sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Polícia belga abate terrorista muçulmana. E se fosse em Israel?

Em cima, as autoridades belgas abatem uma terrorista. Em baixo, as autoridades israelitas abatem uma terrorista. Os belgas agiram bem. Os israelitas são "assassinos". O terrorismo é o mesmo.

22 de Agosto, Uccle, Bélgica. Uma muçulmana desata aos gritos de "Allahu Akbar" e a atacar pessoas à facada (o "Islão nosso de cada dia"...).
A Polícia belga abateu-a. É o que a Polícia deve fazer quando terroristas se lançam sobre cidadãos inocentes.
Mas se tivesse sido em Israel, esta aplicação correcta do protocolo policial e do senso-comum, levaria o nome de "execução arbitrária":

Dois vídeos do mesmo ataque:

 

Vai fazer um ano que as lideranças islâmicas apelaram à intensificação da matança de judeus. Demos a essa campanha genocida neo-nazi a designação de INTIFACADA

Como sempre, a Comunidade Internacional regozija-se com a matança de judeus:

'Autoridade Palestina' manda degolar judeus e o Mundo aplaude

Por isso, porque o Nazismo continua vivo e recomenda-se, quando a Polícia de Israel faz exactamente o mesmo que a Policia da Bélgica, chove o ódio: 

Dia do Ódio a Israel na ONU - 1

Dia do Ódio a Israel na ONU - 2

Dia do Ódio a Israel na ONU - 3

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Síndrome de Jihad Súbita

Numa manhã deste quente Agosto, em Paris, um muçulmano teve um pitoresco episódio de jihad súbita e desatou aos gritos de Allahu Akbar, com a coreografia que o vídeo documenta. A Polícia tratou de o prender imediatamente. O que foi um acto de racismo e xenofobia, pois ele apenas estava  enriquecer-nos culturalmente!
A Síndrome de Jihad Súbita pode atacar qualquer muçulmano, desde que este se lembre das ordens do Alcorão para assassinar, estuprar, torturar, mutilar e escravizar quantos "infiéis" possa.
Todos os dias, em todo o Mundo, simpáticos muçulmanos são tomados pela  Síndrome de Jihad Súbita.
Dentre as centenas de sortudos que têm a honra de serem diariamente sacrificados ao deus Alá, calhou a vez, por exemplo, a esta rapariga inglesa de férias na Austrália, executada por um muçulmano. Aos gritos de Allahu Akbar:


 Mia Ayliffe-Chung, de 21 anos.

Um cão também foi morto durante o ataque - conta o DN. É que os muçulmanos também odeiam cães. Mas o que é que eles não odeiam?...
A Imprensa esconde estas notícias o quanto pode. Há casos de jornalistas pagos para mentir e omitir, mas estamos em crer, dada a matriz ideológica da classe, que a maior parte deles ama mesmo o Islamismo.

-----------------------

No Mundo Livre, os muçulmanos ainda matam relativamente pouco. Nos países muçulmanos o enriquecimento cultural salda-se actualmente em 11 cristãos mortos a cada hora.
Têm mesmo matadouros para cristãos, onde praticam os sacrifícios rituais, e o canibalismo. Sempre aos gritos de Allahu Akbar: “MATADOUROS ISLÂMICOS HUMANOS” PARA CRISTÃOS.
Walid Shoebat, que já foi muçulmano e terrorista, e hoje é cristão e amigo de Israel, mostra regularmente os matadouros de cristãos e os  sacrifícios humanos.
Nós aqui vamos passando modestamente a palavra, repetindo e repetindo e repetindo, na esperança de sermos cada vez mais ouvidos - por exemplo na nossa secção: Islão - O que o Ocidente Precisa Saber
Mas há hoje milhares de sites que se dedicam a mostrar as delícias do Islão, e bem melhor que nós. Por exemplo, estes que são em Português: Lei Islâmica em Ação, Ex-Muçulmanos, Islão a Nu, De Olho na Jihad. Veja a nossa barra lateral  "O TERRORISMO GLOBAL".

    É claro, que ESTUDAR dá um certo trabalho e cansa a cabeça e assim. É mais simples repetir que o Islão é pacífico e que quem mata "infiéis" são só uns escassos milhõezitos de muçulmanos, dentre o bilião e 600 milhões deles. Os outros só aplaudem).

