justificativa? Eles estão a profanar a mesquita Al-Aqsa e nós estamos a dormir, é um embaraço".
"Vocês, aqueles que têm uma arma e que apenas a usam para casamentos e celebrações, vocês não estão envergonhados? Eles fecharam a mesquita Ade l-Aqsa e a vossa arma está em silêncio.
"Tudo o que tenho é uma faca afiada, mas respondo o chamamento de Al-Aqsa. Que vergonha, vocês, vocês que pregam o ódio. "Alá vingar-se-á de vós e recompensar-me-á. Todos nós somos os filhos da Palestina e os filhos de Al-Aqsa.
"Vocês, filhos de macacos e porcos, se vocês não abrem os portões de Al-Aqsa, tenho a certeza de que outros homens me vão me seguir e vão bater com um punho de ferro, eu estou a avisar-vos".
 ------------------------------------


OS FACTOS:
 

1 - Três terroristas, a mando de Mammoud Abbas e dos clérigos e políticos islâmicos, entraram no Monte do Templo e assassinaram dois polícias israelitas (tudo filmado e documentado, ver posts abaixo).

2 - Como qualquer Polícia do Mundo, a Polícia de Israel abateu os terroristas que estavam a disparar sobre inocentes.

3 - Na sequência do assassinato dos dois polícias, Israel instalou detectores de metais, como existem em Meca, no Vaticano, no Muro das Lamentações e em quase todos os lugares sagrados do Mundo.

4 - Este jovem,  exortado pelos seus líderes, considera que os três terroristas abatidos foram "assassinados sem razão por Israel".

5 - Em consequência disso, vai  matar inocentes à facada - e ainda por cima a tal Mesquita de Al-Aqsa não fica nem jamais ficou em Israel e muito menos em Jerusalém, como pode constatar em diversos posts em que explicamos detalhadamente a questão - veja este, o mais recente, por favor:





Desde crianças, os muçulmanos são ensinados a odiar e a matar os não muçulmanos, especialmente judeus e cristãos - como temos exaustivamente demonstrado, até com filmagens com câmara oculta no interior de mesquitas, aqui mesmo na Europa.

A menina do vídeo abaixo, com um facalhão, diz: "Eu quero matar um judeu!", em resposta aos pais orgulhosos que perguntam qual é o seu maior desejo; é esta a educação muçulmana: 


Palestinians Killing Jews

 

A psique muçulmana:



- Alguns posts que dedicámos ao assassinato dos dois polícias israelitas (os media globais noticiaram que a Polícia de Israel abateu três "palestinos", mas não disseram o que eles tinham feito, como sempre):

Nunca volte as costas à mesquita

Terroristas matam 2 polícias na Cidade Velha de Jerusalém

Vítimas do ataque terrorista de hoje eram polícias drusos (VÍDEO)

Holocausto em Câmara Lenta

"Autoridade Palestina" aumenta prémios para assassinos

Agora mesmo: mais 5 israelitas inocentes assassinados


É assim que os judeus são tratados no local mais sagrado da sua religião, presentemente ocupado pelos colonos muçulmanos: 



De todo este horror, de toda esta injustiça,  que recai sobre os israelitas, o resumo que os media fazem (e que biliões de pessoas assumem ser a verdade) é que a Polícia de Israel matou três "palestinos"

Existem tanto palestinos árabes como uma mesquita de Al-Aqsa em Israel, mas é esta a forma que o camaleão anti-semita hoje toma. É o pretexto actual para perseguir os judeus. E ai deles se se queixam, que aqui d'El Rei que se "estão a armar em vítimas"!

Estão a lutar contra um Profecia.



 Ezequiel 34
12Assim como o pastor busca as ovelhas dispersas quando dedica-se ao cuidado do rebanho, também tomarei contra das minhas ovelhas. Eu as livrarei de todos os lugares para onde foram dispersas, no Dia de nuvens ameaçadoras e de trevas. 13Eu as farei sair do meio das outras nações e as reunirei, trazendo-as dos outros povos e regiões para viverem em sua própria terra. Então as apascentarei no alto dos montes de Israel, nos vales e em todos os povoados do país. 14Cuidarei das minhas ovelhas em pastos férteis e agradáveis, e os altos dos montes de Israel serão a terra onde se deleitarão; ali se alimentarão em paz, em pastos ricos e verdejantes nos montes de Israel.

