sábado, 6 de maio de 2017

Áustria: 75% dos ‘migrantes’ argelinos são suspeitos de assédio sexual

No colonato islâmico que é a PSEUDO-MESQUITA DE AL-AQSA, em Jerusalém,  o xeque "palestino" Muhammad Ayed diz em sermão que o pseudo-refugiados vão para a Europa para "procriar" com mulheres europeias, para assim servirem o califado islâmico e conquistarem os países que colonizam. A jihad demográfica e sexual é uma arma de sempre do Islão. O xeque islâmico não é o equivalente ao nosso padre ou pastor, não... Infelizmente, a maior parte das pessoas não consegue meter isto na cabeça.

Um vídeo que felizmente reapareceu, para depressa ser censurado de novo. O jihad sexual, o estupro como forma de "guerra santa", há muito que é promovido e praticado contra as mulheres de Israel (contra as não muçulmanas, obviamente!):



Feita esta introdução, vamos ao nosso post:

Vivemos tempos peculiares, em que a maior parte das pessoas ainda acredita mais no que dizem os mentirosos e propagandistas profissionais, vulgo jornalistas, do que na realidade que lhes bate à porta todos os dias. A maior mentira dos tempos que correm é a de que os muçulmanos terroristas e criminosos são uma minoria. Uma visita ao site MUSLIM STATISTICS chegaria para deitar por terra essa falácia. 

Este post, que traduzimos, serve apenas como exemplo, para comparar a realidade com a ficção que os jornaleiros nos servem todos os dias.



75% dos ‘migrantes’ argelinos na Áustria são suspeitos de assédio sexual 

Ultraje – estupros cometidos por ‘migrantes’ aumentam 133% - em apenas um ano 

‘MIGRANTES’ cometeram mais estupros violentos na Áustria este ano, de acordo com novas estatísticas chocantes. 

Por Belinda Robinson, Express UK, 9 de Dezembro de 2016

O número de agressões sexuais cometidas por imigrantes que vivem na Áustria aumentou nuns incríveis 133% em 2016. Os números foram divulgados pelo Partido da Liberdade da Áustria, e a fonte é o Ministério do Interior. 

O ministro austríaco do Interior, Wolfgang Sobotka, disse que o aumento é preocupante, já que representa um forte aumento em relação ao ano passado, quando 39 imigrantes foram identificados como suspeitos. Até Setembro, pelo menos 91 refugiados foram confirmados como suspeitos de agressões sexuais. A maioria dos suspeitos era originária do Afeganistão - que teve um aumento de 16 para 47 suspeitos num ano. 

“Há grandes problemas com outras culturas”

De acordo com o Ministério do Interior, mais 438 austríacos estiveram envolvidos em outras agressões sexuais. Mas não havia registos oficiais do seu país de origem. O conselheiro nacional Christian Lausch, do Partido da Liberdade da Áustria, criticou estas estatísticas por omitirem que muitos desses "austríacos" são na realidade ‘migrantes’

Actualmente, cerca de 47%  dos prisioneiros nas cadeias austríacas são estrangeiros, como demonstram os dados do Statista. Um agente da maior instituição policial de Viena, que não quis ser nomeado, disse: "O número de ‘verdadeiros austríacos’ [condenados] por estupros é insignificante. Há grandes problemas com outras culturas"


Wolfgang Sobotka


O ministro austríaco do Interior, Wolfgang Sobotka, disse que o aumento das agressões é profundamente preocupante. Três afegãos estão entre os que enfrentam o Tribunal Regional de Viena por terem estuprado um jovem estudante nos lavabos de uma estação de comboios. 

Em outro caso, um afegão acusado de ter estuprado uma menina de 10 anos numa piscina está a ser investigado. 

Nove iraquianos estão a ser investigados pelo estupro de uma mulher alemã na véspera de Ano Novo e por terem tirado fotos da vítima durante o ataque. 

Enquanto isso, um ‘migrante’ que estuprou uma senhora de 72 anos enquanto ela passeava o cão, foi condenado. 

As Polícias austríaca e alemã estão em alerta máximo para proteger as mulheres. As autoridades alemãs dizem que também estão a enfrentar preocupações semelhantes com o rápido aumento de estupros por parte dos migrantes. 


As Polícias da Alemanha e da Áustria estão em alerta máximo para proteger as mulheres.


Markus Ulbig, Ministro do Interior da Alemanha pela União Democrata Cristã, disse que 169 crimes sexuais foram cometidos por ‘migrantes’ em 2016 no seu Estado, contra apenas 25 casos semelhantes no ano anterior na Saxónia, segundo relata o jornal alemão Bild

Dos 7,579 crimes cometidos por ‘migrantes’, a maioria deles foram roubo, assalto e danos corporais.

Markus Ulbig disse que 169 crimes sexuais foram cometidos por ‘migrantes ‘em 2016 na Saxónia.

-------------------------------------------------

Para os muçulmanos, as mulheres "infiéis" são indignas, e merecem ser estupradas. São eles e a sua religião que o afirmam. Veja as nossas secções Jihad Sexual e Mulheres.





VÍDEO PERMANENTEMENTE RETIRADO PELOS ISLAMOFASCISTAS DO YOUTUBE - MUÇULMANOS GABAM-SE DE TEREM ESTUPRADO EM GRUPO UMA JOVEM, NA ALEMANHA (Riem-se e vangloriam-se de que, "como porcos", a estupraram e a encheram de sémen e terra e lhe cuspiram em cima. E outras "belas" coisas). SERÁ NORMAL SERMOS OBRIGADOS A TOLERAR ISTO???

 

MUÇULMANOS AVISAM QUE QUANDO TOMAREM CONTA DA EUROPA, O ESTUPRO E A ESCRAVATURA SEXUAL DE MULHERES BRANCAS SERÃO LEGAIS, COMO MANDA O ISLÃO:

 

MUÇULMANOS COMETEM ESTUPRO EM MASSA NA ALEMANHA E O MINISTRO DIZ QUE CRITICÁ-LOS É MAIS GRAVE QUE ESTUPRAR:

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.