    Cientistas israelitas combatem o câncer da pele




    Numa descoberta notável, pesquisadores da Universidade de Tel Aviv (TAU) terão desvendado o mecanismo metastático do melanoma, o mais agressivo de todos os cancros da pele, e podem, portanto, ter encontrado uma maneira de o prevenir.

    Cientistas da Universidade de Tel Aviv (TAU) descobriram que, antes de se espalhar para outros órgãos, o tumor melanoma envia vesículas minúsculas contendo moléculas de microRNA. Estas induzem mudanças morfológicas na derme (pele) - em preparação para receber e transportar as células cancerosas.

    Os pesquisadores também descobriram substâncias químicas que podem parar o processo e estão a testar drogas.

    Os resultados promissores foram publicados na segunda-feira na proeminente revista científica Nature Cell Biology.
    O melanoma, o tipo mais agressivo e letal de câncer de pele, causa a morte de uma pessoa a cada 52 minutos, de acordo com dados da Skin Cancer Foundation, e o número de casos diagnosticados tem vindo a aumentar nos últimos três décadas. 
    Apesar da variedade de terapias desenvolvidas ao longo dos anos, ainda não existe um remédio completo para esta doença. O estudo da TAU propõe novos e eficazes métodos para diagnosticar e prevenir o mais mortal câncer de pele.

    "A ameaça de melanoma não está no tumor inicial que aparece na pele, mas sim nas suas metástases - células cancerosas enviados para colonizar órgãos vitais, como o cérebro, pulmões, fígado e ossos", disse a líder da pesquisa, Dr.a Carmit Levy, do Departamento de Genética Molecular Humana e Bioquímica da Faculdade de Medicina Sackler da TAU. "Nós descobrimos como o câncer se espalha para órgãos distantes, e encontramos maneiras de parar o processo antes da fase metastática".

    Dr.a Carmit Levy. (TAU)

    Parando o câncer nos seus estágios iniciais


    Os pesquisadores começaram a examinar amostras retiradas de pacientes de melanoma, e os resultados foram "impressionantes, de facto", segundo Carmit Levy.

    "Estudámos as amostras de melanoma cedo, antes da fase invasiva", disse Levy. "Para nossa surpresa, encontrámos mudanças que nunca antes tinham sido relatadas, na morfologia da derme - a camada interna da pele. A nossa tarefa seguinte foi descobrir como é que estas mudanças ocorrem, e como se relacionam com o melanoma".

    No estudo longo e complexo que se seguiu, o grupo foi capaz de descobrir - e também bloquear - um mecanismo central na metástase do melanoma.

    De acordo com a Dr.a Levy, os cientistas já conheciam há anos as formas de melanoma na camada exterior da pele, a epiderme. Nesta fase inicial o câncer não é capaz de colonizar células cancerosas colonizadoras, porque não tem acesso aos vasos sanguíneos - as estradas que levam as células a outras partes do corpo. Sem vasos sanguíneos presentes na epiderme, o tumor precisa primeiro entrar em contacto com os vasos sanguíneos abundantes da derme. Mas como é a conexão feita?
    "Descobrimos que, mesmo antes de o próprio câncer invadir a derme, ele envia vesículas minúsculas contendo moléculas de microRNA. Estas induzem as mudanças morfológicas na derme, em preparação para receber e transportar as células cancerosas. Tornou-se agora claro para nós, que, bloqueando as vesículas, podemos parar completamente a doença".

    Transformando o Melanoma numa doença não-ameaçadora

    Tendo descoberto o mecanismo, os pesquisadores passaram a procurar substâncias que podem intervir e bloquear o processo nos seus estágios iniciais. E encontraram dois desses produtos químicos: o primeiro inibe a entrega das vesículas a partir do tumor de melanoma para a derme; e o outro impede as alterações morfológicas na derme mesmo após a chegada das vesículas.
    Ambas as substâncias foram testadas com sucesso em laboratório, e pode servir como candidatos promissores para futuros medicamentos. Além disso, as alterações na derme, bem como as próprias vesículas, podem ser utilizados como indicadores poderosos para o diagnóstico precoce do melanoma.
    "O nosso estudo é um passo importante no caminho para um remédio completo para o mais mortal câncer de pele", disse a pesquisadora. "Esperamos que os nossos resultados venham ajudar a transformar o melanoma numa doença não-ameaçadora, facilmente curável".