Este foi mais um post da série INTIFACADA.

Melania Capitán, vítima da Guerra aos Humanos


Melania Capitán, de 27 anos, jovem caçadora e conhecida blogger, foi encontrada morta esta madrugada, numa quinta em Huesca, em Aragão, Espanha. 

Mel, como era conhecida pelos amigos e no mundo da caça, pôs termo à vida.
Há uns meses, associações de defesa dos animais vieram a público criticar os atos ditos "cruéis" da caçadora. 

Recentemente, a jovem denunciou as ameaças que sofreu por parte das associações, nas redes sociais. Depois de conhecida a morte da caçadora, vários comentários foram feitos nas redes sociais, muitos deles, em forma de insulto. 

Três dias antes do incidente, Mel havia publicado uma imagem do seu cão, na página de Facebook, com um texto fazendo alusão ao calor que se fazia sentir naquela tarde. Nessa mesma publicação, e depois de já conhecida a morte, algumas pessoas comentaram, em tom de insulto.
"Está calor porque estás a arder no inferno", escreve uma utilizadora. "Apodrece no inferno e obrigada por deixares de assassinar animais inocentes, só por ego e cobardia", continua. "Fizeste um favor à humanidade, adeus!", conclui. "Ela está viva, não se preocupem. O que aconteceu é que deixou a caça e está agora no casting para o Walking Dead, esperem pela próxima temporada", escreveu outro utilizador. "Estava tão amargurada que teve de se matar (…) menos mal que se matou a ela mesma, e não pobres animais (…) foi o melhor que fez ultimamente", podemos também ler.
Condensado do CORREIO DA MANHÃ

Melania Capitán, a caçadora mais famosa do mundo, já tinha denunciado em 2015 que recebia ameaças. 
"Recebo ataques desde 2015 mas agora tornaram-se insuportáveis", disse Mel num dos vídeos que publicou no Facebook.
"Vamos calar-te com uma bala" e "espero que alguém te espanque e te dê quatro meses de coma", são alguns dos comentários que se podem ler nas redes sociais da jovem.
Mel chegou mesmo a ter problemas no emprego com as atitudes de quem não aceitava o seu hobbie. Três pessoas dirigiram-se ao trabalho da mulher e pediram ao chefe que esta fosse despedida.
Há alguns anos criou um Facebook para partilhar as aventuras na caça mas de imediato começou a receber ameaças e insultos de defensores dos animais.
Condensado do CORREIO DA MANHÃ


O nosso post

Ana Vegana Canibal

é dos mais lidos de sempre. E fala de um caso real - um entre tantos - de amigos dos animais, que se indignam com a tourada, mas não se indicam com o abate halal.
Que se indignam com o abate do cão Excalibur, em Espanha, mas não se indignam com o tiro ao cão, e outras torturas praticadas pelos idolatrados "palestinos":



- Temos uma pequena secção ANIMAIS. Dê uma vista de olhos.

Esta gente só se indigna selectivamente - e de preferência em frente a um bitoque, pois é gente que gosta muito da "chicha", como um conhecido comediante comunista português (muito talentoso, por sinal) que está sempre a gabar-se do seu amor à "chichazinha", mas que também se regozija com a morte de caçadores.
Esta gente está contente com a o suicídio desta jovem. Esta gente chora pelos animais abatidos,  mas está-se completamente nas tintas  para os seres humanos abatidos pelo jihadismo. É tabu, não falam disso - a não ser para desculparem os terroristas.
Os "amigos dos animais" nunca jamais abriram o biquinho para protestar contra as tradicionais atrocidades islâmicas contra os animais. Não são amigos dos animais. Amigo dos animais sou eu. Eles são inimigos das pessoas LIVRES.
"O animalismo é uma postura pouco conhecida no âmbito do marxismo cultural e consiste, basicamente, na vitimização extrema dos animais e na criminalização do ser humano. Defende um veganismo agressivo e uma campanha de ódio contra quem consome produtos animais e seus derivados. Segundo os seguidores destas ideias, o "especismo" (termo fabricado por eles para atingir seus objetivos) consiste na crença de que os animais são inferiores aos humanos, ou merecedores de menos direitos sendo que eles (os animalistas) se colocam na posição de anti-especistas. Apenas mais um dos inúmeros exemplos da estratégia maquiavélica de “dividir para conquistar” que vem sendo aplicada com maestria pelos marxistas, nos mais diversos segmentos sociais, há décadas - negros contra brancos, mulheres contra homens, etc ."
Neste documentário, traduzido pelos TRADUTORES DE DIREITA, podemos ver o descalabro a que as coisas estão a chegar:


P.S. - No Islão, todos os animais são torturados, mas fica aqui uma amostra do que eles fazem aos cães, por ordem do seu deus Alá:

http://www.barenakedislam.com/2012/08/06/apparently-poisoning-dogs-in-spain-isnt-enough-now-muslims-are-attacking-people-walking-their-dogs/
europe-muslims-declare-jihad-on-all-dogs
iran-is-locking-up-peoples-pet-dogs-because-they-were-walking-them-in-public
uk-muslim-beats-the-crap-out-of-his-sweet-labrador-puppy-viewer-discretion-advised
now-dogs-are-being-poisoned-in-britain-too
europe-muslims-declare-jihad-on-all-dogs
spain-muslims-carry-out-jihad-on-dogs
spain-muslims-are-poisoning-dogs-because-they-consider-them-to-be-filth
spain-muslims-want-dogs-banned-from-buses-and-public-areas
spain-isnt-the-only-country-where-muslims-massacre-dogs-turkey-has-their-own-canine-genocide-going-on
another-turkish-genocide-this-time-its-dogs
maryland-muslim-man-charged-with-killing-his-stepdaughters-dog-and-threatening-to-kill-her
uk-muslim-thug-cuts-off-his-puppys-ear-after-a-fight-with-his-girlfriend
ban-muslims-damn-it-not-dogs
screw-the-law-uk-muslims-refuse-to-allow-guide-dogs-to-ride-in-buses-or-taxis
australian-taxi-driver-tells-blind-woman-put-your-guide-dog-in-the-trunk-or-get-out

Muçulmano tentou matar Papa em Fátima



Marroquino planeou atentado contra Papa em Fátima
Homem tentou infiltrar-se numa ambulância, onde a mulher, bombeira portuguesa, se encontrava.
Um homem de nacionalidade marroquina, casado com uma bombeira de Ourém, planeou um atentado contra o Papa Francisco, aquando da sua visita a Fátima, nos passados dias 12 e 13 de maio. A informação é avançada pelo semanário Sol, este sábado. O homem fez várias compras de materiais suspeitos, tais como nitratos, uma substância utilizada regularmente para produzir bombas artesanais. Sem saber que já estava a ser vigiado, o indivíduo convenceu a mulher, bombeira portuguesa, a infiltrar-se na ambulância que acompanhava de perto o chefe da igreja católica em Fátima. A missão do homem marroquino falhou, uma vez que a sua ação foi neutralizada pelas forças policiais, bem como a de outros suspeitos referenciados. Acabou por ser enviado para Marrocos, o seu país de origem, e a mulher foi afastada do serviço dos bombeiros por tempo desconhecido.
CORREIO DA MANHÃ

- Claro que isto nada teve a ver com o Islão. Aposto que o senhor era Adventista do Sétimo Dia, ou talvez membro da Igreja do Esparguete Voador.
- Por mais que eles se esforcem, a matar inocentes enquanto gritam Allahu Akbar, por mais que eles expliquem que querem matar todos os infiéis e por mais que eles nos matem, toda a gente sabe que não há coisa mais pacífica que  Islão.

Islão já MATOU mais de 670 MILHÕES de inocentes

 

A PROPÓSITO:

“Interpol circulates list of 173 suspected members of Isis suicide brigade”
Lorenzo Tondo, Patrick Wintour e Piero Messina, Guardian, Julho 21, 2017

Interpol divulga lista de 173 muçulmanos treinados para ataques de suicidas jihadistas em nome do ISIS na Europa
"Um responsável europeu pelo contra-terrorismo disse que um dos propósitos de fazer circular a lista na Europa foi identificar aqueles que poderiam ter nascido e sido criados em países europeus".

