segunda-feira, 7 de outubro de 2013

Egipto e Israel: problemas comuns

 

 No Egipto, os partidários da Irmandade Muçulmana continuam a exigir o regresso do presidente deposto, com consequências devastadoras. Mas o país enfrenta outros problemas, que, por razões que a razão conhece, a Imprensa pouco ou nada aborda:

 Egypte_Gaza

O Egipto prepara uma ofensiva contra Gaza! Nenhuns media comentam, nenhuma ONG se ofende, nenhuma flotilha vai para a água ...
Lembra-se do ballet incessante de informações sobre um possível ataque israelita a Gaza no final de 2012? Todos os canais de televisão falavam do assunto, todas as ONGs se sentiram ofendidas, e todos pró-palestinos estavam prontos para "saltar" para uma flotilha para resgatar os pobres habitantes de Gaza.
Hoje é o Egito que está pronto para um assalto contra Gaza, para limpar esse ninho do terrorismo, e, estranhamente, todos os jornalistas e ONGs viram o olhar para outro lado, todos cavam buracos na caixa de areia para enfiar a cabeça, e todas as frotas são canceladas por falta de militantes ...
O Exército egípcio planeia intervir na Faixa de Gaza se os ataques na Península do Sinai contra tropas egípcias se intensificarem, disseram autoridades dos serviços de segurança egípcios esta quarta-feira, 2 de Outubro.
Aviões de reconhecimento egípcios também entraram no espaço aéreo de Gaza e fizeram medições precisas de potenciais alvos em Rafah e Khan Younis, disse a agência de notícias palestina Ma'an.
A força aérea egípcia também pode atingir veículos que se movam ao longo da fronteira para entregar o contrabando, suspeitando-se da passagem de armas para ataques terroristas. Outros túneis de contrabando poderão ser destruídos, e "todas as opções estão em aberto", disse uma fonte dos serviços de segurança.
De acordo com as fontes militares egípcias, os ataques visam muitas organizações com base no Sinai e na Faixa de Gaza, incluindo a Ansar al-Sunna, filiada no Hamas, e a Ansar Beit al- Maqdis. Para manter o controle do Sinai, o exército egípcio não tem escolha a não ser bombardear todos os túneis de contrabando com Gaza.

- Nota nossa: para saber mais sobre os túneis de Gaza, clique aqui.
"O exército egípcio não acha que o povo de Gaza esteja todo envolvido na violência no Sinai, mas algumas facções apoiam fortemente os grupos que aí estão instalados. Os túneis desempenham um papel importante no tráfico entre os dois lados", disse um oficial egípcio à Ma'a, acrescentando que "o Hamas, apesar do seu envolvimento limitado, é responsável pela gestão dos túneis e pelas facções terroristas que operam em Gaza". 
Os militares egípcios desde o início de Agosto acusam o Hamas, que controla Gaza, de estar por trás da violência que foi desencadeada após a deposição do presidente Morsi .
• É interessante notar que os grupos pró-palestinos continuam na indiferença e no silêncio total, quando os ataques a Gaza não vêm de Israel.
• É interessante notar que o Egipto é vítima dos mesmos ataques terroristas que Israel, do Hamas e grupos filiados, considerando como a única solução atacar Gaza.
• E é notório observar que os meios de comunicação não o mencionam.
A razão é esta: o paradigma simplista do Jornalismo é apresentar, de um lado, "os criminosos israelitas", e do outro, "os pobres palestinos que são obrigados a recorrer ao terrorismo por  desespero para com a crueldade desumana de Israel". 
Quando este paradigma enfrenta uma realidade diferente - os ataques terroristas do Hamas contra o Egipto -  já não podendo falar-se de Israel e de desespero, a profissão de jornalista é obrigada a censurar informações - para fazer desaparecer os factos. Eles não existem. Assim, o paradigma permanece intacto.
Se o Egipto decidir atacar Gaza, haverá mortes de civis, porque o Hamas usa escudos humanos com uma estratégia para deter o inimigo, e abriga as suas bases de mísseis em bairros mais movimentados. Neste caso, nada vai ser contada pelos media, que sempre rejeitaram as acusações de Israel sobre o assunto.
Se o Egipto decidir atacar Gaza, os media não serão capazes de ignorar as consequências económicas.
No entanto, eles minimizarão o número de mortes de civis, porque isso iria absolver Israel dos crimes de que é acusado.
(...)
Os leitores que não foram sujeitos á lavagem cerebral anti-Israel quererão aprender mais, e irão á Internet para saber o que está realmente a acontecer. Eles encontram a verdadeira informação na Internet, na origem, factual , com links para agências de notícias e meios de comunicação no idioma Inglês, que os meios de comunicação franceses  (nota nossa: e portugueses), costumam esconder.
Como este artigo.
Afinal de contas, as ameaças do Egito contra Gaza não fazem notícias, não é?
Lembra-se  das manchetes quando Israel pronunciou as mesmas ameaças contra os mesmos islamistas?

Europe-Israel
 © Jean-Patrick Grumberg para www.Dreuz.info
http://www.maannews.net/eng/ViewDetails.aspx?ID=635479

 

O Hamas usa Gaza como base de lançamento de mísseis e outros ataques terroristas contra Israel. Quando Israel responde, o Hamas usa escudos humanos, e gaba-se de amar a morte como os outros povos amam a  vida

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.