    Max Gelber, United with Israel

    - Tradução nossa; pedimos desculpa por qualquer barbárie médico-científica que tenhamos eventualmente escrito por má tradução, dada a nossa ignorância neste campo (que, aliás, nos fascina).

    Para muitas notícias sobre Israel, em Espanhol, clique no logo abaixo:

    https://unitedwithisrael.org/es/

    Apoie Israel, o país do Mundo que salva mais vidas (através da Medicina, da ajuda humanitária, da colaboração na agricultura, abastecimento de água, etc.).

    quarta-feira, 24 de agosto de 2016

    Islamofobia - Rúben agride carro e botas à cabeçada!


    Islamofobia: os desafortunados gémeos Haider e Ridha viram os pneus do seu carro e os seus sapatos serem barbaramente agredidos pela cabeça do jovem Rúben. O pai dos dois ofendidos já apresentou queixa.
     
    No dia 18 deste mês, em Ponte de Sôr, Portugal, os dois filhos do Embaixador do Iraque, gémeos com 17 anos, montaram uma emboscada a Rúben, de 15 anos. Atropelaram-no (já conduzem, com 17 anos, e aparentemente não são incomodados) e agrediram-no a soco e pontapé, deixando-o desfigurado e à beira da morte. Mesmo inconsciente, continuaram a bater-lhe. Fugiram do local e deixaram o jovem português a morrer sozinho.
    Fonte: CORREIO DA MANHÃ

    ADEUS TRIBUNAIS!
    Os dois gémeos iraquianos têm imunidade diplomática e, até ao dia de ontem, tanto quanto nos foi dado saber pelas notícias, o Estado Português não tomou nenhuma medida oficial para os levar à Justiça ou evitar que fujam.
    A Al-SIC, em mais um dos seus tradicionais exercícios de dhimmitude, acorreu a inocentar os dois jovens.
    Numa entrevista de antologia, Haider e Ridha conseguiram demonstrar que têm um brilhante futuro na diplomacia, e que os Tribunais passaram à História, porque afinal de contas, "foi assim como poderia ter sido ao contrário, e portanto não há culpados nem inocentes":


    Os dois jovens árabes muçulmanos estão em Ponte de Sôr a tirar o 'brevet' de pilotagem de aviões...

    DEU-LHES TANTAS QUE FICOU EM COMA!

    A Brigada dos Mártires da Mesquita do Al-Público, irmã-gémea da Al-SIC, tomou também a defesa dos dois encantadores manos. Surpresa seria se não o fizesse.
    O advogado de Rúben falou na CM-TV ontem à noite, visivelmente aterrorizado, num registo totalmente oposto ao de há dias. Porque será?... 
    Entretanto, o senhor Embaixador do Iraque apresentou queixa contra Rúben e mais 6 jovens, referindo que o comportamento dos seus dois filhos foi legítima defesa, e que estes foram "insultados e espancados por serem árabes e muçulmanos".


     PORTUGAL, ISRAEL, EUROPA, MUNDO...
    É sempre assim. Por exemplo, aquando do ataque ao Bataclan, a comunidade muçulmana, pela voz do Grande Muffin da Austrália (a única personalidade muçulmana a pronunciar-se sobre o massacre sem ser para festejar), também referiu que se tratou de legítima defesa em relação à islamofobia.
      Confira:


    Quando há dois anos os adolescentes israelitas e judeus Naftali Frenkel, Gilad Shaar e Eyal Yifrach foram raptados e assassinados por terroristas do Hamas, a deputada Hanin Zoabi, membro do Parlamento de Israel,  afirmou que "os raptores tinham tentado dar boleia àqueles jovens, e que, tendo sido atacados por eles, tiveram que se defender".
    Confira:

    O Hamas e Naftali, Gilad e Eyal

    A senhora Zoabi admitiria depois que ter-se tratado de assassínio, mas "em legítima defesa", claro:

    SHELLY DADON X MUHAMMAD ABU KHDEIR


    EM RESUMO:
    Todo e qualquer ataque de muçulmanos contra "infiéis":
    a) Nunca existiu, não existe e jamais existirá.

    b) É SEMPRE culpa dos agredidos.