Alguns destes muçulmanos são de países europeus, e alguns não são. Aqueles que não nasceram cá, vieram para a Europa como "refugiados", e você é um "islamofóbico" racista e intolerante se se opuser a que eles venham invadir-nos e matar-nos.
Eles são combatentes inimigos que se juntaram a uma entidade que se considera explicitamente em guerra com o Mundo Livre e que leva ataques terroristas contra civis inocentes, como testemunhamos diariamente.. 

Muçulmanos querem Portugal, Espanha e Israel, "terras ocupadas"...

Como é curioso vermos pessoas dizerem que Israel deve deixar de existir, porque outrora foi invadido pelos muçulmanos. É que a seguir a Israel, o nosso Portugal, e a Espanha, que eles designam como Al-Andalus, estão na lista. E depois o Mundo.



O doutor e clérigo islâmico egípcio xeque Ayman Khamis, proclamou, a 11 de Julho de 2017, na TV: 
"Devemos reaver o Al-Andalus da Espanha, assim como  devemos retirar a Palestina aos judeus".
O estudioso islâmico egípcio xeque Ayman Khamis disse que o Al-Andalus (a Península Ibérica) está "ocupado pelos espanhóis, assim como a Palestina está ocupada pelos judeus, e devemos retomá-lo, se Alá quiser".
A declaração foi feita na Mekameleen TV, um canal da Irmandade Muçulmana Egípcia com base na Turquia.
Ayman Khamis: "O Al-Alndalus é como a Palestina. Nunca nos esqueceremos das nossas terras. Dizemos ao Ocidente: Nunca nos esqueceremos das nossas terras. Devemos reconquistá-las porque é terra ocupada. O Al-Andalus está ocupado Pelos espanhóis, assim como a Palestina é ocupada pelos judeus, e devemos retomá-lo, se Alá quiser ".
MEMRI

Mesquita de Al-Aqsa não fica nem jamais ficou em Jerusalém


Muçulmanos protestam porque lhes é pedido que passem pelo detector de metais, para visitarem o Monte do Templo, o local mais sagrado do Judaísmo, que eles continuam a ocupar.
Depois de três terroristas terem assassinado dois polícias israelitas, Israel teve que tomar esta medida. Em Meca, no Vaticano, no Muro das Lamentações, toda a gente deve passar pelo detector de metais, mas muçulmano é ser superior, é claro! Vai daí estão a matar judeus a grande ritmo.
A pseudo-mesquita de Al-Aqsa, como todas as mesquitas, é um depósito de armas e uma base de terrorismo e pregação de ódio (como temos exaustivamente demonstrado em todo este blogue). 
Mas o que é mais "engraçado" é que a Mesquita de Al-Aqsa não fica nem jamais ficou em Jerusalém:

A pseudo mesquita de Al-Aqsa é um mero pretexto para os muçulmanos reivindicarem a posse de Israel, como reivindicam do Mundo inteiro:

A verdadeira mesquita de Al Aqsa não fica em Jerusalém - 1

A verdadeira mesquita de Al Aqsa não fica em Jerusalém - 2

A verdadeira mesquita de Al Aqsa não fica em Jerusalém - 3

Porque é que a "mesquita al-Aqsa" é tão "importante" para o Islão


Os muçulmanos re-escrevem a História seu bel-prazer. Segundo a prática islâmica de 1400 anos, assim que se apossam de um local, os muçulmanos destroem todos os vestígios dos povos anteriores. Vemos regularmente os jihadistas, os guerreiros sagrados do Islão, a destruírem vestígios de ocupação Romana (como as ruínas de Palmira) ou Budista (como as estátuas do Vale dos Budas, em Bamiyán). No Islão, a História começa a partir do momento da conquista. O antes é o "tempo das trevas".

As estátuas do Vale dos Budas, em Bamiyán, foram destruídas.

Neste diagrama, podemos ver como os invasores muçulmanos, após milénios de História Judaica e séculos de História Cristã, destruíram  tudo quanto puderam em Jerusalém e construíram por cima, para reivindicarem a terra como sua:

A obsessão islâmica pelo Monte do Templo (o lugar mais agrado do Judaísmo, onde se ergueram os dois primeiros Templos) deve-se a que, enquanto houver no Mundo judeus e cristãos, e sinais da sua presença, a missão de usurpação religiosa do Islão não estará cumprida. Maomé declarou-se como o Último e o maior dos Profetas, pelo que, para o Islão, as outras duas religiões monoteístas Abraâmicas anteriores, são irrelevantes e blasfemas.  
É por isso que vemos na ONU e na UNESCO condenações diárias contra Israel, que, na visão islâmica, está a "ocupar indevidamente terra muçulmana". Na teologia islâmica, uma terra que esteve ocupada pelos muçulmanos, será para sempre muçulmana.
A seguir a Israel, o Islão pretende reaver Portugal e Espanha, que outrora também ocupou:

Agora mesmo: mais 5 israelitas inocentes assassinados

Não conseguimos relatar a par e passo sobre todas as vítimas do terrorismo islâmico em Israel. A TV, os jornais, todos os media, estão calados, a esfregar as mãos, tentando apenas encontrar alguma informação que possam distorcer para culpar Israel. É para isso que os muçulmanos lhes pagam.


Mais três israelitas inocentes foram assassinados hoje, em mais um capítulo da INTIFACADA, quando celebravam o Shabat em sua casa. Um terrorista entrou e esfaqueou-os até à morte.
O mundo deveria responsabilizar o presidente "palestino", Abbas. Mas não o fará. Apesar de Abbas ser igual a bin Laden. É que Abbas apenas mata judeus...


"Autoridade Palestina" aumenta prémios para assassinos


Há uma semana, três terroristas árabes assassinaram dois israelitas no Monte do Templo. Os vídeos de segurança mostram que os terroristas levaram as armas para o interior do complexo:

 
Em resposta, Israel fez o que se tornou comum na era do terror, em quase todos os locais sagrados em todo o mundo: instalou detectores de metal.
Existem detectores de metal no Vaticano, em Meca e no Muro dos Ocidentais. Sem protestos. Sem violência. Somente o Monte do Templo é diferente - porque apenas o Monte do Templo pode ser usado como uma ferramenta de propaganda contra Israel.

Aqui estão os muçulmanos, a protestar contra os detectores de metal, eles, que visitam lugares sagrados de todas as religiões, e não permitem que pessoas de nenhuma outra religião visitem os seus:



Os líderes "palestinos" viram uma oportunidade para incitar o terror - sabendo que colocariam o seu próprio povo num perigoso confronto com as forças policiais que têm como missão manter a paz. E assim fizeram, e não se importam, querem apenas destruir Israel.
Israel tomou medidas de senso comum para prevenir a violência. A reacção do presidente Abbas mostra ao mundo o seu verdadeiro rosto. Mas os líderes do Ocidente, do mundo árabe e de todo o mundo, condenam Israel. Abbas é um terrorista islâmico, mas goza de simpatia global.
O Mundo não perdoa aos judeus terem sobrevivido ao Holocausto nazi/islamista e comunista. O mega-terrorista Mammoud Abbas é o depositário das esperanças e dos esforços globais para aniquilar Israel:


Não é apenas o "Zé da Esquina" que pensa assim. Milhões de pessoas são intoxicadas para pensarem assim. 

sexta-feira, 21 de julho de 2017

Efeitos de séculos de extrema endogamia entre muçulmanos: baixo QI, violência e terrorismo

Tabu: quase metade dos muçulmanos são fruto de casamentos consanguíneos. Como é que isso afecta a inteligência e saúde? E existe uma conexão com o terrorismo e a violência?


