terça-feira, 19 de agosto de 2014

O Louçã e a malta




Nunca pensámos vir a assistir a manifestações (islamo) nazis em Portugal, como a que reuniu 200 indivíduos (a Imprensa multiplicou por 10), de extrema-esquerda e outros celerados, e contou com a presença de criaturas sinistras como o Louçã.

Extrema-esquerda, neo nazis e islamistas, unidos no ódio aos judeus.

 A propósito: não perca o artigo de Esther Mucznik sobre a vaga de antissemitismo em curso.

Não esperávamos ver este surto de neo nazismo em países como o Reino Unido. Aqui é em Manchester. O boicotador de Israel, inserido num grupo que está a participar num pogrom contra uma loja que vende produtos israelitas, afirma abertamente amar Hitler:



Não é novidade. O Islão e o Nazismo têm no ódio aos judeus a sua pedra basilar. E a Esquerda odeia-os pelos motivos que se sabe. E não é apenas a esquerda Estalinista, dos pogroms, dos milhões de judeus fuzilados e atirados para as valas comuns. Ainda noutro dia os comunistas de pantufas do PS se aliaram ao PCP e ao Bloco para condenar Israel.

É por isso que vemos neo nazis, supremacistas islâmicos e esquerdistas, marchando sob a mesma bandeira: o ódio demente aos judeus. 

Em França, por exemplo, temos a Santíssima Trindade do neo nazi Le Pen, do comunista (e praticante se sexo com animais) Alain Soral e do supremacista islâmico M'bala M'bala Dieudonnê (financiado pelo Irão).

Cá, temos o Louçã e a malta.

4 comentários:

  1. bem eu sou um "neo-nazi" e sou amigo de israel e contra os outros que por norma são uma esmagadora maioria , mas essa maioria é vermelha do pc e não "neo-nazi" ,o holocausto foi uma consequencia muito má da guerra o qual não apoio , mas o NS não foi só isso !

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O Nacional Socialismo, de bom, teve a estética. Teve Albert Speer, que desenhou uns edifícios, uns logos e uns uniformes giros. De resto, não vejo o que possa ser aproveitado de uma ideologia racista, violenta, persecutória, ditatorial, supremacista, e fico por aqui nos adjectivos.

      No texto, creio que deixei expresso que a extrema-esquerda, os neo-nazis e os muçulmanos, sendo ideologias diferentes, têm em comum o ódio aos judeus e a Israel. O seu caso será uma excepção.

      Diga-se também que o Nacional Socialismo é basicamente uma variante do Comunismo. Foi chamado Comunismo Alemão. Qualquer das três ideologias, se bem que possam ter na teoria aspectos inócuos, quando levadas à prática, equivalem-se em horror. Quem já experimentou as três (alguns judeus, por exemplo, sobreviveram a esses três flagelos, diz que o Islão é a pior.

      Israel Bloom

      Eliminar
  2. bem se vamos por aí então lembro que foi a democracia que permitiu o NS chegar ao poder , é a democracia que permite os movimentos marxistas com o que de mau trás para a sociedade e é também a democracia que permite a enchente de muculmanos na europa , foi uma democracia que matou milhões num curto espaço de tempo com duas bombas nucleares , podia continuar . Eu não sou o unico a estar por israel muitos há pela Europa , ah mas somos "neo-nazis" , portanto devemos ser escumalha .Talvez devam contar com os do-tudo-e-do-se-contrario , esses que nos chamam racistas mas que logo o são para israel !

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não se pode ser tolerante para com os intolerantes. A democracia não pode abrigar forças antidemocráticas. Aconselho-lhe este filósofo:


      "Temos pois de proclamar, em nome da tolêrancia, o direito de não sermos tolerantes com os intolerantes. Temos de proclamar que qualquer movimento que promova a intolerância se coloca fora da lei, e temos de considerar criminoso todo e qualquer incitamento à intolerância e à perseguição, como consideramos criminoso o incitamento ao homicídio, ao rapto, ou ao restablecimento do tráfico de escravos."

      - Fonte: Livro "A Sociedade Aberta e os seus inimigos"

      "Não é possível discutir racionalmente com alguém que prefere matar-nos a ser convencido pelos nossos argumentos."

      - citado em "Filosofia Do Direito E Justica‎" - Página 115, Andityas Soares de Moura Costa Matos, Editora del Rey, 2006, ISBN 8573088745, 9788573088748

      "Não devemos aceitar sem qualificação o princípio de tolerar os intolerantes senão corremos o risco de destruição de nós próprios e da própria atitude de tolerância."

      - Si nous étendons la tolérance illimitée même à ceux qui sont intolérants, si nous ne sommes pas disposés à défendre une société tolérante contre l'impact de l'intolérant, alors le tolérant sera détruit, et la tolérance avec lui.

      - Karl Popper; The Paradox of Tolerance, Karl Popper, The Open Society and Its Enemies, Vol. I, Chapt. 7, n.4, at 265 (Princeton University Press 1971)

      Mas, acima de tudo, o senso-comum diz-nos que os actos de terrorismo e tirania negam a democracia, ainda que eventualmente possam ser cometidos à sombra da sua bandeira.

      J.J.

      Eliminar

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.