    Razão tinha a tia de Rúben Cavaco, quando disse, logo a seguir ao ataque, que isto ficaria tudo em águas de bacalhau. E vai ficar.

     ETC..

    terça-feira, 23 de agosto de 2016

    Quais as duas bandeiras mais queimadas na campanha do Partido Democrata?

     Queima de bandeiras de Israel: um 'must' no Partido Democrata!

    Na Convenção do Partido Democrata dos Estados Unidos e nos comícios e manifestações, já tinham sido queimadas muitas bandeiras de Israel:

    Muitas bandeiras do grupo terrorista conhecido como "Palestina" - e do também muito modernaço ISIS, ou Estado Islâmico - têm estado também presentes nas campanhas de Hillary Clinton e de Bernie Sanders.
    O que não admira, se pensarmos que ela é financiada por grupos terroristas islâmicos como a Irmandade Muçulmana e ele é visceralmente anti-semita (sim, nós sabemos que ele é judeu).
    Mas bandeiras dos Estados Unidos não têm sido vistas na campanha do Partido Democrata!

    Os idiotas úteis do costume, com a t-shirt do assassino psicopata, homofóbico e racista Che Guevara.

    A ausência foi finalmente colmatada! Numa manifestação violenta contra os apoiantes de Trump, este fim de semana em Minneapolis, os manifestantes cuspiram numa senhora de idade, queimaram a bandeira americana e gritaram o quanto odeiam o seu país (ou o país que os recebeu e lhes matou a fome):


    Imagens destas não passam nos Telejornais. Aí, só passam louvaminhas aos terroristas Hillary, Barack Hussein & C.ia. Ficámos a saber de mais este tristíssimo episódio através do WORLD ISRAEL NEWS:


    https://worldisraelnews.com/


    Israel e os Estados Unidos são as duas soberanias mais odiadas pelos neo-nazis, pela Esquerda não democrática e pelo Islão. Porque são os maiores obstáculos aos respectivos projectos de ditadura global.


    Bandeira dos Estados Unidos pisada e o cartaz "OS MUÇULMANOS SÃO NOSSOS AMIGOS". Ver  Mundo às avessas é um prazer sofisticado para esta gente.
     

    Porque é que a Esquerda odeia Israel

    Porque é que a Esquerda Odeia Israel - BREIBART

    MRPP apoia o Massacre de Paris (estes nem disfarçam)!

    "Um Vestido Novo Para Um Ódio Antigo" - Pilar Rahola

    segunda-feira, 22 de agosto de 2016

    Políticos alemães celebram a extinção dos alemães


    Uma famosa especialista no Islão celebra a extinção dos alemães com cabelo louro.
    A estudiosa do islamismo Lamya Kaddor disse num debate televisivo:
    "Ser alemão no futuro não será ser loiro com olhos azuis, mas ser migrante e usar hijab".
    A especialista também aplaudiu a introdução da educação islâmica nas escolas públicas alemãs.
    Esquerdistas e muçulmanos a comemorarem o suicídio demográfico de uma nação é um tema comum na Alemanha.
    A política ambientalista Stefanie Von Berg disse que é uma coisa boa que os alemães estejam a tornar-se uma minoria nas maiores cidades.
    Déborah para Europe-Israel.org

    O genocídio dos "infiéis" e os ataques terroristas islâmicos (assassínios, estupros, vandalismo, mutilação, tortura, etc.) não abrandaram, apesar do presente black-out da jornaleiragem. A islamização da Europa avança.
    Esta notícia é uma gota de água num oceano de loucura. Os Ocidentais foram amestrados durante décadas pelo Marxismo cultural para se odiarem a si mesmos.
    As alemãs ideais, segundo as pessoas evoluídas, e não porcos fassssistas como nós. Adeus Oktoberfest, adeus canto tirolês, adeus Liberdade, adeus Civilização...

    A Paixão da Esquerda pelo Terrorismo Islâmico

     Islamização da Europa   


    A CADA HORA, A CADA MINUTO, O HORROR ISLÂMICO GLOBAL:

    Rio 2016 - a delegação em falta no desfile




    O desfile das delegações, que abre os Jogos Olímpicos, é um dos momentos mais emocionantes deste evento de escala global. Entre as dezenas de delegações, de tamanho altamente variável, algumas vezes descobre-se um país que não se sabia que existia. É o caso, por exemplo, da República do Kiribati, localizada no Oceano Pacífico, com uma área de 811 km e uma população de 102 mil habitantes. Ou de Tuvalu, na mesma região, com uma área de 21km2 e uma população de 9800 habitantes! 

