terça-feira, 1 de outubro de 2013

Alinhando com o Opressor: A Esquerda Pró-islâmica

O primeiro-ministro israelita disse, nas Nações Unidas, que se for preciso o seu país agirá sozinho contra Teerão. E a Esquerda começou de imediato a ulular, em coro com os abertamente nazis, temerosa de que não seja desta que os Judeus sejam extintos. Porque é que a Esquerda ama com esta paixão os Estados islâmicos e seus regimes de terror? 

P.S. - Leia aqui o discurso do P.M. de Israel em Português.



James Bloodworth

Sexta-feira 28 de Junho de 2013
Por que é que a esquerda é  cega ao extremismo islâmico?

O relatório confirma que a esquerda apoia os
fundamentalistas islâmicos


Imagine-se a olhar para uma imagem 3D com aqueles óculos especiais azuis e vermelhos, mas fechar um dos olhos. Algumas partes da imagem desapareceriam se você fechasse o olho esquerdo, e outras partes se você fechasse o olho direito.
A Política muitas vezes leva as pessoas a fecharem os olhos metaforicamente. As pessoas só vêem o que querem ver e ignoram qualquer coisa desconfortável que contradiga a sua visão do mundo. A evidência deixa de ser evidência para se tornar uma espécie de ruído branco para ser filtrado, ou uma munição para ser retorcida e utilizada contra o outro lado.
A existência de uma grande quantidade deste tipo de pessoas na Política é confirmada pelo novo relatório da campanha Uma Lei Para Todos: Alinhando com o Opressor : A Esquerda Pró-islâmica. 
Foi na última década que alguns progressistas se posicionaram - por conveniência política ou algo pior - ao lado da extrema-direita.
Uns misturaram-se intencionalmente com o que qualquer pessoa informada reconheceria como fascismo, enquanto outros simplesmente não querem reconhecer que os movimentos fanáticos nem sempre compreendem cabeças rapadas brancos com tatuagens intimidantes e camisolas de futebol.
O resultado, como observa o relatório, foi um movimento anti-guerra trabalhando com entusiasmo com aqueles que defendem o assassinato de homossexuais, um presidente de esquerda em Londres abraçando um homem que disse que Adolf Hitler tinha sido enviado por Deus para punir os judeus, e um grupo criado ostensivamente se opor fascismo dando calorosas boas-vindas aos fascistas religiosos nas suas próprias fileiras.
Porque a esquerda não policia as suas fronteiras da forma como a direita aprendeu a fazer - os social-democratas gostam de fingir que a extrema-esquerda está no mesmo lado que eles - os extremistas esgueiram-se regularmente para o mainstream à boleia de grupos progressistas.
Um bom exemplo é o Unite Against Fascism (Unidos Contra o Fascismo).
Lançado em 2003 como uma resposta à actividade eleitoral do British National Party, o UAF passa a maior parte de seu tempo nestes dias a organizar manifestações contra a English Defence League (Liga de Defesa Inglesa).

Uma saída honrosa para passar o tempo, poder-se-á pensar .
 
A definição do que constitui o fascismo para a UAF, no entanto, é peculiar. A organização de esquerda Unidos Contra o Fascismo não se opõe aos que defendem a ressurreição de um califado islâmico fascista. Mais: A liderança da Unidos Contra o Fascismo acolhe activamente pessoas que perfilham essa ideologia fascista!


Um dos vice-presidentes da UAF é Azad Ali (na imagem), co-coordenador do Fórum de Assuntos Islâmicos da Europa, um desdobramento do grupo islâmico de extrema direita Jamaat-e-Islami. Em 2008 Azad Ali, no seu site, concordou que era uma obrigação religiosa matar soldados britânicos e norte-americanos.
Ali afirmou que "se a democracia significa a não implementação da Sharia, ninguém deve concordar com a democracia. Claro que ninguém concorda com isso."
O movimento Uma Lei Para Todos contactou a Unidos Contra o Fascismo para esclarecer a posição do grupo sobre o fascismo islâmico e foi-lhe respondido que "não existe fascismo islâmico".