Lise Egholm, directora escolar há muitos anos numa região dominada pelos muçulmanos em Nørrebro, Copenhagua, na Dinamarca, advertiu recentemente contra o perigo de não se falar sobre a prática generalizada de endogamia entre os muçulmanos:
"Um estudo mostra que a mortalidade infantil é o dobro e que há um alto risco de malformações congénitas, e também o aumento da taxa de deformações congénitas e a herança de traços recessivos são mais comuns em casamentos consanguíneos. Eu acho que é hora de expressar preocupação. Devemos falar sobre esse problema. Todos os pais querem filhos saudáveis. Felizmente, vivemos numa sociedade onde o nosso sistema de saúde faz muito para garantir que cada gravidez termine com uma criança viável. O que me espanta e me faz pensar desde há muitos anos é porque é que não falamos, talvez até porque é que não proibimos, os casamentos entre primos?".
Enquanto os sistemas de saúde em países menos desenvolvidos no mundo muçulmano já estão a discutir abertamente e advertem contra perigo dos casamentos consanguíneos, é considerado politicamente incorrecto no Ocidente considerar um problema as vastas dificuldades genéticas e sociais resultantes dessa prática religioso-cultural.
Prevalência
A pesquisa estatística em países árabes mostra que até 34 por cento de todos os casamentos na Argélia são consanguíneos, 46 por cento no Bahrein, 33 por cento no Egipto, 80 por cento na Núbia (área do sul do Egipto), 60 por cento no Iraque, 64 por cento na Jordânia, 64 por cento no Kuwait, 42 por cento no Líbano, 48 por cento na Líbia, 47 por cento na Mauritânia, 54 por cento no Qatar, 67 por cento na Arábia Saudita, 63 por cento no Sudão, 40 por cento na Síria, 39 por cento na Tunísia, 54% nos Emiratos Árabes Unidos e 45% no Iémen (Reproductive Health Journal, 2009 Consanguinidade e Saúde Reprodutiva entre os Árabes).
No Paquistão, 70 por cento dos casamentos são consanguíneos, e na Turquia, a percentagem é de 25-30  por cento. Parece não haver dados nacionais sobre a Indonésia, mas há relatos de consanguinidade de 17 por cento em Timor e um "alto nível de casamentos consanguíneos em algumas áreas de Java".

Via Jihad Watch, artigo completo em 10news.one



--------------------------------------------


BREVE ANÁLISE
O senhor da imagem abaixo é muçulmano, vive no Reino Unido e declara não gostar de preservativos. É casado com uma prima direita e todos lá em casa vivem à custa do contribuinte europeu, em virtude da numerosa prole. Os europeus têm cada vez menos filhos, porque não podem sustentá-los. É só fazer as contas.
É este o paradigma da Europa de hoje: uma elite que abre as portas à invasão islâmica e que anseia pela substituição populacional, e uma população embrutecida, apática, que aceita tudo, assustada com a ameaça de "racismo". A extrema-esquerda bate palmas e apoia, entusiasticamente, pois o seu inimigo comum com o Islão é o Mundo Livre.

União Europeia lança "Eurislam" - o projecto de islamização da Europa



Este artigo foi arquivado na secção Estatísticas Muçulmanas, mas, para o enquadrar melhor, vale a pena visitar a nossa modesta secção Guerra Demográfica.
A endogamia e a poligamia facilitam a multiplicação dos muçulmanos e são uma ajuda determinante na colonização islâmica global. Não foi só pela guerra convencional, mas também pela guerra demográfica,  que eles dizimaram populações inteiras na África do Norte, Médio Oriente e Ásia.
O baixo QI destas populações e a sua tendência para a violência, ara o crime e para o terrorismo, são consequência da monomania bélica islâmica e do seu ódio à educação, mas também da consanguinidade.

Muçulmano cospe em bebé: "Os brancos não devem reproduzir-se"




quinta-feira, 20 de julho de 2017

Abriu a caça ao André Ventura!


André Ventura, professor, cronista de jornal e figura popular da TV, é candidato à autarquia de Loures. Numa entrevista, e no meio de outros temas, afirmou que os ciganos vivem quase exclusivamente de subsídios e que gozam de impunidade perante a lei
Os manholas do jornal titularam a entrevista a preceito e André Ventura está a ser vítima de uma campanha de assassinato de carácter, como seria de esperar (é insultado de Trump para baixo, coitado!).
Mas o interessante é que só lhe dirigem insultos. Ainda não vimos a prova de que ele esteja errado.
PROVEM que ele está errado. Ou admitam que está certo, mas que "não fica bem" dizer a verdade.
Toda a gente que viva no mundo real sabe que os ciganos (ou uma grande parte deles) têm mais privilégios e menos obrigações que os outros cidadãos.
E toda a gente que raciocine, entende que a verdadeira discriminação, é tratar as pessoas de forma diferente (PARA MELHOR OU PARA PIOR) sem motivo.
Estávamos nós a ruminar  um comentário a este caso, quando deparamos com alguém que disse tudo o que nós queríamos dizer.
(NOTA: se achar que o vídeo "não nada a ver com com o caso do André Ventura", é porque veio aqui parar por engano, não se incomode).




P.S. - Giro, giro, vai ser vê-lo ganhar as eleições!

