domingo, 20 de outubro de 2013

Jesus, Judeu e Circuncidado - 4

 Jesus, Judeu e Circuncidado - 1

 Jesus, Judeu e Circuncidado -2

 Jesus, Judeu e Circuncidado -3

 L’excellent illustrateur de « La libre Belgique » au très mauvais goût

- A recente proibição da circuncisão ritual judaica na Europa (em vias de se concretizar), levou o jornal «La Libre Belgique» a usar a ilustração acima para comparar a circuncisão ao uso da estrela amarela imposta pelo Nazismo (!). Este é mais um post dedicado ao assunto, com a ajuda de artigo de Alain Amiel, que fez o levantamento histórico das marcas distintivas impostas aos judeus na Europa. Tentamos com esta série demonstrar o absurdo da comparação feita por esse jornal, mas também a superficialidade e o preconceito de quem aprovou e aplaude esta medida.


Em 1215, o Concílio de Latrão obrigou os judeus a usarem "um fato ou um sinal distintivo": o emblema amarelo, simbolizando os 30 dinheiros de Judas, em tecido amarelo.
Na França, o sinal distintivo era amarelo pistácio; depois passou a ser vermelho e branco.
Na Inglaterra, tomou a forma de duas bandas ou listas, primeiro branca e depois amarela.
No reinado de Eduardo II, tomou a forma das tábuas da Lei (de Moisés).
A estes sinais distintivos de vestuário acrescentou-se depois o uso obrigatório de um chapéu pontiagudo, o "chapéu judeu":

 
 
 

Em 1267, o Concílio de Viena ordenou o uso de um chapéu especial, o "Judenhut":
 

 

Em 1222, na Inglaterra, os judeus, por ordem do Arcebispo de Cantuária, os judeus foram forçados a usar um novo sinal. Este sinal, que era primeiro um pano branco e fita amarela, foi mais tarde, no reinado de Eduardo I, uma fita de cor açafrão.
Na Alemanha, o sinal era, no século XIII,  um chapéu vermelho pontiagudo.Em 1232, Raymond VII, conde de Toulouse, por ordem papal, exige aos judeus o uso de um emblema amarelo nas cidades do Sul de França.
Em Marselha, os judeus tinham a escolha entre o chapéu amarelo ou a roseta.
Para as mulheres, a roseta foi muitas vezes substituída por uma espécie de véu.Em 1233, em Nápoles, Frederico II introduz o uso obrigatório da  roseta.
Em Veneza, um chapéu vermelho substitui a roseta.Em 1267, na Alemanha, o chapéu a ser usado pelos judeus, o "Judenhut" é imposto por um decreto do Concílio de Viena. É um chapéu plano, com uma haste com uma bola (porquê?), como pode ser visto nas ilustrações acima.
Em 1269, em França, "São Luís" ordena o uso de dois sinais amarelos, um nas costas, e um outro no peito, a partir dos 14 anos de idade.Em 1279, o abade de St. Antonin de Pamiers revogou essa lei, impondo apenas o uso da roseta, pouco visível.No século XIII, na Alemanha, a marca infame foi um capacete cónico.
Na Polónia, um chapéu pontiagudo.
Em Espanha, o sambenito, vestuário grosseiro e sólido adornado com uma cruz de Santo André, foi imposto aos judeus pela Inquisição.
O IV Concílio de Latrão obrigou os judeus a usar barbas.

(continua)

Sem comentários:

Enviar um comentário

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.