A falta de preocupação com o islamismo estende-se ao chamado movimento anti-guerra. Anas al-Tikriti (na foto, em manifestação anti-Israel), actual Vice-Presidente da Stop the War Coalition, disse que os apelos para a criação de um Estado Islâmico "não nos devem assustar... ou provocar uma reacção negativa".
Falando dos judeus, Tikriti também criticou o Conselho Muçulmano da Grã-Bretanha por deixar cair o seu plano de boicotar Dia Memorial do Holocausto, que ele disse que era uma posição de princípio.
As pessoas que trouxeram os islamistas para o sector dito progressista da Política não cessam de impulsionar campanhas contra os que expressam preocupação com o conservadorismo religioso dos islamistas. Rotulam essa preocupação de islamofobia .
Como afirma Maryam Namazie do movimento Uma Lei para Todos, "grupos como Stop the War Coalition, Socialist Workers’ Party, Unite Against Fascism, Islamophobia Watch, ou o Respect Party, estão a policiar a opinião pública, de modo a que qualquer crítica ao islamismo radical seja vista como uma crítica a todos os muçulmanos"."
Tão pouco as pessoas mencionadas no relatório como islamofascistas já foram alguma vez repudiadas pela esquerda política. Pelo contrário, elas permanecem omnipresentes e as suas organizações ainda são tratadas como se fossem progressistas respeitáveis ​.
(...)
O mistério em tudo isto é que a esquerda tem recebido nas suas fileiras indivíduos que segundo qualquer definição se situariam na extrema-direita.
A resposta, creio, reside no facto de que muitos islamistas exibem um patológico anti- americanismo, que é bastante atraente para um certo tipo de degeneração progressista. 

- Por outras palavras, para a Esquerda, os inimigos dos seus inimigos, seus amigos são. A Esquerda odeia os Estados Unidos, e odeia Israel. Pouco lhe importa que os regimes socialistas (Cuba, Coreia do Norte, China, etc.) sejam gigantescos campos de concentração. Pouco importa à Esquerda, sempre tão libertária, que entre os países islâmicos não haja UM que seja livre e democrático. Pouco importa à Esquerda que nos países islâmicos

- as mulheres sejam menos que objectos

- o abuso sexual de menores seja tolerado

- o terrorismo contra o Ocidente seja efusivamente celebrado, financiado e praticado

- os homossexuais sejam sumariamente executados

- as mulheres adúlteras sejam lapidadas como forma de diversão pública

- a mutilação genital feminina seja a regra

- as religiões não islâmicas sejam perseguidas

- se celebre a guerra santa (jihad) como via para o Califado Global

- a Sharia (lei religiosa islâmica) esmague a democracia e os direitos humanos

- etc.



Documentário sobre a guerra santa islamista global:


O que o Ocidente precisa de saber sobre o Islão:



A condição feminina no Islão:

 

Alguns sites que reportam o terrorismo islâmico:

Interessante site que desmonta a propaganda anti Israel:

I Acknowledge Anti-Semitism Poses as Palestinian "Human Rights" Activism

Pat Condell desmonta a grande mentira «palestiniana»

O conflito não é sobre Israel; é sobre o ódio aos Judeus.



 


LISTA DOS ATAQUES TERRORISTAS ISLÂMICOS DE 2004

LISTA DOS ATAQUES TERRORISTAS ISLÂMICOS DE 2005

LISTA DOS ATAQUES TERRORISTAS ISLÂMICOS DE 2006

LISTA DOS ATAQUES TERRORISTAS ISLÂMICOS DE 2007


LISTA DOS ATAQUES TERRORISTAS ISLÂMICOS DE 2008

LISTA DOS ATAQUES TERRORISTAS ISLÂMICOS DE 2009

LISTA DOS ATAQUES TERRORISTAS ISLÂMICOS DE 2010

 LISTA DOS ATAQUES TERRORISTAS ISLÂMICOS DE 2011

 LISTA DOS ATAQUES TERRORISTAS ISLÂMICOS DE 2012

 LISTA DOS ATAQUES TERRORISTAS ISLÂMICOS DE 2013 (1º SEMESTRE)

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.