quarta-feira, 7 de outubro de 2015

França - Governo já aplica a Sharia

   "COMO PÔDE VOCÊ PUBLICAR A FOTO DE AL-BAGHDADI [CHEFE DO ESTADO ISLÂMICO] COM UM ALVO NA CABEÇA?" - exclamou o director do departamento de segurança pública do Rhone.
Um polícia foi ontem condenado por ter manifestado o seu horror ao ISIS. A terra da LIBERDADE, IGUALDADE e FRATERNIDADE, rendeu-se ao Islão!

Assim vai o processo de invasão muçulmana da Europa e do Mundo Livre:

- Primeiro, as operações de charme ("Islão é Paz", muita propaganda  festiva, muito jornaleiro por conta)

- Depois, as exigências abertas (carninha halal, viver principescamente à custa dos "infiéis", remoção do Holocausto dos programas escolares, territórios só para muçulmanos, piscinas, e fora da jurisdição dos países colonizados, etc., etc. etc., seria muito fastidioso enumerar tudo.). 

- Agora, estamos na fase em que os muçulmanos já nem têm que ter a trabalheira de matar quem se atreve a desagradar-lhes: são as próprias autoridades que aplicam a lei sharia!



O caso que hoje vos trazemos marca o início oficial da França como República Islâmica, um objectivo que os muçulmanos há muito acalentavam. Um precedente gravíssimo para todo o Mundo Livre.

Leia a notícia e julgue por si mesmo. Poderemos ainda evitar uma guerra?

POLÍCIA FRANCÊS APANHA PENA DE 24 MESES POR TER INSULTADO TERRORISTAS ISLÂMICOS
Em Setembro de 2014 Hervé Gourdel foi raptado e decapitado na Argélia por terroristas islâmicos.
Sébastien Jallamion, chocado com a barbárie, criou uma página no Facebook, sob pseudónimo, para debater sobre o Islão e homenagear a vítima. 
Sébastien Jallamion foi processado por um amigo muçulmano. 
Não houve reclamações do SOS Racismo nem de nenhuma organização do género - porque os comentários foram dirigidos contra os terroristas, e apenas contra os terroristas.
Mas um bom amigo e colega muçulmano de Sébastien viu as coisas sob uma luz diferente. Insultar terroristas muçulmanos, para um muçulmano, é inadmissível. E o muçulmano denunciou Sébastien aos seus superiores.
A nova França iria mostrar que a liberdade de expressão é um bom slogan, mas só no papel.
 
Inúmeras organizações islâmicas em França assumem que o país será oficialmente muçulmano. A bem ou a mal...

A terra da LIBERDADE - IGUALDADE- FRATERNIDADE, apressou-se a demonstrar que o tempo da liberdade de expressão já passou. Agora o tempo é de ISLÃO.
Sébastien Jallamion foi condenado por "incitamento à discriminação racial" por comentários que não escreveu, que foram publicados por 1300 dos seus "amigos" do Facebook.
Foi acusado de ter violado o seu dever de confidencialidade, mesmo sendo a sua página no Facebook anónima - ninguém sabia que ele era polícia, excepto o seu bom amigo muçulmano que o denunciou.
Foi condenado por desrespeito aos terroristas islâmicos.
Foi condenado por ter "violado os valores institucionais" - porque "insultou" o Islão e o profeta Maomé. Qualquer outra religião ou profeta podem ser "insultados".

Criticar os seguidores do Islão (por muitas atrocidades que cometam) é crime.

Por isso, o Ministério Público exigiu:
         - PESADA PENA DE MULTA

       - PROIBIÇÃO VITALÍCIA DE EXERCER NO SERVIÇO PÚBLICO; NO CASO, DE EXERCER A PROFISSÃO DE POLÍCIA

       - 5 ANOS DE PROIBIÇÃO DE PORTE DE ARMAS - PARA QUE ELE NÃO USE OS SEUS CONHECIMENTOS PROFISSIONAIS EM PRIVADO

       - 8 MESES DE PRISÃO, 5 DOS QUAIS EM SOLITÁRIA

       - OBRIGAÇÃO DE ASSISTÊNCIA PSIQUIÁTRICA.

 

O presidente do Tribunal Criminal, surpreso com os excessos requeridos pela acusação - ou seja, o Governo!!! - e condenou-o a uma multa de € 5.000.

Mas a acusação não tinha dito a sua última palavra: o medo dos terroristas islâmicos não podia ser punido apenas com € 5,000 de multa! A acusação apelou imediatamente, e pediu a prisão e a proibição de exercer a profissão de polícia.
Em outras palavras, a privação de liberdade, a ruína, a morte ocupacional e a morte social: tudo  porque Sebastien Jallamion manifestou aversão aos bárbaros islâmicos que decapitaram Gourdel.
Nos países islâmicos, onde a lei é feita de acordo com a Sharia, a pena seria a mesma. Mas isso está a acontecer em França. Mas a França não é mais a mesma, e quem não se adaptar sofre o destino de Sebastien Jallamion.
Sébastien Jallamion  foi punido com suspensão de 24 meses - 24 meses sem salários, sem emprego. Tudo porque na sua página no Facebook publicou fotos e textos em que se opôs à decapitação de Hervé Gourdel.
Foi ainda acusado de ter publicado uma foto de Abu Bakr al-Baghdadi, líder do Estado Islâmico, com um alvo na cabeça.

Este homem ordena massacres, estupros, torturas indizíveis, este homem pede meças aos maiores MONSTROS da História. Mas o Governo de França pune quem o afirma!
    "COMO PÔDE VOCÊ PUBLICAR A FOTO DE AL-BAGHDADI [CHEFE DO ESTADO ISLÂMICO] COM UM ALVO NA CABEÇA?" - exclamou o director do departamento de segurança pública do Rhone, falando do líder terrorista, enquanto a Imprensa labuta dia e noite para nos convencer de que o Estado Islâmico/ISIS não tem nada a ver com o Islão.

Traduzido, condensado e adaptado de: © Jean-Patrick Grumberg para Dreuz.info.


 De vez em quando falamos da islamização da FRANÇA. O país já tem uma população muçulmana de 10%. O nosso post  Notícias da "Racaille" mostra como eles assaltam, espancam, estupram em grupos de dezenas, sem que nada lhes aconteça.
A vitória do Partido Socialista nas eleições de 2012 foi a vitória do partido do Islão. Foi o fim.


Foi rápido e simples.
PERMITIREMOS O MESMO NOS OUTROS PAÍSES DA EUROPA?

1 comentário:

Seja bem-vindo a esta caixa de comentários quem vier por bem.