    Vimos também, pela primeira vez na História olímpica, uma delegação composta por refugiados sírios, afegãos, do Sul do Sudão, da Etiópia e do Congo. 

    Houve também uma delegação síria "oficial", que não teve direito a vaias, ainda que o regime de Damasco não esteja muito em sintonia com os valores dos Jogos Olímpicos ... 

    E houve uma delegação de um Estado que não existe, nunca existiu e esperamos que nunca venha existir: a "Palestina", que a comunidade internacional quer impor à força, incluindo-o até nos Jogos Olímpicos, onde as disciplinas de esfaqueamentos, ataques à bomba, lançamento de pedras, ataques suicidas, ataques por atropelamento ou tiro ao carro, não fazem parte do programa olímpico. 

    E, finalmente, houve a falta de uma delegação. A de um verdadeiro povo, que muito tem  procurado a sua independência ou, pelo menos, autonomia: o povo curdo. Os curdos, o maior povo do mundo - quarenta milhões de pessoas - que não tem o seu próprio Estado. Qualquer um que acha normal que a presença da delegação do Estado virtual da "Palestina" levantaria as sobrancelhas se disséssemos que deveria haver uma delegação curda. 

    Este é mais um sinal da imensa hipocrisia da comunidade internacional. O desmantelamento do Médio Oriente, que resultou dos acordos Sykes-Picot, que criaram estados árabes artificiais, deixaram os curdos esquecidos. Seria aconselhável e sábio fomentar o surgimento de uma entidade curda, especialmente porque este povo hoje está na vanguarda da luta contra o Estado Islâmico. 

    Mas a comunidade internacional e os Jogos Olímpicos preferem celebrar e aplaudir a "Palestina" artificial e inteiramente fabricada, em vez do Curdistão histórico. 

    © por Shraga Blum para Europe-Israel.org


    http://www.europe-israel.org/


    - Só um Mundo cada vez mais louco, e ainda visceralmente anti-semita, se lembraria de reconhecer e levar aos Jogos Olímpicos um Estado inexistente,  essencialmente um bando terrorista, que reivindica como seu território os 0,5% do Médio Oriente que constituem (o que resta de) Israel.

    - Só um Mundo hipócrita e cobarde continua a não permitir que o Curdistão ou o Tibete não tenham, pelo menos, uma delegação olímpica. Timor-Leste conquistou esse lugar a duras penas, conseguindo sacudir o jugo do terror islamista indonésio...

    - Matar judeus à facada (que é adorar Alá), é uma modalidade em que a "Palestina" se distinguiria... Fora disso, a participação do bando terrorista conhecido como a "Palestina", destinou-se apenas a provocação e propaganda anti-semita.

    Se ainda não leu, não perca:
     

    Mas afinal quem são os "palestinos"?





    A razão para esta obsessão islâmica com Israel é que O Islão vê-se a si mesmo como "Din al-Haqq", a verdadeira religião, e ao Judaísmo e ao Cristianismo como "Din al-Batil" - falsas religiões. Estamos no mesmo barco, não esqueça...
     Aproveite e resolva o seguinte questionário:

     
    1. Quando é que o país foi fundado e por quem?  
    2. Quais foram as suas fronteiras?  
    3. Qual foi a sua capital?  
    4. Quais foram as suas cidades mais importantes?  
    5. Quais foram as bases de sua economia?  
    6. Qual foi a sua forma de governo?  
    7. Pode citar pelo menos um líder palestino antes de Arafat?  
    8. A Palestina alguma vez foi reconhecida como um país cuja existência, então ou agora, não deixa margem a interpretação?  
    9. O que era a língua da Palestina?

    10. Qual era a religião predominante da Palestina?


    11. Qual era o nome de sua moeda? Escolha uma data qualquer na história e diga qual era a taxa de câmbio da moeda palestiniana em relação ao dólar dos EUA, ao marco alemão, à libra esterlina, ao iene japonês ou ao yuan chinês na referida data.


