sexta-feira, 14 de julho de 2017

Terroristas matam 2 polícias na Cidade Velha de Jerusalém

Cena do ataque, esta manhã.


Terroristas 'palestinos' feriram três polícias israelitas num ataque a tiro na cidade velha de Jerusalém. Dois ficaram gravemente feridos e morreram no hospital.

Dois polícias israelitas de 20 anos foram gravemente feridos na cidade velha de Jerusalém, esta sexta-feira, quando três terroristas 'palestinos' abriram fogo perto da entrada do Monte do Templo. Duas outras vítimas foram levemente feridas.

A polícia disparou e matou os três assaltantes.

Nidal Seder, um voluntário da United Hatzalah que vive na Cidade Velha, foi o primeiro a chegar ao local, de acordo com os serviços médicos de emergência.

"Eu comecei a fazer a reanimação a uma das vítimas perto da Mesquita [Al Aqsa]", disse Seder. "Fui acompanhado por membros do Crescente Vermelho, polícias e outros voluntários que acorreram ao local. Foi-nos dito que outros voluntários começaram a reanimação a uma segunda vítima e que havia outras duas pessoas que sofreram ferimentos leves".

Yechiel Stern, outro voluntário, estava a um minuto de distância da Porta do Leão, na Cidade Velha, quando ouviu os tiros.

"Eu cheguei com um médico voluntário da United Hatzalah e começámos a tentar reanimar uma pessoa gravemente ferida", explicou. "Depois de terminarmos, os polícias direccionaram-nos para outra área dentro do complexo do Monte do Templo. Nós fornecemos o tratamento de primeiros socorros a outra pessoa gravemente ferida que foi evacuada para o hospital. Também providenciámos tratamento de primeiros socorros a outras duas pessoas que sofreram feridas por estilhaços e sofreram choque".

A Polícia está a investigar o ataque, questionando como é que os terroristas conseguiram fazer passar as armas através da segurança e no complexo do Monte do Templo.
Via World Israel News

-------------------------------------------------------------

 Voluntários contam o que ocorreu:



O tiroteio foi filmado e há diversos vídeos online. Neste, ouve-se um espectador muçulmano, em êxtase, a gritar o habitual "Allahu Akbar!":


O mega-terrorista Mammoud Abbas (abastecido com biliões que o Mundo inteiro lhe envia, para que este leve a cabo o que Hitler não logrou), declarou esta guerra a que chamámos INTIFACADA, apelando aos jovens para que se martirizem em nome de Alá matando judeus, prometendo-lhes o Paraíso da perpétua fornicação a eles, e milhões de recompensa às famílias (o contribuinte Ocidental paga, isso e os jactos particulares e as mansões de Abbas).
Os políticos e os media, quando os terroristas atacam e matam gente inocente, digamos, em Londres, dizem o que se passou: "Terroristas atacaram e mataram inocentes e foram abatidos pela Policia". E é até louvada a acção da Polícia (e nós achamos bem):


No entanto, quando é em Israel que os mesmíssimos terroristas, em nome do mesmíssimo deus, atacam e matam inocentes, e depois são abatidos pela Polícia, os políticos e os media omitem o acto terrorista e comentam que a Polícia abateu três "palestinos". Nem fazem equivalente moral entre terroristas e vítimas: apoiam os terroristas!
O anti-semitismo está vivo e recomenda-se. Esperemos que esteja para breve a consumação dos tempos, porque tanta injustiça, tanto ódio injustificado e tanto sofrimento, em cima de um dos povos mais pacíficos que existem, e há tanto tempo, é demais!

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.