Então você quer boicotar Israel? - Alimentos e bebidas



Falemos agora de alimentos e bebidas.
Para boicotar Israel, comece por deitar fora os famosos tomates-cereja, que foram desenvolvidos em Israel. Verifique bem as sandes e as saladas.
A proibição também se aplica ao mel e a qualquer produto derivado do mel. Israel desenvolveu soluções para o problema mundial do colapso das colónias de abelhas, de modo que qualquer produto derivado de abelhas só existe hoje devido a uma invenção israelita.
Evite beber qualquer um dos vinhos israelitas premiados e mundialmente reconhecidos.
Não consuma bebidas caseiras de máquinas fabricadas em Israel.
Evite qualquer fruta da África do Sul ou do Peru, pois os produtos desses países são comercializados com marcas israelitas.
Nenhum produto agrícola proveniente das seguintes áreas deve ser consumido, pois eles usam irrigação de água e tecnologia agrícola fornecida directamente de Israel:
- a maioria da África, China, Índia, Indonésia (um país muçulmano), Nepal e muitos outros.
Muitas frutas e vegetais (incluindo orgânicos) importados para o Reino Unido foram aprimorados usando tecnologia israelita. O processo salva milhões de pessoas de passarem fome em todo o mundo, mas mesmo assim, boicote. Para estar seguro, coma apenas frutas e vegetais que você cultivou, usando apenas sementes que tenham estado na sua família há gerações.
(CONTINUA)

Israel depende apenas da água da chuva para fazer crescer as suas culturas. A sua área é apenas 0,5% do Médio Oriente (cabe 4 vezes em Portugal). Mesmo assim, com muito trabalho e inteligência, conseguiu fazer produzir o deserto, e não guarda o seu saber para si:

"Autoridade Palestina" aumenta prémios para assassinos



Ignorando as exigências dos EUA e de vários países europeus para parar de recompensar o terrorismo, a "Autoridade Palestina" está a fazer exactamente o oposto em 2017, aumentando significativamente essas recompensas.

De acordo com a lei da "Autoridade Palestina", quanto mais odioso for o acto de terror cometido, maior a recompensa.


Israel diz que essas recompensas encorajam o terror. O primeiro-ministro Benjamin Netanyahu classificou os pagamentos "um incentivo para o assassinato".

"O terrorismo tornou-se um negócio confortável para as famílias", disse o porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros israelita, Emmanuel Nahshon. "Os pagamentos encorajam a violência".

Numa aparição conjunta com o líder da AP, Mahmoud Abbas, em Maio, o presidente Donald Trump disse que "a paz nunca pode enraizar-se num ambiente onde a violência é tolerada, financiada e até mesmo recompensada".

Dias antes, um conselheiro de Abbas definiu o pedido de Trump para pararem os pagamentos aos terroristas como "insano".

Em Julho, Mahmoud Abbas prometeu não deixar de pagar os salários. "Mesmo que eu tenha que sair da minha posição, não vou comprometer o salário de um mártir, de um Shahid ou de um prisioneiro, porque eu sou o presidente de todo o povo palestino", declarou ele.
- Via UNITED WITH ISRAEL

Israel construiu uma cerca de segurança, que tem evitado a continuação dos massacres sistemáticos de judeus, a tiro e à bomba. Mas os terroristas não desistem, e levam a cabo a sua jihad com facas, cutelos, por atropelamento, e de todas as formas possíveis. Em Israel como em todo o mundo.
As autoridades israelitas desmantelam regularmente redes de contrabando e fabrico de armas para matar judeus, mas restam as mesquitas, desde sempre paióis, onde as autoridades não podem entrar.
O mais recente ataque da Intifacada vitimou dois polícias israelitas drusos, que foram atacados por terroristas a partir da pseudo Mesquita de Al-Aqsa.



Dedicámos alguns posts a este ataque, e contamos dedicar mais ainda.
Para um panorama da cultura de colonização e supremacismo islâmico exercida contra Israel e os judeus, aconselhamos este post:

Trump para o mega-terrorista Abbas: "Você mentiu-me!"



O mega-terrorista Mammoud Abbas (o cérebro do Massacre das Olimpíadas de Munique) rejeita negociações,  rejeita solução de 2 Estados, rejeita acordos de trocas de terras, rejeita planos de paz, rejeita naturalização de "palestinos" no território que administra. Mas alia-se ao Hamas, um movimento abertamente terrorista.