    12. E, finalmente, dado que este país não existe actualmente, que é o que causou o seu desaparecimento e quando é que ocorreu? Você que lamenta o "afundamento" de uma orgulhosa e nobre nação ", diga s.f.f, quando exactamente é que essa "nação" era orgulhosa e nobre?


    APOIE ISRAEL. APOIE A VERDADE.

    domingo, 21 de agosto de 2016

    Ellen DeGeneres às cavalitas de Usain Bolt


    A comediante e apresentadora Ellen DeGeneres divulgou a montagem acima, em homenagem aos feitos de Usain Bolt, o relâmpago jamaicano que continua a incandescer o mundo do Atletismo.
    A montagem está a provocar polémica (que esperamos seja pouco mais que marketing jornalístico). Porque ela é branca e ele é negro, e uma branca às cavalitas de um negro "evoca a escravatura e o racismo".
    Antes de mais: As últimas décadas de doutrinação de massas no Marxismo cultural inculcaram nos ocidentais a ideia de que na História só houve colonialismo, racismo e escravatura, por parte de Brancos, tendo como vítimas os Negros. É FALSO. Houve E HÁ outros colonialismos, racismos e escravaturas. Mas isso fica para outra altura. Mas se quiser lançar-se no estudo, aqui vai:

    Negros escravizaram portugueses por mais de 741 anos

    Durante estes Jogos Olímpicos, tivemos oportunidade de ver as transmissões em espaços públicos e privados, em casas de ricos, remediados e pobres, junto de pessoas muito cultas e menos cultas, e nunca ouvimos nenhuma referência racista. Da nossa experiência de vida e dos dados estatísticos disponíveis, diremos que os Ocidentais e Brancos são as pessoas menos racistas do Mundo.
    Quando nós, pessoas de pele branca, nos juntamos para ver as actuações de atletas como Usain Bolt, Mo Farrah, Ashton Eaton ou Renaud Lavillenie, não estamos a ver "um preto", "um branco", "um mestiço", etc.. Estamos a ver atletas de excepção e seres humanos multifacetados, de que a cor da pele é apenas uma característica - e que por sinal nem foi escolhida por eles, ao contrário da de serem atletas.
    Não passou pela cabeça de Ellen DeGeneres a ideia de que a sua fotomontagem poderia ter tão estúpida interpretação.
    Ellen DeGeneres é norte-americana, e - como qualquer artista ocidental que se preze - é da área da Esquerda, no caso do Partido Democrata. Historicamente, o Partido Democrata (embora os seus militantes não sonhem) foi sempre contra a emancipação dos cidadãos Negros. Foi-lhe sempre mais agradável e útil mantê-los como uma minoria de "coitadinhos", que eles se encarregariam de proteger. Em vez de lhes atribuírem os direitos e deveres de qualquer outro cidadão. Em vez de lhes reconhecerem igualdade plena.
    O Marxismo cultural é uma terceira reencarnação do Marxismo, que toma sob a sua asa protectora todas as minorias descontentes. Mas trata primeiro de lhes injectar o descontentamento, fazendo-lhes crer que são segregados e discriminados. 
    Assim se capta o voto de certas minorias (muitas delas cada vez menos minoritárias...) da juventude idealista, dos aziados incuráveis e de todos os descontentes. Assim se divide para reinar.
    Assim de ataca as bases da nossa Civilização, gerando o caos primeiro, e aparecendo como solução para o caos a seguir. A eficácia da receita que eles nos propõem pode ser visto por exemplo na Coreia do Norte, no Irão ou na Venezuela.

    Demonizando Israel, arruinando a Venezuela

    E assim continuaremos a ter acusações absurdas de racismo (e de homofobia, e de islamofobia e de outras fobias), continuaremos a ter garotos do jardim infantil suspensos por terem usado o dedo indicador para apontar para um colega, continuaremos a ter homens detidos por causa de um piropo, continuaremos a ter propostas de diminuição do tamanho dos chapéus das bruxas nos contos infantis (para não serem "símbolos fálicos, logo falocráticos"), continuaremos a ter propostas de abolição da palavra "preto" (nomeadamente na toponímia), etc., etc.. Um cortejo de loucura.

    - A coisa é mais séria do que parece. A nata do mundo cultural, jornalístico e académico trabalha dia e noite para impor a sua tresloucada visão do Mundo:

    Enquanto isso, no mundo real...

    'Se chegassem ao poder era o diabo!'